segunda-feira, 29 de julho de 2019

Condenado por matar promotor de Itaíba vai para presídio federal

José Maria Rosendo foi preso nesta segunda-feira, na cidade de Corumbá,
em Mato Grosso do Sul. Ele foi condenado há 50 anos de prisão em 2016. (JC Online).

Capturado nesta segunda-feira (29), em Mato Grosso do Sul, o fazendeiro José Maria Pedro Rosendo Barbosa, condenado pela morte do promotor de Justiça Thiago Faria Soares, na cidade de Itaíba em 2013, será enviado a um presídio de segurança máxima.

Condenado há 50 anos de prisão, Zé Maria, como é conhecido, ainda será investigado por tráfico internacional de drogas durante os cinco meses que esteve foragido, após fugir Penitenciária Barreto Campelo, em Itamaracá, em fevereiro deste ano.

A prisão do acusado aconteceu na madrugada desta segunda na cidade de Corumbá, em Mato Grosso do Sul, fronteira com a Bolívia. Segundo a Polícia Civil, ele estava na cidade há cerca de duas semanas. Enquanto esteve foragido, José Maria chegou a passar por cinco cidades da Bolívia e há informações de que teria se envolvido com tráfico internacional de drogas, o que justificaria o fato de estar capitalizado.  

"Após cinco meses, nós encontramos o rastro dele pela Bolívia, continuamos o trabalho de investigação com policiais civis e na madrugada foi confirmada a localização dele no Mato Grosso do Sul. Ele deu algumas informações que nortearão as investigações dos crimes cometidos ou o envolvimento em ações criminosas, como tráfico internacional de drogas a partir da Bolívia. Esse envolvimento fez com que ele estivesse capitalizado para empreender a fuga", adiantou o chefe da Polícia Civil, Joselito Amaral. 

José Maria está sendo trazido para Pernambuco, onde deve permanecer em um presídio até que seja feita a transferência para uma unidade Federal. A expectativa é que sua vinda ao Estado ajude a elucidar as investigações quanto à fuga. "Ele vai ficar em um dos nossos presídios, mas já estamos solicitando a transferência dele para um presídio federal, porque ele é um preso federal. O júri foi na Justiça Federal, onde ele foi condenado há 50 anos e quatro meses pelo homicídio do procurador. Posteriormente teremos que investigar o homicídio do sargento (morto durante a fuga), a fuga e mais importante ainda, temos que investigar quem deu fuga, quem patrocinou", pontua o secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco, Pedro Eurico.

Fuga - Ele e outros cinco detentos conseguiram fugir durante um resgate e uma intensa troca de tiros no dia 13 de fevereiro. O sargento da Polícia Militar Rinaldo Azevedo Campelo, 49 anos, que tentou impedir a fuga, foi baleado na cabeça e morreu. Os presos teriam usado escadas e cordas para deixar a penitenciária. José Maria foi o terceiro fugitivo recapturado. Outros três ainda continuam foragidos. 

Relembre - O crime aconteceu em 14 de outubro de 2013 e teve repercussão nacional. Thiago Faria seguia com a noiva e o tio dela para Itaíba, onde trabalhava, quando teve o carro interceptado no quilômetro 19 da PE-300, no município de Águas Belas. Os suspeitos efetuaram os disparos contra o promotor e fugiram em seguida. A motivação do crime, segundo a PF, envolveu a disputa pelas terras da Fazenda Nova.

O acusado José Maria Pedro Rosendo Barbosa teria perdido a posse em um leilão para Mysheva Freire, noiva do promotor, e teve que deixar sua casa. Como vingança, teria planejado o atentado. A investigação foi marcada por divergências entre a Polícia Civil e o Ministério Público de Pernambuco (MPPE). Enquanto a polícia seguia a linha de de que o crime teria sido motivado pelas terras, os promotores consideravam que o assassinato poderia ter sido motivado por vingança ou ciúmes. Devido ao empasse, o caso passou para as mãos da Polícia Federal em 13 de agosto de 2014.

Passado o FIG, Garanhuns já conta os dias para A Magia do Natal

Este ano, evento deve ser ainda maior que 2018. Programação completa, com 
atrações locais e regionais deve ser divulgada já nos próximos dias pelo Prefeito Izaías.

O Festival de Inverno de Garanhuns nem bem acabou, e os garanhuenses já estão em contagem regressiva para realização de mais uma edição de A Magia do Natal. Depois do sucesso do FIG, é hora de preparar tudo para um grande Natal, e para isso a Prefeitura de Garanhuns já trabalha na divulgação e nos preparativos para a festividade natalina.

