quarta-feira, 24 de julho de 2019

Deputado questiona valores das diárias pagas a policiais durante o FIG

De acordo com o Joel da Harpa, a insatisfação é geral. Valor das diárias pagas
pelo Governo do Estado, R$ 54 reais, é considerado irrisório pelos Militares.

Edmar Lyra - O deputado Estadual Joel da Harpa (PP) esteve aqui em Garanhuns, no primeiro final de semana do FIG, para, mais uma vez, verificar a estrutura oferecida aos policiais e bombeiros militares escalados para trabalharem no Festival de Inverno. De acordo com o Deputado, a insatisfação é geral. É que o valor das diárias pagas pelo Governo do Estado, R$ 54 reais, é considerado irrisório pelos Militares.

“Apesar do Governo ter antecipado o pagamento, os valores não custeiam as necessidades mínimas dos profissionais que são deslocados de outros municípios para trabalharem no Festival e precisam de local para um descanso decente e alimentação”, questiona o Parlamentar. Joel lembra ainda que as diárias para viagem são valores pagos habitualmente ao empregado para cobrir despesas necessárias, tais como: alimentação, transporte, hotéis, alojamento, para realização de serviços externos. 

Segundo o parlamentar, basta um levantamento sobre os valores com hospedagem em Garanhuns, o preço médio, por uma noite, é de R$ 80 reais, numa pousada simples, garantindo apenas o café da manhã. Somando os custos com almoço e jantar, tendo por base o valor médio de 25 reais por refeição, chegaríamos, entre alimentação e hospedagem, a R$ 180 reais, diários. “Isto significa que as diárias pagas aos PMs custeiam menos de 50% das despesas”, concluiu o Deputado.
.

Governador convoca 511 novos agentes para o quadro da Polícia Civil

Aprovados no concurso já iniciam em agosto o curso de formação e
passarão a atuar nas delegacias no início de 2020. (Fotos: Hélia Scheppa/SEI).

O governador Paulo Câmara assinou, na manhã desta quarta-feira (24.), no Palácio do Campo das Princesas, a convocação da segunda turma de aprovados no concurso de agente da Polícia Civil. Ao todo, 511 candidatos iniciam no próximo dia 12 de agosto, o Curso de Formação Profissional de Agentes de Polícia Civil, no Campus de Ensino Recife da Academia Integrada de Defesa Social (Acides-SDS), no bairro da Boa Vista.

A iniciativa vem reforçar um importante conjunto de ações em favor da segurança pública no Estado dentro do Pacto pela Vida, que tem garantido reduções significativas dos índices de criminalidade há 19 meses consecutivos. Logo após a assinatura, um grupo de novos alunos da academia foi recebido no Palácio do Campo das Princesas pelo secretário de Defesa Social Antônio de Pádua e pelo chefe da Polícia Civil Joselito Kehrle.

O curso de formação de agentes terá duração de quatro meses e meio, com aulas de Investigação Policial; Inteligência de Polícia Judiciária; Abordagem Policial; Armamento, Munição e Tiro; Direitos Humanos; Criminalística; Prática Policial; e Gerenciamento de Crises e Desastres. De acordo com o Governo de Pernambuco, durante o período das aulas, os futuros agentes receberão uma bolsa no valor de R$ 1,1 mil reais.

Segundo informações repassadas pela Secretaria de Defesa Social, logo no início de 2020 os novos policiais estarão aptos a reforçar as equipes das delegacias em todo o Estado. A iniciativa vai ampliar ainda mais o contingente da Polícia Civil, que no início de 2018 já havia recebido o reforço de mais de 1,2 mil profissionais aprovados por concurso, sendo 822 para a Polícia Civil e 392 da Polícia Científica.
. 

Alepe promove 2ª etapa do Circuito Pernambucano de Queijos Artesanais em Garanhuns, durante o FIG

Evento, tem por objetivo incentivar os produtores de queijo a melhorar a
qualidade do produto, bem como aperfeiçoar sua comercialização.

A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) realiza no sábado (27), durante o Festival de Inverno de Garanhuns, a 2ª etapa do Circuito Pernambucano de Queijos Artesanais. O evento é uma parceria da Alepe com a Prefeitura municipal, a Adagro (Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco), o Sindicato dos Produtores de Leite do Estado (Sinproleite) e o Instituto de Tecnologia de Pernambuco (ITEP).   

