terça-feira, 3 de março de 2020

Ex-assessor faz duras Críticas a Deputado Federal Fernando Rodolfo

De acordo com Alexandre Magnum, Rodolfo é um “narcisista midiático”, um dos parlamentares 
no Brasil que mais torra dinheiro público em sua verba de Gabinete”, e ainda tem devoção por dívidas.

O Blog do Magno Martins trouxe a publicação de artigo do jornalista Alexandre Magnum em que o profissional faz duras críticas ao Deputado Federal Fernando Rodolfo (PL). Na publicação, Magnum, que se apresenta como ex-assessor do então candidato a Deputado, bate forte em Rodolfo, rotulando o Parlamentar Garanhuense de “narcisista midiático” e acusando Fernando de ser “um dos parlamentares no Brasil que mais torra dinheiro público em sua verba de Gabinete”, além de registrar que o Jovem Deputado teria “devoção por dívidas”. A resposta coube ao também jornalista Augusto Neto, que atua como Assessor de Imprensa do Deputado Fernando Rodolfo. Neto não aliviou e registrou que o artigo assinado por Alexandre Magnum “é mentiroso” e que o Jornalista “prestou serviço à campanha do Deputado e recebeu por isso, mas ficou magoada por não fazer parte de sua equipe Parlamentar”. 

Confira o artigo de Alexandre Magnum e a resposta assinada por Augusto Neto:

ALEXANDRE MAGNUM – “Muitos já sabem que o deputado federal Fernando Rodolfo sofre de um narcisismo midiático quase insuperável e que se agrava pela condição de político na esfera federal sem respaldo popular, o que lhe leva a busca permanente de se expor na mídia mesmo pagando para isso. O retorno à televisão comandando programas populescos é uma prova disso.

Mas o que pouca gente sabe é que por trás dessa vitrine alimentada por ele em Redes Sociais e onde mais possa aparecer como Pop Star do Parlamento se esconde também uma devoção por dívidas. Esse fato é comprovado no varejo de dezenas de pendências e reclamações diversas deixadas como rastro negativo de sua campanha eleitoral e mesmo depois de seu início de mandato. 

As queixas vão desde profissionais de marketing envolvidos na campanha, unidades sonoras, passagens aéreas, alugueis de imóveis, postos de combustíveis ou compromissos políticos de cunho financeiro firmados com pré-candidatos nas regiões dos agrestes.  Faz fila os processos judiciais encaminhados à justiça entre Garanhuns e Caruaru. Os reclamantes vinham sendo alimentados por desculpas que se arrastaram em mais de um ano de pendura. Marcação de datas para acertos que nunca se cumpriram, promessas de quitações de toda a sorte, e quando não foi cumprido se estabeleceu a omissão completa do parlamentar, suspendendo toda comunicação com seus credores, tornando-se inacessível.
. 
O caminho está sendo dirigir-se à Justiça em busca de socorro e dos Direitos. Uma situação nada recomendável para um Parlamentar em estreia de carreira e produzindo a sentença de um único mandato único para um fim de carreira. Os ex aliados políticos acusam o jovem Deputado Fernando Rodolfo de ter se transformado numa espécie de zumbi político, vagando a esmo, incapaz de arregimentar correligionários no universo de mais de cinquenta mil votos que teve nas regiões entre Garanhuns e Caruaru. 

A tentativa de criação de uma terceira via em Garanhuns, por exemplo, supostamente criada por ele, foi de água abaixo por não saber liderar o pequeno grupo que se acercou do parlamentar. A maioria demandou para partidos e grupos com lideranças atuantes, abandonado o projeto político do Deputado. Apontado como um dos parlamentares no Brasil que mais torra dinheiro público em sua verba de Gabinete, cientistas políticos afirmam que Fernando Rodolfo ainda não teria sequer lastro político-territorial para justifica-se tantos gastos em inicio de mandato. O que significa dizer que essa farra financeira só é possível quando a quitação de dívidas de campanha, por exemplo, deixa de ser prioridade. Essa demência financeira do deputado, soma-se a fama de pouco confiável politicamente e espalha-se nas rodas políticas entre Garanhuns, Caruaru, Toritama, Vertentes, Salgueiro, Caetés, Bom Conselho e outras cidades onde obteve votação e apoios políticos para eleger-se. 

