sábado, 18 de maio de 2019

Pernambuco: TJ e MP abrem seleções para estágio com 181 vagas

No Ministério Público, 41 oportunidades estão sendo
oferecidas. Já no Tribunal de Justiça, 140. (G1).

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) e o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) abriram inscrições para seleção de estágio para estudantes de nível superior. Juntas, as duas instituições oferecem 181 vagas, sendo 140 do TJPE e 41 do MPPE, incluindo oportunidades para chamada imediata e cadastro de reserva.

Para a seleção do TJ, as inscrições têm início no 23 de maio e seguem até 6 de junho. O Cadastramento deve ser feito pela internet e custa R$ 33. As provas estão previstas para 7 de julho e a divulgação do resultado final ocorre em 6 de agosto.

Os testes ocorrem no Recife, em Araripina, Petrolina, Serra Talhada; além de Garanhuns e Caruaru, independentemente do local em que o estágio será realizado.

Os candidatos podem se inscrever para estagiar em 15 áreas de atuação. 15 também é o número de polos espalhados pelo estado, onde será desempenhado o estágio. Há vagas para alunos de administração, arquitetura, biblioteconomia, ciência da computação, ciências contábeis educação física, direito, secretariado, engenharia civil, engenharia elétrica, jornalismo, museologia, pedagogia, serviço social, administração, psicologia.

Estão previstas oportunidades para portadores de deficiência e cotas para afrodescendentes. O estágio tem duração de um ano, podendo ser prorrogado por igual período. As atividades são desenvolvidas com uma carga horária de 20 horas semanais, de acordo com o horário de expediente das unidades do TJPE.

Os estagiários do tribunal recebem bolsa de R$ 723 reais, auxílio-transporte e seguro contra acidentes pessoais. Após um período de 12 meses de contrato, o estagiário tem direito a um recesso de 30 dias.

No MPPE, as inscrições estão abertas e seguem até 18 de junho, no site do instituto responsável pelo certame. A taxa custa R$ 37,40. São oferecidas vagas para estudantes a partir do 5º período dos seguintes cursos: administração, arquitetura, ciências contábeis, jornalismo, publicidade e propaganda, engenharia civil, engenharia eletrotécnica, engenharia eletrônica, estatística, nutrição, psicologia, serviço social e sistemas de informação, engenharia de telecomunicações, tecnologia em redes e rádio, TV e internet.

Todos os estagiários de nível superior do MPPE têm uma carga horária de 20 horas semanais e recebem uma bolsa de R$ 998, além de auxílio-transporte. O contrato de estágio tem vigência de um ano, podendo ser prorrogado por igual período.

Os estudantes fazem provas no dia 21 de julho, no Recife, e poderão optar por estagiar nas sedes do MPPE na capital, Região Metropolitana, Palmares e Serra Talhada. Segundo o edital, há vagas para pessoas com deficiência e afrodescendentes.

Garanhuns: Semana do Microempreendedor Individual inicia segunda

Iniciativa, que é do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas
(Sebrae), conta com a parceria do Governo Municipal. (Secom/PMG).

Tem início na próxima segunda-feira, dia 20 de maio, mais uma edição da Semana do Microempreendedor Individual (MEI), aqui em Garanhuns. A ação é promovida pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), e conta com a parceria da Prefeitura de Garanhuns, por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, assim como da Sala do Empreendedor.

Até a sexta-feira (24), estarão sendo oferecidas palestras, oficinas e consultorias de forma gratuita no Largo do Colunata, localizado na avenida Santo Antônio, no Centro da cidade. As inscrições estão disponíveis na loja online do Sebrae, e podem ser realizadas pelo telefone 0800 570 0800, ou por meio do link: https://loja.pe.sebrae.com.br/loja/

De acordo com os organizadores da semana do MEI, as vagas são limitadas, e na ocasião serão levantados temas como: atendimento ao cliente, emissão da nota fiscal, uso das redes sociais como ferramenta para negócios e declaração do MEI.

A Secretária de Desenvolvimento Econômico, Janecélia Marins destacou a relevância do evento para os participantes. “Já mantemos diariamente parceria com o Sebrae por meio da Sala do Empreendedor, e de outras atividades relevantes ao fortalecimento do empreendedorismo no nosso município. E agora com a Semana do MEI 2019, evento em que os  servidores da SDE também estarão engajados. É uma grande iniciativa que vai orientar, de forma simples e gratuita, diversos microempreendedores acerca de temas de seu interesse para o crescimento da sua empresa", enfatizou a titular da pasta.

Brasília: Governo Federal confirma que Petrobras deixará McLaren e F1

Saída da estatal deve gerar um problema para a McLaren. Apesar de ter outros 32 parceiros 
comerciais, a equipe tem na Petrobras um patrocinador estratégico. (Fonte: Máquina do Esporte/Uol).

Deve durar menos de dois anos a volta da Petrobras à Fórmula 1. A parceria entre a estatal e a equipe McLaren, que foi celebrada no início de 2018, está próxima de ser encerrada pelo governo federal. O ministro da cidadania, Osmar Terra, disse à Revista Veja que não faz sentido o acordo firmado pela empresa no governo Temer e que vale cerca de £ 10 milhões (R$ 51 milhões) por ano. "Não tem o mínimo sentido. Um absurdo. Esse valor todo para ter o nome pequenininho no capacete", afirmou o ministro à coluna Radar.

