segunda-feira, 22 de julho de 2019

Menino que estava desaparecido é encontrado morto em Garanhuns

Lucas Vinícius, de 8 anos, havia sumido na segunda-feira (15). Ele foi localizado no último 
sábado, 20 de julho em um matagal no Novo Heliópolis. (Folha de Pernambuco).

Foi encontrado morto o menino Lucas Vinícius, de 8 anos, que estava desaparecido desde a segunda-feira (15). O corpo de uma criança em estado de decomposição e com as mesmas características dele foi localizado cinco dias depois em uma área de matagal no bairro de Novo Heliópolis, aqui em Garanhuns, na noite do sábado (20).

Segundo informações preliminares da Polícia Civil de Pernambuco, o cadáver foi encaminhado ao IML para perícia. O local onde o corpo de Lucas foi encontrado foi isolado pela polícia. Técnicos do Instituto de Criminalística foram ao local para realizar as primeiras perícias. A polícia aguarda o resultado do laudo para confirmar a identidade da vítima.

O enterro ocorreu na tarde desse domingo (21) no Cemitério de São João, também no Agreste do Estado. O garoto havia desaparecido na segunda-feira após sair de casa, onde morava com os avós, na rua Santa Rita de Cássia, localizada no bairro de Massaranduba, também em Garanhuns. Segundo familiares, ele havia saído para dar um recado para o seu avô. Relatos de populares afirmavam que ele foi visto pela última vez em um ferro velho. O crime será investigado pela Polícia Civil de Garanhuns.
.

Aumento da pena de prisão de canibais presos em Garanhuns foi concedido pela Justiça, a pedido do Ministério Público de Pernambuco

Jorge passou de 21, para 27 anos e meio de detenção. Já Isabel Cristina e Bruna Silva passaram de 19, 
para 24 anos de prisão em regime fechado mais um ano de detenção. (Com informações do MPPE).

O trio de Canibais que foi preso em Garanhuns, Jorge Beltrão Negromonte da Silveira, Isabel Cristina Torreão Pires e Bruna Cristina Oliveira da Silva, tiveram suas penas aumentadas atendendo a um pedido do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) pelo homicídio qualificado de Jéssica Camila da Silva Pereira, em 2008.

Jorge, que havia sido condenado a 21 anos e seis meses de reclusão, terá que cumprir agora 27 anos e um ano e meio de detenção. Já Isabel Cristina Torreão Pires e Bruna Cristina Oliveira da Silva, que haviam pego 19 anos de prisão, passarão 24 anos em regime fechado e mais um de detenção. A decisão unânime dos desembargadores da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), transitou em julgado na última segunda-feira, dia 15 de julho e não cabe mais recurso.

O Ministério Público de Pernambuco, considerou que as penas, estabelecidas em júri popular anda no ano de 2014, deveriam ser mais severas por conta da gravidade dos crimes de homicídio qualificado, esquartejamento e vilipêndio, quando se despreza ou humilha o corpo da vítima. Assim, a promotora de Justiça Eliane Gaia entrou com o recurso para uma ampliação das penas. “Foi um crime que chamou a atenção de todo país e gerou uma comoção popular pelo caráter hediondo. A dosiometria aplicada pela juíza não foi coerente com a gravidade dos atos praticados pelo trio. A 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Pernambuco avaliou nosso recurso e concluiu que as penas determinadas na época foram bem abaixo do que deveriam”, explicou a promotora de Justiça.
.

O assassinato de Jéssica Camila ocorreu no município pernambucano de Olinda. O crime, só foi descoberto e desvendado quatro anos depois do ocorrido, quando partes do corpo da garota foram encontrados em buracos nas paredes da casa em que os réus moravam. Vendedora de doces nos semáforos do bairro de Boa Viagem, Zona Sul do Recife, Jéssica foi escolhida como alvo por ser socialmente vulnerável e por ter uma filha pequena. Acabou atraída e morta em uma casa no bairro de Rio Doce. A filha dela teve os documentos adulterados, passando a ser criada como se fosse filha biológica de Bruna.

Em dezembro de 2018, o trio também foi condenado por matar esquartejar, enterrar e comer parte da carne dos corpos de Giselly Helena da Silva, 31 anos, e Alexandra Falcão, 20 anos. Os crimes ocorreram em fevereiro de 2012, na casa que o trio morava aqui em Garanhuns. Nesses processos, Jorge pegou 71 anos de reclusão, enquanto Isabel, 68. Bruna, que também respondia por falsidade ideológica, recebeu 71 anos e 10 meses.

Em depoimentos, eles revelaram que os crimes estavam previstos no ritual de uma seita chamada Cartel, fundada por Jorge. O objetivo era diminuir a densidade demográfica exterminando mulheres que tivessem filhos, mas sem condições de criá-los. Segundo a seita, o corpo era dividido e todo sangue era extraído como forma de purificação. Depois, os acusados consumiam a carne para também ter seus corpos purificados.
.

Os Canibais foram presos em Garanhuns em 2012, após a polícia descobrir que eles usavam os cartões de crédito de uma das vítimas. Quando chegaram à casa deles, a filha de Jéssica revelou que os corpos das vítimas estavam no quintal.

Atualmente, as duas mulheres cumprem pena na Colônia Penal Feminina de Buíque, no Agreste pernambucano. Jorge está recluso na Penitenciária Professor Barreto Campelo, em Itamaracá, na Região Metropolitana do Recife. O caso repercutiu na mídia nacional pela barbaridade dos crimes, incluindo canibalismo e a venda de salgados, como empadas e coxinhas, com uso de carne humana como ingrediente para a população de Garanhuns.
.