O circuito acontece no Parque Euclides Dourado, a partir das 9 horas, e tem por objetivo incentivar os produtores de queijo a melhorar a qualidade do produto e a aperfeiçoar sua comercialização. Segundo os organizadores, além de beneficiar a cadeia leiteira do estado, a iniciativa contribui para atender o consumidor com um produto de qualidade, dentro dos padrões exigidos pela vigilância sanitária. 

A Assembleia Legislativa instalou este ano a Comissão Especial da Bacia Leiteira para tratar de questões e demandas do setor, presidida pelo deputado Claudiano Martins (PP). O parlamentar é autor de um Projeto de Lei, já sancionado pelo Executivo, que ajuda a desburocratizar a produção de queijos, com promoção de incentivos fiscais, e facilita a instalação de empresas no Estado.

A Comissão conta ainda com a participação dos deputados Fabrizio Ferraz (PHS), Clovis Paiva (PP), Henrique Queiroz Filho (PR), Aglailson Victor (PSB), Antonio Fernando (PSC) Roberta Arraes (PP) e Priscila Krause (DEM).

Além do Circuito de Queijos Artesanais, a Alepe tem marcado presença no Festival de Inverno de Garanhuns em outras ações. O presidente da Casa, deputado Eriberto Medeiros (PP), acompanhou o governador Paulo Câmara (PSB) em vários atos governamentais e, numa ação conjunta com o governo do Estado, contribuiu com o Projeto “Ouvidoria em Ação” que incluiu palestras e serviços como o de escuta ativa da população. 

O ouvidor da Assembleia Legislativa, Douglas Moreno, foi um dos debatedores do painel. “Ouvidoria: um aporte necessário”. “De modo geral, os temas debatidos se referiram às ações realizadas por cada Ouvidoria em suas respectivas instituições e eventuais projetos a serem realizados no futuro”, informou o ouvidor. Também participaram da mesa ouvidores do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e do Tribunal de Contas do Estado (TCE).
.

No meio da chuva, Roberta Miranda comanda a terça-feira de FIG

No palco, cantora exaltou sua ligação com o Nordeste após a declaração preconceituosa de Jair Bolsonaro,
mas sem referência direta ao presidente: “Eu, Roberta Miranda, sou nordestina e amo o povo nordestino”.

(Por Diogo Guedes, do JC Online – Fotos: Felipe Souto Maior/Fundarpe e Hilton Marques)

          A chuva que caiu leve durante quase toda a noite desta terça -feira, 23 de julho aqui em Garanhuns apertou um pouco durante o show de Roberta Miranda, que terminava a programação do dia. Ainda assim, disposta a se aproximar do público, a eterna rainha do sertanejo pegou um guarda-chuva emprestado para andar pela área descoberta do palco Dominguinhos do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG),

Depois de uma noite aquecida pelo forró, com Nando Azevedo, um show especial de Anastácia e Terezinha do Acordeon para Dominguinhos e o repertório consagrado de Maciel Melo, a abertura da apresentação de Roberta veio com Majestade, o Sabiá, um dos seus maiores sucessos. Aí, ela já mostrou que o show não teria nada de protocolar: Roberta soa espontânea mesmo nos gestos mais casuais. No palco, comemorou o fim das saudades de sete anos do FIG (“eu devia vir todo ano”) e exaltou sua ligação com o Nordeste após a declaração preconceituosa de Jair Bolsonaro, mas sem referência direta ao presidente: “Eu, Roberta Miranda, sou nordestina e amo o povo nordestino”.

A cantora paraibana chamou o intérprete de libras para o centro do palco, aceitou um ursinho de pelúcia de presentes (que disse que ia passar ao seu xodó, o cachorro Frederico, várias vezes citado na apresentação), fez discretamente o passinho recifense e falou de si mesmo na terceira pessoa (mas sem nenhuma afetação). Sobre o guarda-chuva, confessou brincando que o pegou emprestado “à força” de alguém do público.

Sempre acompanhada pelo público em uma Praça Guadalajara cheia, tocou violão na faixa Apesar de Não Te Ver e entoou Meu Grande Bem(em versão bolero) De Igual para Igual e Cadê Você?. O show reforça a presença constante de Roberta no imaginário da canção popular brasileira, com sua presença em rádios e trilhas de novelas. Como não podia deixar de ser, ela homenageou Dominguinhos cantando Forrépeando com sua letra simbólica: “O meu pai pernambucano/ A minha mãe da Paraíba/ Aqui dentro de mim tem a força do nordeste/ Um pouco de Lampião/ Outra metade, paulista”.
.