No elenco de trambiques encontrava-se até pouco tempo em um bar popular de Garanhuns um cheque no valor de aproximadamente R$ 3.000, sem fundos, que supõe-se ter sido despesas contraídas ainda na Festa da Vitória. O cheque pertenceria a um dos elementos do staff de assessores de Fernando Rodolfo. 

Às vésperas de uma campanha eleitoral e prestes a mostrar a cara no seio do eleitorado com este ou aquele candidato que se arrisque a pousar ao lado do parlamentar pra pedir voto, qualquer estrategista político aconselharia o Deputado Fernando Rodolfo a limpar o caminho por onde pretende caminhar de novo (Alexandre Magnum - Jornalista, ex-assessor do deputado na campanha)”.
.

RESPOSTA DO ASSESSOR DO DEPUTADO  – “Caro Magno. Sobre o artigo publicado no seu blog envolvendo o deputado Fernando Rodolfo, a quem presto assessoria, informo que não há débitos de campanha em aberto. O saldo devedor foi assumido pela executiva nacional do partido com aprovação da justiça eleitoral.

Fernando Rodolfo não está entre os deputados federais que mais gastaram verba de gabinete em 2019. Isso é mentira.  Fernando Rodolfo está em ascensão na política tanto em Pernambuco quanto em Brasília, o que o deixa em evidência e incomoda os invejosos que tentam atingi-lo a todo custo, mesmo que para isso seja preciso inventar histórias.

O artigo do senhor Alexandre Magnum é mentiroso. Trata-se de uma pessoa que prestou serviço à campanha do deputado e recebeu por isso, mas ficou magoada por não fazer parte de sua equipe parlamentar.

O deputado Fernando Rodolfo tem a vida limpa e o nome limpo. É um homem respeitado onde chega e é conhecido por zelar o que há de mais valor na política, que é a palavra. Além disso, é ressentimento e dor de cotovelo (Augusto Neto - Assessor de Imprensa)”. (Com informações do Blog do Magno.

Câmara de Vereadores aprova criação da Medalha Pe. Gabriel Hofstede

Honraria, criada por iniciativa do vereador Alcindo Corrreia, será oferecida à personalidades que tenham prestado relevantes serviços em Garanhuns, no Estado de Pernambuco e no Brasil, na área religiosa.

A Câmara de Vereadores de Garanhuns aprovou, nesta terça-feira, 03 de março de 2020, o Projeto de Resolução 016/2020, de autoria do vereador Alcindo Correia de Melo, que institui a medalha Padre Gabriel Hofstede de Mérito Religioso. A honraria deve ser oferecida pela Câmara a personalidades que tenham prestado serviços considerados no município de Garanhuns, no Estado de Pernambuco e no Brasil, na área religiosa.

Padre Gabriel Hofstede nasceu em abril de 1933 na Holanda. Entrou na ordem dos Redentoristas ainda adolescente e em 1955 foi enviado para o Brasil ainda como jovem seminarista. Após sua ordenação sacerdotal em 1959, retornou para Europa e, ainda como jovem sacerdote, estudou teologia moral em Roma o que lhe deu a oportunidade de acompanhar de perto o Concílio Vaticano II. Com o coração vibrando pelos caminhos indicados pela Igreja no Concílio, volta para o Brasil em 1965 onde permaneceu como missionário por toda a sua vida. Foi professor no ITER-Instituto Teológico do Recife, espaço de formação sacerdotal criado por D. Hélder Câmara, que promoveu uma prática pastoral comprometida com as transformações propostas pelo Concílio Vaticano II. Companheiro e amigo de Padre Humberto Plummen, seu superior provincial, e de D. Hélder Câmera; foi protagonista de uma ação pastoral libertadora, voltada para a promoção da dignidade da pessoa humana e defesa dos direitos e liberdades individuais ainda na sombria época da ditadura militar.

