segunda-feira, 18 de maio de 2020

RECIFE: Governador Paulo Câmara testa positivo para o coronavírus

Anúncio foi feito pelo próprio chefe do executivo estadual no início da noite desta 
segunda (18), através de vídeo postado em suas redes sociais. (JC Online).

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), afirmou na noite desta segunda-feira (18), em sua conta do Instagram, que testou positivo para a covid-19.

"Amigos e amigas, no início da manhã desta segunda-feira, apresentei sintomas gripais e fui orientado a fazer exames para covid-19. Agora, no início da noite, recebi o exame e ele deu positivo. Vou iniciar, então, o isolamento rígido, tomar todas as precauções necessárias e seguir todas as orientações médicas", disse o governador.

Apesar de testar positivo, Paulo Câmara garantiu que continuará monitorando as ações do governo estadual para o combate ao coronavírus. "O gabinete de crise continua instalado e trabalhando. Vamos acompanhar remotamente todas as ações necessárias para livrar Pernambuco da covid-19. Que Deus nos acompanhe e fiquem em casa", disse.

Nota oficial do governo de Pernambuco

"O governador Paulo Câmara testou positivo para a Covid-19, na noite desta segunda-feira. O governador apresentou sintomas leves e vai ficar em isolamento em casa, seguindo as recomendações médicas. As atividades do Gabinete de Enfrentamento ao Novo Coronavírus permanecem, e o governador coordenará o trabalho de forma remota."

PREFEITURA ATUANDO: Barreiras sanitárias e bloqueio de vias serão instaladas em Garanhuns a partir desta segunda-feira (18)

Medidas visam minimizar os efeitos do novo 
coronavírus no município. (Foto: Meramente Ilustrativa)

Com o intuito de intensificar as medidas de combate ao novo coronavírus, a Prefeitura de Garanhuns adota, a partir desta segunda-feira (18), a criação de cinco barreiras sanitárias e 15 bloqueios de vias em pontos estratégicos da cidade. A Secretaria de Saúde, por meio dos setores de Vigilância Sanitária e Epidemiológica, em parceria com o Exército Brasileiro, Polícia Militar e Autarquia Municipal de Segurança, Trânsito e Transportes (AMSTT), irá disponibilizar equipes nas entradas, vias de acesso e pontos estratégicos do território municipal. A implantação dos bloqueios e barreiras sanitárias faz parte do Decreto Municipal 042/2020, emitido na última quarta-feira (13).

A Secretaria Municipal de Saúde promoveu treinamentos para os profissionais que irão atuar nas barreiras sanitárias e pontos de bloqueio. De acordo com a pasta, aproximadamente 30 servidores estarão posicionados nos pontos, trabalhando em sistema de rodízio. A AMSTT contará com um efetivo de 28 guardas municipais, distribuídos nos bloqueios e barreiras. Entre as ações realizadas nas barreiras estão a aferição da temperatura de condutores e passageiros, além do cadastro de dados e desinfecção de todos os veículos que passarem pelos locais.

A titular da pasta, Nilva Mendes, destacou a importância da implantação das barreiras. “Adotamos esta medida buscando minimizar a circulação do vírus na cidade. Com o cadastro de dados dos veículos, nós poderemos ter dados importantes sobre quem entra no município, e assim, acompanhar todas esta população”, ressaltou a gestora.

Além da medida, a Prefeitura também decretou restrições ao deslocamento de veículos em avenidas e ruas de Garanhuns, nas quais estão concentradas as agências bancárias e lotéricas; suspensão do passe livre para estudantes e novas regras de funcionamento de estabelecimentos essenciais e feiras livres. Essas medidas, inicialmente, serão adotadas de 18 a 31 de maio. Outras informações estão disponíveis no link: https://bit.ly/3dS8AuY.
.

Assessoria de Comunicação Social e Imprensa — (ACSI)
Fotos cedidas pela Secretaria de Saúde

Coronavírus: Brasil chega a 241 mil casos e se torna o quarto país em número de diagnósticos

Brasil registrou 485 mortes nas últimas 24 horas e registra 16.118 óbitos pela 
doença; número de infectados é o 4º maior no mundo. (Larissa Quintino - Revista Veja).

Foto: Imagem: creativeneko/Shutterstock.com/Divulgação

Dois meses após o registro da primeira morte decorrente de coronavírus no país, o Brasil registra 16.118 óbitos por Covid-19. Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde neste domingo, 17, foram confirmadas 485 novas mortes. Ao todo, o Brasil registra 241.080 casos, 7,9 mil a mais em relação a sábado. O país é o quarto no mundo com maior número de casos diagnosticados e com as confirmações deste domingo encostou nos números do Reino Unido, que tem 243 mil casos confirmados. Estados Unidos e Rússia são os países com mais infectados até o momento.

A atualização dos dados deste domingo, no entanto, não reflete completamente o número de pessoas que foram diagnosticadas ou tiveram mortes confirmadas nas últimas 24 horas.  Segundo o Ministério da Saúde, a fila de testes faz com que as confirmações não ocorram na mesma velocidade do avanço da doença. Aos fins de semana, o registro também é mais lento, por isso o número de infectados, recuperados e mortos deve ser maior que o informado.


Dos 241 mil casos, 94.122 estão recuperados, afirma o Ministério, o dado equivale a 39% do total de casos

São Paulo lidera casos:

Conforme o balanço divulgado neste domingo, São Paulo continua à frente no ranking nacional: ao todo, são 62.345 casos confirmados e 4.782 mortes. Na sequência estão Ceará, com 24.255 casos e 1.641 mortos, Rio de Janeiro, com 22.238 casos e 2.715 óbitos.

Em meio a escalada de casos, o Rio de Janeiro trocou o secretário de Saúde devido um escândalo de corrupção. Conforme adiantado por VEJA, Edmar Santos foi demitido. A pasta da Saúde carioca é alvo da Operação Favorito, da Polícia Federal e do Ministério Público Federal (MPF), que investiga o empresário Mário Peixoto, maior fornecedor de mão-de-obra terceirizada da atual gestão Witzel e também do ex-governador Sérgio Cabral. Em nota, Witzel afirmou que a demissão se deve por “falhas na gestão de infraestrutura dos hospitais de campanha para atender as vítimas de Covid-19”.

Polícia Federal vai apurar suposto desvio de conduta no Caso Queiroz com Flávio Bolsonaro

Segundo a Folha de S.Paulo, um delegado da PF supostamente teria
antecipado informações sobre a investigação de Fabrício Queiroz. (Agência Brasil).

FOTO: Fotos: Reprodução SBT/Tânia Rego Agência Brasil

A Polícia Federal (PF) vai instaurar procedimento para investigar eventual desvio de conduta em relação à divulgação de informações sobre a Operação Furna da Onça. Em nota divulgada neste domingo (17), a PF informa que “se notabilizou por sua atuação firme, isenta e imparcial no combate à criminalidade, dentro de suas atribuições legais e constitucionais”.

Segundo reportagem publicada na edição impressa do jornal Folha de S.Paulo deste domingo, um delegado da PF supostamente teria antecipado informações sobre a investigação de Fabrício Queiroz, ex-assessor parlamentar do então deputado e atual senador Flávio Bolsonaro (Republicanos - RJ). O empresário Paulo Marinho, suplente do senador, repassou as informações ao jornal, segundo a reportagem.

A Operação Furna da Onça foi um desdobramento da Lava Jato que investigou suspeitas de corrupção entre deputados e empresas privadas, além do loteamento de cargos em órgãos públicos.

A PF destaca que a operação foi deflagrada no Rio de Janeiro no dia 8 de novembro de 2018 e que os mandados judiciais foram expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 2° Região, por representação do Ministério Público Federal (MPF), no dia 31 de outubro do mesmo ano, “portanto, poucos dias úteis antes da sua deflagração”.

“Todas as notícias de eventual desvio de conduta devem ser apuradas e, nesse sentido, foi determinada, na data de hoje, a instauração de novo procedimento específico para a apuração dos fatos apontados” diz a Polícia Federal.

Em nota de esclarecimento publicada hoje em sua conta no Facebook, o senador Flávio Bolsonaro afirmou que Paulo Marinho que tem interesse em prejudicá-lo por causa da vaga no Senado Federal.

“É fácil entender esse tipo de ataque ao lembrar que ele, Paulo Marinho, tem interesse em me prejudicar, já que seria meu substituto no Senado. Ele sabe que jamais teria condições de ganhar nas urnas e tenta no tapetão. E por que somente agora inventa isso, às vésperas das eleições municipais em que ele se coloca como pré-candidato do PSDB à prefeitura do Rio, e não à época em que ele diz terem acontecido os fatos, dois anos atrás? Sobre as estórias, não passam de invenção de alguém desesperado e sem votos”, diz o senador.