Este ano, o evento acontecerá entre os dias 08 de novembro e 31 de dezembro, com mais de 130 artistas se apresentando em mais de 10 polos, distribuídos entre o centro da cidade, bairros, distritos rurais e comunidades quilombola. Como tradição, a decoração natalina permanece instalada na cidade até o Dia de Reis, celebrado, anualmente em 06 de janeiro. Mais de 1 milhão de pessoas são esperadas para os mais de 50 dias de festa.

As atrações incluem projetos com foco na temática natalina, além de  diversos artistas locais, valorizando a produção garanhuense. Entre os nomes confirmados, estão: Adilson Ramos, Os Incríveis, Elymar Santos, Gilbertto e Banda, The Fevers, Orquestra Super Oara, José Augusto, Marina Elali e Maestro Eduardo Lages e Altemar Dutra Júnior. Nos próximos dias, o Prefeito Izaías Régis deve anunciar as atrações locais e regionais do evento.
.

Além dos shows, que atraem diversos turistas, o tradicional Desfile do Papai Noel dá um brilho a mais para a festa. Aos sábados e domingos, crianças e adolescentes dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras’s) desfilam na Avenida Santo Antônio e encantam a multidão que se reúne no Centro, a partir das 18h. 

A decoração também é uma das partes mais especiais de A Magia do Natal, com peças produzidas por artesãos locais e muitas lâmpadas espalhadas pela cidade. Os principais pontos de Garanhuns, como o pórtico de entrada, o Relógio das Flores; a Praça Souto Filho, conhecida como Fonte Luminosa; a Avenida Santo Antônio, principal via do Centro; e o Palácio Celso Galvão, sede da Prefeitura, receberão ornamentações. Os distritos também são enfeitados especialmente para os festejos natalinos.
.

NO CLIMA – Responsável pelas mudanças que conceberam a Magia do Natal, e o sucesso em que se tornou o evento, o Prefeito de Garanhuns Izaías Régis já está no clima da festividade. Nas oportunidades em que falou publicamente ao longo do FIG 2019, ele externou que a edição deste ano da Magia do Natal será ainda maior.

Ano passado, de acordo com informações da Prefeitura Municipal, a Magia do Natal movimentou mais de R$ 35 milhões de reais na economia local. Este ano, com a divulgação da programação antecipada, a expectativa do Prefeito e do vice, Haroldo Vicente, é de que esse montante seja ainda maior. “O Natal é seguramente a festa que mais atrai turistas para a nossa Cidade; fato esse, que aquece a nossa economia local”, registra o Prefeito.
.

Izaías rasga elogios ao Governador e a equipe responsável pela realização do FIG. Este ano, evento recebeu mais de 600 mil pessoas

Régis: “O Festival deste ano foi grande demais! Por isso, parabenizo os Secretários Municipais, 
além do Presidente da Fundarpe; o secretário de Cultura e o Governador Paulo Câmara."

A jornalista Roberta Jungman, vem repercutindo na coluna que assina no Jornal Folha de Pernambuco, na capital pernambucana, que o prefeito de Garanhuns, Izaías Régis (PTB), rasgou elogios ao atual presidente da Fundarpe, e seu amigo pessoal, Marcelo Canuto, na coletiva de encerramento do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG). Durante o momento, que ocorreu no último sábado do FIG, dia 27, no Garanhuns Palace Hotel, o chefe do executivo fez questão de exaltar ainda o trabalho da pasta de Cultura do Estado; responsável pela realização do maior festival de cultura da América latina. 

No encontro; ao lado do secretário de Cultura de Pernambuco, Gilberto Freyre, e de Marcelo Canuto, presidente da Fundarpe, Régis divulgou um balanço positivo com dados sobre os dez dias do evento. De acordo com os números oficiais, mais de 600 mil pessoas circularam pelos 21 polos do evento durante o FIG. Foram mais de quinhentas apresentações artísticas e mais de três mil artistas circulando pela cidade. O frio e a chuva também registraram presença, mas para dar um tom ainda mais especial para o evento.

O resultado apresentado na coletiva, foi comemorado pelo Presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto. De acordo com ele, o FIG de 2019 foi o melhor dos últimos tempos. "O público, incluindo os artistas contratados, reconheceu a qualidade das atrações selecionadas lotando todos os polos de atração, a rede hoteleira e as ruas, com restaurantes cheios e forte movimento do comércio. Tivemos ainda uma ampla cobertura da imprensa, inclusive a nacional, o que no final resultou no FIG alegre, de paz e celebração”, destacou Canuto.

O Prefeito de Garanhuns, Izaías Régis também fez sua avaliação em torno da realização do FIG. Para Régis, o evento se sobressaiu, se comparado a edição passada. “O Festival deste ano foi grande demais em relação a de 2018! Por isso parabenizamos os Secretários Municipais; de forma veemente, além do presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto; o secretário de Cultura Gilberto Freyre Neto e o Governador Paulo Câmara. Contamos com hotéis e restaurantes lotados; comércio faturando; a nossa gente e os turistas felizes. Estou muito satisfeito com o sucesso dessa edição do Festival. O Festival é isso que vivemos este ano”, destacou Izaías a imprensa.
.