Padre Gabriel dedicou a maior parte de sua vida ao povo brasileiro especialmente o povo do nordeste a quem ele chamou de sua família, que, como a família biológica e a religiosa, lhe ofereceu “... tudo que possa tornar alguém feliz [...] este bom povo brasileiro, especialmente os nordestinos, que com seu espírito acolhedor, me abraçaram de coração, o que faz com que hoje eu me veja e seja como um deles” (Pe. Gabriel em seu livro “Histórias que eu conto aos 80”).

No ano de 2000 foi enviado para Garanhuns, como pároco da paróquia do Perpétuo Socorro. Paróquia de um público bastante diversificado, pois engloba bairros da elite local e bairros periféricos de grande vulnerabilidade social. No coração de Padre Gabriel, tinha lugar para todos, porém sua dedicação e preferência pelos empobrecidos eram visíveis.

Em Garanhuns, entre outras tantas ações sociais, lutou pelo direito à moradia de muitas famílias e, junto com sua congregação, mantinha uma vila, a “Vila do jubileu”, que disponibilizava casas para abrigar famílias enquanto essas lutavam pela reinserção no mundo do trabalho. Assim, padre Gabriel, associava os serviços de caridade ao enfrentamento das injustiças sociais.

A fim de promover a participação dos cristãos leigos na política, impulsionou e deu condições para que se criasse em Garanhuns uma Escola Fé e Política local. Em 2009, ajudou a cinco jovens da paróquia de N. Sra. do Perpétuo Socorro a fazerem a Escola Fé e Política Pe. Humberto Plummen do Regional Ne2. No ano de 2010 apenas duas dos cinco jovens decidiram fazer a segunda etapa dessa formação: Lianna Veras e Andreza Rachel. Em 2011 a Escola Fé e Política Regional lançou a proposta de que as dioceses assumissem a primeira etapa da formação e a regional ficaria com a segunda etapa. Em 2012, Pe. Gabriel vendo a participação e engajamento dessas duas jovens com o apoio de Rubens Pita, educador atuante já na escola regional, decidiu embarcar nesse projeto. Assim, deu-se início em agosto de 2012 a primeira turma da Escola Fé e Política local que traz seu nome como um dos patronos: Escola Fé e Política Irmãos Juvenal Bomfim e Gabriel Hofstede.

A presença de padre Gabriel em nosso meio foi uma suave manifestação do Reino de Deus com todo seu poder transformador. Na vida de padre Gabriel “A Palavra se fez carne”. Ternura de pai/mãe, olhar acolhedor, vigor de profeta, que nunca se omitiu ou se calou em nome de um “falso consenso”. Não tinha vergonha de manifestar suas opções políticas também partidárias. Falava da alegria de ter visto nosso país sair do mapa da fome e vibrava ao lembrar cada política pública conquistada nos anos anteriores. Seus olhos brilhavam ao ver jovens da periferia e do espaço rural nas universidades.

No último Café Político em 2018 realizado pela escola Fé e Politica local, onde se reuniram eleitores e candidatos à Assembleia Legislativa; Pe. Gabriel falou algo que sempre repetia em nossos encontros: “Desde criança eu ouvia uma frase na Holanda que o Brasil era o país de todas as possibilidades”. Disse que ao chegar aqui constatou que isso era verdade e não se conformava com a extrema pobreza na qual viviam vários brasileiros. Padre Gabriel tinha um sonho: que cada brasileiro tivesse acesso a “todas as possibilidades” que esse país oferece.

Em dia 01 de agosto de 2019, Pe. Gabriel fez sua Páscoa, cumpriu sua missão e nos deixou a certeza de que sonhos não morrem. Padre Gabriel não morre. Renasce em cada um que luta para concretizar esse sonho. Nossa eterna gratidão a Deus por ter dado à humanidade esse grande homem.