sexta-feira, 13 de março de 2020

Senac seleciona gestor com salário inicial de R$ 6,9 mil em Garanhuns

Interessados em se candidatar devem ter nível superior completo,
preferencialmente em Administração ou Pedagogia.

O Senac Pernambuco está com um processo seletivo aberto para preencher a vaga de Assessor Técnico I – Gestor de Unidade Educacional, para atuar em Garanhuns, no Agreste pernambucano. O salário inicial é de R$ 6.996,96.

Os interessados em se candidatar devem ter nível superior completo, preferencialmente em Administração ou Pedagogia, experiência mínima de trabalho de dois anos em Gestão e, obrigatoriamente, fixar residência em Garanhuns.

O currículo, comprovantes de experiência e escolaridade devem ser enviados por e-mail para o endereço rhsenac@pe.senac.br até às 23h59 de 16 de março. O candidato deve colocar no assunto "Processo Seletivo - Assessor Técnico I – Gestor | Garanhuns".

A seleção será composta por cinco etapas. Para este cargo, a carga horária de trabalho é de 40h semanais, de segunda à sexta-feira. Alguns outros benefícios são oferecidos. O edital completo com mais informações está disponível no site do Senac.

NE10 Interior

Festival do Jeans de Toritama é adiado por causa do novo coronavírus

Por meio de nota, a organização do Festival que a decisão foi tomada devido às incertezas 
a propensão de disseminação do novo coronavírus em eventos públicos que aglomeram multidões".

O Festival do Jeans de Toritama e o Agreste Tex, em Caruaru, foram adiados por causa do coronavírus. Os primeiros casos da doença em Pernambuco foram confirmados na quinta-feira (12). Os eventos seriam realizados entre março e maio de 2020.

Por meio de nota, a organização do Festival de Jeans informou que a decisão foi tomada devido às "incertezas e a propensão de disseminação do novo coronavírus em eventos públicos que aglomeram multidões". O evento, que seria realizado de 29 de abril a 2 de maio, foi remarcado para os dias 6, 7 e 8 de agosto.

A motivação do adiamento do Agreste Tex foi a mesma. O evento aconteceria de 24 a 27 de março e foi reagendado para o período de 27 a 30 de outubro. "Estamos monitorando diariamente os acontecimentos sobre o coronavírus - COVID 19 e decidimos, seguindo as orientações do Ministério da Saúde, não realizar o evento neste momento", destacou a organização do Agreste Tex.

G1 Caruaru e Região

Primeiro exame deu negativo: Bolsonaro fará novo teste de coronavírus

Operação Regresso, do Ministério da Saúde, prevê que o presidente passe por
um novo exame em sete dias e faça um terceiro dentro de 14 dias.

Mesmo com primeiro resultado tendo dado negativo, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vai repetir o teste de coronavírus (Covid-19). Assim como aconteceu na Operação Regresso, do Ministério da Saúde (que trouxe os brasileiros da China), a norma prevê que ele passe por um novo exame em sete dias e faça um terceiro dentro de 14 dias. No período, o presidente deve ficar em isolamento.

O presidente Jair Bolsonaro anunciou nas redes sociais, nesta sexta-feira (13), que não é portador do novo coronavírus. "HFA/SABIN atestam negativo para o Covid-19 o Sr. Pres. da República Jair Bolsonaro", diz a postagem em sua conta no Twitter acompanhada de uma foto do presidente fazendo o gesto de "banana".

Bolsonaro, de 64 anos, foi submetido a exames para o coronavírus após retornar na terça-feira (10) de uma viagem aos Estados Unidos. Nela, reuniu-se com o presidente Donald Trump, acompanhado do chefe de seu serviço de Comunicação, testado positivo na quinta-feira.

Logo depois, Bolsonaro publicou outro post: "NÃO ACREDITE NA MÍDIA FAKE NEWS! SÃO ELES QUE PRECISAM DE VOCÊS!".

Mais cedo, nesta sexta-feira (13), veículos de comunicação informaram que o primeiro teste do presidente tinha dado positivo e que o resultado da contra-prova era esperado para confirmar, ou descartar esse diagnóstico.

O presidente visitou os Estados Unidos entre o sábado passado e a terça-feira, e na sua comitiva estava o secretário de Comunicação, Fábio Wajngarten, infectado pelo novo coronavírus. Na comitiva também estavam Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, e o ministro da Segurança Institucional, Augusto Heleno, cujos exames não revelaram a presença do coronavírus.

A delegação foi integrada ainda pelo chanceler Ernesto Araújo e o ministro da Defesa, general Fernando Azevedo, assim como vários políticos e funcionários. O exame de Azevedo deu negativo, enquanto o resultado de Araújo sairá no sábado.

          JC Online, Estadão Conteúdo, AFP e Agência Brasil