Última noite do Festival de Inverno mesclou ritmos e mensagens políticas

No sábado (27), questões raciais, religiosas, políticas e populares 
marcaram o tom  das apresentações. (Por Malu Didier, da Folha de Pernambuco).

O 29º Festival de Inverno de Garanhuns chegou ao fim no último sábado, dia 27 de julho. A última noite na Esplanada Dominguinhos trouxe gêneros como rock, samba, manguebeat, coco e maracatu rural com apresentações de artistas locais e convidados de fora em uma das noites mais mistas desta edição. 

De acordo com a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), estima-se que 60 mil pessoas circularam pelos polos por dia, totalizando 600 mil pessoas juntando os 10 dias do evento. Subiram no palco principal a garanhuense Andrea Amorim, o rebequeiro Maciel Salu, a banda Mundo Livre SA, Mariene de Castro e Maria Rita, que encerrou a edição com maestria e samba no pé.

A primeira atração da noite chegou de uma turnê no Japão diretamente para performar em sua terra natal. “Eu posso cantar em qualquer lugar do mundo, mas Garanhuns é meu coração pulsando", disse a roqueira Andrea Amorim. Ela fez de seu palco sua casa e, com vocais líricos e das pinturas em seu corpo corpo, comemorou calorosamente os 20 anos de carreira com músicas autorais internacionais das bandas britânicas Eurythmics e Queen. 

O olindense Maciel Salu traz de berço o talento da música popular de raiz. Filho de Mestre Salustiano e neto de João Salustiano, desde cedo é familiar com o cavalo-marinho e a rabeca do avô, que aprendeu a tocar ainda jovem. Ele apresentou o repertório de seu álbum mais político, “Liberdade”, comemorando ter chegado onde está hoje mesmo com todo preconceito que a cultura popular sofre. “Seja por política ou por outros artistas, eu nunca abaixei a cabeça. Tenho fé no meu Deus, no caboclo e na minha jurema."
.

O manguebeat se fez presente na última noite do palco Dominguinhos na voz de Mundo Livre SA. Clientela antiga no Festival de Inverno de Garanhuns, a banda injeta a energia dos manguezais aonde pisa. Em um tom político, a banda pediu “Fora Moro, Fora Deltan” e exibiu no telão imagens do ex presidente Michel Temer com intervenções sobre humanas. “No FIG, é muito legal ver que a gente planta uma semente que vai florescendo. Cada vez que a gente chega, tem mais gente curtindo nosso show", celebrou Fred Zero Quatro, vocalista da banda.

Em paralelo ao show de Mundo Livre SA, a Catedral de Santo Antônio recebia o show acústico de João Bosco, que retornava aos palcos após um tempo de recesso. O cantor trouxe os clássicos de seu álbum “Mano Que Zuera”, além de outros sucessos como “Jade” e “Corsário” e Memória de Pele”. O polo da Catedral teve lotação completa por conta do show. 

Quem não quis perder a apresentação assistiu por um telão do lado de fora, sob chuva e um frio de 17º, o espetáculo acústico do cantor. Dentro, o eco da catedral fazia reverberar a voz do público, que sabia de cor todas as canções e acompanhava o show harmonizando como um grande coral junto aos vocais de João Bosco.

De volta a Esplanada Dominguinhos, Mariene de Castro trouxe toda sua ancestralidade negra e baiana para o palco principal performando canções como “É D'Oxum” e “Cordeiro de Nanã.” Um dos momentos mais emocionantes da noite foi quando a cantora convidou a cirandeira Lia de Itamaracá para uma participação especial, onde juntas cantaram e dançaram “Minha Ciranda”, originalmente interpretada pela própria Lia.
.

O fechamento da 29ª edição do FIG foi prestigiado pela cantora Maria Rita, por quem o público aguardou ansiosamente. A sambista saudou o homenageado Jackson do Pandeiro, que, segundo ela, está vivo no inconsciente coletivo dos músicos e do público brasileiro.

Retornando ao Festival de Inverno de Garanhuns, após 10 anos, ela relembra o quanto o festival marcou sua carreira. “É muito simbólico, principalmente agora que vivemos dias estranhos.” Músicas como “Cara Valente”, de Marcelo Camelo, “Não Deixe O Samba Morrer”, de Alcione, “Meu Lugar”, de Arlindo Cruz e “O Bêbado E O Equilibrista”, da sua mãe Elis Regina foram algumas das que integraram o repertório da noite. 

Próximo ano, o Festival de Inverno de Garanhuns segue para sua 30ª edição, quando será lançado um selo em homenagem as três décadas do festival. Segundo os apresentadores do evento, a edição será focada completamente em sustentabilidade.
.