Festival de Inverno de Garanhuns teve noite de mulheres brilhando na música e inauguração da Casa Galeria Galpão

Neste domingo (21), no palco Canta Dominguinhos, se apresentaram, 
Karina Buhr, Céu e Letrux. A banda garanhuense de Rock, Neander abriu a noite.

As mulheres protagonizaram a programação musical da terceira noite do Festival de Inverno de Garanhuns, ontem. No palco Dominguinhos, a noite aberta pela banda Neander atraiu um público que viu Karina Buhr, Letrux e Céu brilharem em apresentações cheias de personalidade. Na mesma noite, a Catedral de Santo Antônio ficou lotada para ver a apresentação de Leila Pinheiro, enquanto no Som na Rural a DJ Claudinha Summer agitava os intervalos das apresentações entre Raphael Costa, Triinca e Bruno Lins.

“Essa praça, o nome do palco, que agora se chama Dominguinhos, é tudo especial quando venho tocar aqui. Esse é um espaço que junta todo mundo. Às vezes as pessoas vem aqui para comer ou beber, apenas, às vezes nem conhece o som, mas acaba vendo o show. E aí tem gente de fora, tem artista local, é muito legal. E também tem todo tipo de música, desde as que protestam até as que falam do peixinho no fundo do mar”, disse Buhr.
.

A Casa Galeria Galpão inaugurou e agora é o endereço das artes visuais, fotografia, design e e moda no FIG 2019. O espaço terá exposições, performances, rodas de conversa e intervenções artísticas. Neste ano, a programação no espaço segue até o dia 27, com 15 projetos que ficarão em cartaz para apreciação dos visitantes.

          GASTRONOMIA NO FESTIVAL DE INVERNO - No Instituto Histórico Geográfico e Cultural de Garanhuns, o Polo de Gastronomia recebeu o público interessado em participar da Oficina dos Cinco Sabores, com Sônia Hirsch, chef de São Paulo que levanta a bandeira da alimentação saudável e uma das maiores especialistas no assunto. À noite, ela lançou seu livro Viver Quer Viver, com bate-papo sobre o tema.
.

.

.
.

Prêmio voltado para o circo é lançado durante o Festival de Inverno

Com inscrições abertas a partir de agosto, Prêmio Palhaço Cascudo 
distribuirá total de R$ 150 mil reais em incentivos para artistas circenses. 

(Folha/PE - Foto: Rodrigo Ramos/Secult-PE/Fundarpe)

Anunciada no ano passado, a retomada do Prêmio Palhaço Cascudo de Incentivo às Artes Circenses vai sair do papel. O Governo de Pernambuco aproveitou os dias de programação do 29º FIG para lançar oficialmente o edital da premiação, na tarde deste domingo (21), em uma lona de circo montada no Parque Euclides Dourado.

De acordo com Marcelo Canuto, presidente da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), o objetivo do prêmio é proteger e promover a arte circense no Estado. "O Governo já possui outros editais, nas áreas de literatura e teatro. Se somam à preocupação com esse outro segmento, que enfrenta tantas dificuldades para sobreviver no dia a dia. É o reconhecimento de uma arte que vai continuar sendo uma das manifestações culturais das mais importantes de Pernambuco e do Brasil", afirmou o gestor.

A proposta é distribuir até 34 prêmios, somando o valor total de R$ 150 mil. Poderão concorrer artistas circenses pernambucanos ou de outros estados brasileiros, desde que comprovem atividade permanente em Pernambuco de, no mínimo, três anos. Os interessados devem se inscrever entre 01 de agosto e 31 de outubro, somente pela plataforma virtual Mapa Cultural de Pernambuco.

A retomada do Prêmio Palhaço Cascudo era uma demanda antiga da classe circense. Criada em 2009, a premiação foi extinta nos anos seguintes e só em 2018 teve sua volta assinada pelo atual governador do Estado de Pernambuco, Paulo Câmara. Considerada Patrimônio Vivo de Pernambuco, a artista Índia Morena comemorou a oficialização do edital. "Foi difícil, mas a gente conquistou o que queria. Essa era uma pequena gota d'água que faltava para encher o copo dos artistas circenses", comentou.

O prêmio também homenageia o pernambucano Francisco Chagas da Costa, mais conhecido como Palhaço Cascudo. Ele faleceu em 2008, mas deixou um legado de formação de várias gerações de profissionais do picadeiro. "Cascudo nasceu e cresceu no circo. Chegou a se apresentar aqui no FIG, junto com seus filhos, andando por essa cidade. Por isso, a alegria deste momento é imensa", apontou Índia Morena.

DURANTE O FIG: Garanhuns sedia segunda etapa do Circuito Pernambucano de Queijos Artesanais

Evento será realizado no próximo sábado (27), a partir 
das 09h, no Parque Euclides Dourado. (Secom/PMG).

No próximo sábado (27), o município de Garanhuns sedia a segunda etapa do Circuito Pernambucano de Queijos Artesanais. O evento acontece a partir das 09h, no Parque Euclides Dourado, e é uma realização da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), em parceria com a Prefeitura de Garanhuns, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente (SDRMA); a Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro), a Associação de Certificação do Queijo Coalho de Pernambuco (CQP), o Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep), e Sindicato dos Produtores de Leite de Pernambuco..

Os interessados devem entregar suas fichas de inscrição e os queijos para serem expostos na quinta (25), ou sexta-feira (26), no Centro Tecnológico (Instituto de Laticínios do Agreste), na avenida Bom Pastor, S/N°, Boa Vista, das 08h às 11h, e das 14h às 16h.

Serviço: 2ª Etapa do Circuito Pernambucano de Queijos Artesanais
Local: Parque Euclides Dourado – Estande do Serviço Brasileiro de
Apoio às Micro e Pequenas Empresa (Sebrae)
Data: 27 de julho de 2019 (sábado)
Horário: 09h