sábado, 14 de março de 2020

Izaías continua na luta pela duplicação da 423 São Caetano/Garanhuns

Para o Prefeito, a obra será crucial para o desenvolvimento de Garanhuns, da
Região Agreste Meridional, mas sobretudo do Estado de Pernambuco.

Na última segunda-feira, 9 de março, a Câmara dos Deputados, em Brasília realizou uma sessão solene em homenagem aos 209 anos de emancipação política de Garanhuns. A sessão, ocorreu a pedido do Deputado Federal, Fernando Rodolfo, vice-líder do PL.

Presente ao momento, o Prefeito de Garanhuns Izaías Régis (PTB), fez questão de registrar que segue na luta pela duplicação da BR 423; no trecho que compreende 80 quilômetros entre São Caetano a Garanhuns. Para o Prefeito, a obra será crucial para o desenvolvimento de todo o Estado de Pernambuco; muito embora, segundo ele defendeu na Câmara, a gestão estadual tenha feito pouco caso da duplicação.

No pronunciamento, Izaías expôs que os deputados federais de Pernambuco não deram prioridade a obra. Régis atribuiu o pouco; ou nenhum interesse desses deputados; ao Governo do Estado, na pessoa do Governador Paulo Câmara. Segundo Izaías, Paulo não articulou como deveria, por isso, essa antiga reivindicação da população do Agreste Meridional foi mais uma vez colocada de lado por quem tem o poder de fazê-la acontecer. “Mas nós vamos em luta. Numa luta ferrenha para fazer daquela BR o desenvolvimento de Garanhuns”, frisou o Prefeito na última segunda-feira; ao discursar na Câmara.
.

EM CAMPO - Considerando que a duplicação deve ser prioridade, Régis cumpriu agenda junto a dois agentes políticos que serão determinantes para que a obra comece a ser executada; um deles; o Ministro da Infraestrutura do Brasil, Tarcísio de Freitas e o outro, o Senador Pernambucano, Fernando Bezerra Coelho (MDB), líder do Governo Bolsonaro no Senado Federal. Os dois se comprometeram a ajudar na execução da obra.

Todo esse empenho de Izaías tem motivações legítimas. A BR 423 tem um alto índice de acidentes; o que deve mudar com a duplicação, já que serão construídas duas faixas de pista de cada lado, com acostamento e sinalização adequada.

Com a malha viária mais segura e em bom estado de conservação, mais empresas devem instalar sucursais no trecho que compreende a duplicação, afinal, o escoamento de sua produção será feito com fluidez; ou seja, em menor tempo de viagem.
.

Diversos segmentos econômicos serão estimulados com a duplicação; dentre eles, o Turismo com a rede hoteleira; restaurantes, bares e lanchonetes; o setor imobiliário e ainda o de construção; que empregará inúmeros profissionais de forma direta e indireta. Ao total, estima-se que cerca de 50 segmentos terão suas atividades impulsionadas.

Em resumo: a duplicação da BR 423 representa uma obra estratégica; determinante para o crescimento de Garanhuns, da região Agreste e de todo o Estado de Pernambuco.

NÚMEROS - Vale registrar, a última estimativa do DNIT sobre os custos da duplicação dos 80 quilômetros do trecho que compreende Garanhuns e São Caetano é da ordem de R$ 600 milhões de reais, com previsão de conclusão em dois anos e meio. Até o momento, cerca de R$ 250 milhões estão assegurados; sendo que o restante, deve ser aportado pelo Governo Federal, por meio do Ministério de Infraestrutura.
.

FERNANDO RODOLFO – Deputado no exercício do primeiro mandato, ele tem sido aguerrido no trato dessa matéria em Brasília. Até aqui, ele conseguiu articular algumas reuniões com o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas e com o diretor-geral do DNIT, General Santos Filho; todas com o objetivo de fazer a obra sair do papel.

Do Ministro de Infraestrutura, Rodolfo conseguiu o compromisso de que a duplicação será tratada como prioritária pelo Ministério, podendo, inclusive, ser iniciada no primeiro semestre deste ano. Quanto ao General Santos Filho, segundo ele, estão garantidos, este ano, R$ 10 milhões de reais para a elaboração de um novo projeto da duplicação; já que pouco foi aproveitado do antigo, feito pelo DER de Pernambuco.

A LUTA DE IZAÍAS - Apesar de não ser responsabilidade do município, uma obra dessa envergadura e desse volume de recursos; se concluída, mudará a realidade econômica de Garanhuns. Ciente da importância do projeto, desde que assumiu a prefeitura Izaías já foi mais de uma dezena de vezes à Brasília cobrar dos ministérios responsáveis pela gestão dos recursos, em especial o Ministério dos Transportes, a liberação do dinheiro para o início da obra. Se não conseguiu não foi por falta de esforço e resiliência, mas por impedimentos que estão muito além de suas atribuições constitucionais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário