quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

Cronista Denuncia: “Parte da Polícia Civil de Garanhuns é podre”

De acordo com escritor, alguns maus policiais estão imbuídos no intuito de desmoralizar 
um pré-candidato a vereador; por meio de uma prisão motivada por um flagrante delito armado.

A Polícia Civil de Garanhuns; parte dela na verdade, teve sua atuação colocada sob suspeita por um cronista local. Segundo ele, fragmentos da corporação se comporta de maneira a transgredir a lei; possivelmente como milícia; atuando com o objetivo de armar um flagrante delito contra Gênio Ventura; que se intitula “Fiscal do Povo”; e que é pré-candidato a vereador de Garanhuns, pelo PCdoB da vice-governadora, Luciana Santos.

No texto, o cronista denuncia que parte da PC de Garanhuns é "podre"; e que busca prender Gênio para desmoralizá-lo diante de seus potenciais eleitores; dando a entender que parte da instituição atua por motivação e interesse político, se desviando de suas prerrogativas; dentre elas, a de abordar quem revele fundada suspeita; para com isso, reprimir crimes e ainda contravenções penais. 

O cronista diz ainda em seu texto que, a intenção da Polícia Civil de Garanhuns é armar um flagrante para Gênio no caso dele haver consumido álcool em excesso ou mesmo estar armado. No Brasil, assim como no resto do mundo, dirigir bêbado ou portar arma de fogo sem a devida autorização é crime; e como a lei deve valer para todos; não pode ser diferente com Gênio; do contrário ela será relativizada, sendo aplicada há uns, e a outros não. É bom lembar que ninguém está acima de suspeita; e que bandido é que teme a polícia.

Se aventurando como repórter, Gênio trouxe a público um caso de estupro coletivo que teria sido praticado contra uma criança de apenas 9 anos dentro de uma escola que integra a rede municipal, o Caic. Desde os primeiros dias do ano, ele cobra diligência da polícia na investigação, mas também acusa alguns órgãos de omissão; o que demonstra todo o seu cinismo, já que ele próprio tomou conhecimento do suposto estupro dois dias após o ocorrido, mas esperou três meses para expor o fato; período em que a criança e sua genitora chegaram a ser ameaçadas pelos supostos autores da barbárie, segundo a própria mãe revela durante entrevista que concedeu a Gênio.

Também chama atenção, o fato de Ventura pedir ajuda ao deputados, federal, Fernando Rodolfo, e estadual, Sivaldo Albino para ajudar a elucidar o caso, mas deixar de lado o prefeito Izaías Régis; mesmo sabendo que a escola integra a rede municipal e que algumas determinações do chefe do executivo também contribuiriam para dar mais celeridade na investigação; o que de imediato nos obriga a indagar se há direcionamento crítico a Régis e a sua administração, por motivação politica partidária; afinal Gênio está no campo das oposições, é pré-candidato a vereador, e perguntar não ofende.

Todos sabemos que Ventura não morre de amor por Izaías e vice-versa. O arranca-rabo deles vem de algum tempo, e começou mais precisamente quando Gênio denunciou Régis, alegando que um de seus sobrinhos; que é fiscal da Secretaria de Agricultura do município, não poderia ocupar o posto; pois isso, segundo ele, configuraria a prática de nepotismo; caracterizando improbidade administrativa e acarretando punições diversas ao gestor. Para esse caso, Gênio foi audacioso, para não dizer atrevido; o que permitiu a ele por uma câmera na cara do sobrinho de Izaías; expondo o rapaz a vexame público. Segundo apuramos, Marcelo Régis, sobrinho em questão, pediu demissão do posto.

Voltando ao suposto estupro, a bem da verdade é que, explorar um caso dessa gravidade exige respeito de quem o faz. Todos concordamos que esse tipo de crime, cruel; vil e desumano deve ser prontamente punido pela justiça, do contrário estaremos fadados a viver em um estado sem lei e sem ordem, que assiste sua juventude ser emboscada por marginais; sem reagir a altura. Toda nossa solidariedade a criança e a sua mãe. Nos unimos aqueles que exigem mais celeridade a polícia na investigação do caso, punição aos criminosos, e a quem foi omisso; o que não nos impede de dizer que aqueles que buscam se apropriar de uma catástrofe dessa natureza para aparelhar seus interesses escusos e eleitoreiros; desfruta de nosso repúdio; do nosso desprezo; afinal este é tão criminoso quanto aqueles que venham a ser identificados como autores do estupro ainda não confirmado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário