terça-feira, 28 de abril de 2020

O PT trabalha para garantir que Bolsonaro seja presidente até 2022

Ao menos esse é o enredo do sonho petista do momento. Se observar bem, dá 
pra perceber que os petistas insistem em bater mais em Sergio Moro do que em Bolsonaro.

O PT montou sua estratégia: quer garantir que Jair Bolsonaro sangre até 2022 e deixe o País em frangalhos, para poder aparecer como salvador, repetindo um sonoro “eu avisei” a todos e acolhendo seus antigos detratores com um abraço paternal que traduza algo como “todo mundo erra e eu perdoo você”.

Ao menos esse é o enredo do sonho petista do momento. Se observar bem, dá pra perceber que os petistas insistem em bater mais em Sergio Moro do que em Bolsonaro. Tratam Bolsonaro como se fosse um peso nulo na presidência e Moro como bandido.

Há petistas que já falam até em legitimidade dos 57 milhões de votos de Bolsonaro, fazendo analogia com o mandato de Dilma que terminou em impeachment. Algo como: não merecíamos, ele também não merece.

Receber o apoio do PT é algo muito ruim para alguém como Bolsonaro, mas se esse apoio contra um processo de impedimento parte da maior bancada da Câmara, isso se torna bastante importante.

Conto uma história: um senador com mandato lá entre 2014 e 2015, contou-me que no meio do processo de impeachment foi procurado pelo então colega de Senado Aécio Neves (PSDB). Como se sabe, o PSDB foi um dos maiores fiadores do processo de impeachment. 

Neves queria conversa sobre a tramitação do processo na Casa. Em dado momento, o neto de Tancredo solta essa: “o mais importante é que a gente atrase o máximo que for possível”. 

O interlocutor, sem entender bem, questionou o que tinha que ser atrasado? "O processo”, respondeu Aécio, que explicou: "nós conversamos e chegamos a conclusão que o melhor é não ir em frente com o impeachment agora. Se Michel Temer (MDB) assumir, as coisas podem se equilibrar no País e o cenário da eleição em 2018 fica mais complicado".

Todo mundo, então, entendeu que o objetivo de Aécio era deixar Dilma sangrando (junto com o País), para que a situação fosse tão desesperadora em 2018 ao ponto de elegermos ele, Aécio, quase que por unanimidade. Como se sabe, ele não conseguiu e ela foi retirada do poder.

Hoje parece muito irreal, mas havia a possibilidade de se construir uma situação em que Aécio Neves surgiria como o grande salvador do Brasil. Ele não contava com os escândalos de corrupção que o obrigaram até a desistir do Senado e tentar sobreviver como deputado em 2018.

Quem diria que Bolsonaro se tornaria o PT de 2015 e que o PT viraria Aécio Neves.

Deve ser o vírus.

Igor Maciel/Cena Política/JC Online

Coronavírus: 91 milhões de brasileiros deixaram de pagar pelo menos uma conta em abril

Número é equivalente a 58% da população adulta do Brasil e 54% maior do que o registrado 
no mês anterior, quando 59 milhões de pessoas estavam nessa situação.

Cerca de 91 milhões de pessoas deixaram de pagar pelo menos uma conta em abril, segundo um levantamento do Instituto Locomotiva para avaliar os impactos econômicos do primeiro mês de isolamento social após estados e municípios adotarem medidas restritivas como prevenção ao avanço do novo coronavírus (covid-19). O número é equivalente a 58% da população adulta do Brasil e 54% maior do que o registrado no mês anterior, quando 59 milhões de pessoas estavam nessa situação.

Segundo o presidente do instituto, Renato Meirelles, a doença chegou na reta final de uma das mais longas crises econômicas da história do país. "A covid-19 encontrou uma população sem poupança e cada vez menos amparada pelos aparatos de proteção social", diz ele, afirmando que a pesquisa joga luz em uma das consequências econômicas mais graves desse momento. "Faltam as condições para que importante parcela da população honre suas contas”, pontua Meirelles.

Marcelo Aprígio/JC Online

Brasil supera China e chega a 5.017 mortes por coronavírus; são 474 nas últimas 24h, novo recorde

São 5.385 novos casos da doença registrados de ontem para hoje
no Brasil; informações são do Ministério da Saúde.

O Brasil registrou 474 mortes decorrentes do novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo dados atualizados nesta terça-feira, 28, até as 14h, pelo Ministério da Saúde. Com isso, o total oficial de vítimas da covid-19 no País chegou a 5.017, superando os números da China, marco zero da doença, que de acordo com a OMS já somou 4.643 mortes pelo vírus. 

Com a atualização de hoje, o Brasil bateu novamente seu recorde de maior número de mortes por covid-19 registrados em um único dia. Já o número total de casos confirmados da doença no País subiu de 66.501 para 71.886 , sendo 5.385 novos casos registrados de ontem para hoje. 

Atualizado diariamente, o número de mortes registradas por covid-19 das últimas 24 horas não se refere efetivamente a quantas pessoas faleceram entre um dia e outro, mas sim ao número de mortes que tiveram o motivo de coronavírus confirmado nesse intervalo. Conforme mostrou reportagem do Estado, registros de óbito por covid-19 chegam a demorar um mês para serem confirmados.

Segundo as estatísticas oficiais, São Paulo segue como o Estado mais afetado pela doença, com 2.049 mortes e 24.041 casos confirmados de covid-19. Logo em seguida, em número de mortes, vêm Rio de Janeiro (738 mortes, 8.504 casos), Pernambuco (508 mortes, 5.724 casos), Ceará (403 mortes, 6.918 casos) e Amazonas (351 mortes, 4.337 casos).

São Paulo - Segundo informações divulgadas hoje em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, São Paulo registrou um recorde de mortes pela covid-19, com 224 óbitos, um aumento de 12% em relação ao número divulgado na segunda-feira, 27. Com isso, o Estado já totaliza 2.049 mortes, de acordo com a contagem estadual. 
"Como não temos uma fila de testes, isso significa que esses novos casos foram confirmados e são desses dias, por agora", afirmou o secretário estadual da Saúde, José Henrique Germann.

De acordo com o balanço, 81% dos leitos de UTI na Grande São Paulo estão ocupados. No Estado, esse índice é de 61,6%. De acordo com Germann, 1.437 pessoas estão internadas em UTI.  Em enfermaria, há 1.800 pacientes internados. A taxa de ocupação nesses leitos é de 44,5% no Estado e 70% na região metropolitana.

Estadão

AÇÃO CONTRA O COVID-19: Pernambuco já conta com mais de 1.100 novos leitos exclusivos para atender pacientes do coronavírus

Governador Paulo Câmara e o prefeito Geraldo Julio reafirmam o compromisso
de seguir com a ampliação dos leitos e reforçam a importância do isolamento social.

Em mais uma prestação de contas em relação às ações de combate à pandemia, Paulo Câmara e Geraldo Julio anunciaram que o Governo do Estado e a Prefeitura do Recife estão disponibilizando, juntos, 1.132 novos leitos para o tratamento dos pacientes do novo coronavírus. Desses, 677 são leitos de enfermaria, enquanto os outros 455 são UTIs totalmente equipadas e preparadas para atender a população.

Paulo Câmara reforçou a importância da parceria estratégica com a Prefeitura do Recife para ampliação da oferta dos leitos no sistema. Ele também elencou que novos leitos de UTIs e enfermarias também foram criados em mais 12 municípios da Região Metropolitana e do interior. Esses leitos estão nas cidades de Moreno, Cabo de Santo Agostinho, Paulista, Olinda, Palmares, Caruaru, Garanhuns, Arcoverde, Serra Talhada, Afogados da Ingazeira, Salgueiro e Petrolina. 

Paulo Câmara lembrou que em 18 de março anunciou um esforço conjunto para criar mil novos leitos em Pernambuco para enfrentar a epidemia do novo Coronavírus. Naquele momento, o Estado tinha apenas 22 casos confirmados e nenhuma morte. “Para muitos, a meta de mil leitos e o inicio do isolamento social pareciam exagerados. Quarenta dias depois, ultrapassamos a meta dos mil novos leitos criados e a realidade que se impõe a todos nós é que precisamos avançar ainda mais”, disse.

O governador destacou a importância da operação logística, política e sanitária para criar leitos e disse que esse processo vai continuar. No mês de maio, os municípios de Caruaru, Serra Talhada e Petrolina receberão reforços, com a entrega de novos leitos e a inauguração de três hospitais de campanha.

O prefeito do Recife, Geraldo Julio, destacou ainda, a importância do isolamento social. “É muito importante ampliar o isolamento para que o sistema de saúde não seja pressionado, como aconteceu em muitos países. Não devemos relativizar os números. Nós estamos falando de pessoas, de famílias”, enfatizou Geraldo Julio.

Link com os pronunciamentos: https://we.tl/t-YkxZWqWmRG

PERNAMBUCO: Governador Paulo Câmara sanciona lei que prorroga prazos de validade dos concursos públicos

Projeto que originou a Lei é de autoria da deputada estadual Gleide Ângelo e foi
aprovado no plenário da Assembléia Legislativa de Pernambuco  - Alepe.

O governador Paulo Câmara sancionou, hoje (28.04), a Lei Nº 16.873 que suspende os prazos de validade dos concursos públicos já homologados e em fase de convocação dos aprovados, enquanto durar o Estado de Calamidade Pública, decretado em decorrência da pandemia de Covid-19. O projeto que originou a Lei é de autoria da deputada estadual Gleide Ângelo e foi aprovado no plenário da Assembléia Legislativa de Pernambuco  - Alepe.

A Lei também prevê que “os prazos de validade retomarão seu curso, pelo período que lhes restava na data de publicação do ato de suspensão, tão logo reconhecida, por ato formal do Chefe do Poder Executivo Estadual, a normalização da situação calamitosa”.