Na prática, a presença da marca da empresa na equipe britânica é muito mais ampla do que apenas o capacete dos pilotos. O logotipo da estatal está estampado também no uniforme de pilotos e mecânicos, além de estar no carro. A parceria também prevê que a Petrobras forneça combustível para a McLaren, mas desde que o acordo foi anunciado esse desenvolvimento de produto não ocorreu.

Quando o negócio foi costurado, a Petrobras esperava promover um resgate da marca internacionalmente a partir do patrocínio, além de usar a parceria técnica para desenvolver produtos, como fazem as principais empresas do segmento. A parceria, porém, ficou ainda mais difícil de ser mantida após a troca de governo.

Há uma semana, o presidente da empresa, Roberto Castello Branco, já havia dito em entrevista à Globo News que a Petrobras deixaria de apoiar a McLaren. "Não faz sentido uma empresa de um país de economia emergente, de renda mais baixa, financiar uma equipe de competição de um país desenvolvido", disse.

A saída da estatal do patrocínio deve gerar um problema para a McLaren. Apesar de ter outros 32 parceiros comerciais, a equipe tem na Petrobras um patrocinador estratégico, já que a empresa é responsável por desenvolver o combustível e óleos que os pilotos utilizam nos carros. Agora, a corrida da McLaren será por buscar um novo parceiro para o desenvolvimento de produtos. A Petrobras fornece atualmente o óleo de transmissão para a equipe na Fórmula 1. Além disso, a estatal já havia investido bastante dinheiro no desenvolvimento de combustível para ser avaliado pela FIA.

Assessor de Mourão passa a ser investigado no caso Flávio Bolsonaro

Segundo MP do Rio, João Henrique Freitas pode ter participado de esquema de desvio 
de dinheiro no gabinete do ex-deputado estadual, conhecido como "rachadinha". (Agência Estado).

A quebra de sigilo bancário e fiscal decretada pela Justiça do Rio na investigação envolvendo o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) alcançou um assessor direto do vice-presidente Hamilton Mourão, o advogado João Henrique Nascimento de Freitas, que também é o atual presidente da Comissão de Anistia.

Freitas entrou na lista das 86 pessoas atingidas pela medida solicitada pelo Ministério Público do Rio porque trabalhou durante sete anos como assessor de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), entre 2005 e 2012. Promotores investigam um suposto esquema de desvio de dinheiro no gabinete do ex-deputado estadual conhecido como "rachadinha", no qual funcionários são obrigados a devolver parte do salário ao parlamentar.

A suspeita é de que a prática tenha ocorrido entre 2007 e 2018 e a arrecadação tenha sido coordenada por Fabrício Queiroz, ex-motorista de Flávio que teve uma série de movimentações financeiras consideradas atípicas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf). O caso foi revelado pelo jornal O Estado de S. Paulo em dezembro.

Outros seis investigados estão lotados no Senado, sendo que cinco continuam no gabinete de Flávio Bolsonaro: Fernando Nascimento Pessoa, Lygia Regina de Oliveira Martan e Miguel Ângelo Braga Grillo, ganhando cada um R$ 22,9 mil de salário em Brasília, e Alessandra Esteves Marins e Juraci Passos dos Reis, que recebem R$ 8,9 mil cada no escritório político no Rio.

O sexto é Leonardo Rodrigues de Jesus, conhecido como Léo Índio. Primo de Flávio, ele trabalhou no gabinete do ex-deputado entre 2006 e 2012 e hoje está lotado no gabinete do senador Chico Rodrigues (DEM-RR).

O assessor de Mourão é o único dos 86 alvos da quebra de sigilo decretada pela Justiça do Rio que ocupa cargo no governo federal, segundo levantamento feito pelo jornal no Diário Oficial da União. Em seu perfil divulgado na internet, Freitas afirma ter atuado como assessor jurídico e chefe de gabinete de Flávio na Alerj. Em janeiro, Freitas foi nomeado assessor especial do vice general Mourão, com remuneração bruta de R$ 13,6 mil, despachando no anexo II do Palácio do Planalto. Em março, foi nomeado pela ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) como presidente da Comissão de Anistia, instituída em 2002 com o objetivo de reparar as vítimas de atos de exceção ocorridos entre 1946 e 1988 no País.

O Ministério Público Federal pediu a anulação da nomeação na Justiça por causa da ação de Freitas contra determinadas anistias no passado. O pedido foi negado este mês.

Senador nega irregularidades e critica “vazamentos” - Procurada pela reportagem, a assessoria da Vice-Presidência da República informou que o assessor João Henrique Nascimento de Freitas não se manifestaria sobre a quebra de sigilo e que o vice Hamilton Mourão estava em viagem oficial ao Líbano.

Em nota, o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) afirmou que todos os assessores citados "têm reputação ilibada, larga e comprovada experiência" e que "o fato de ter sigilo quebrado não torna ninguém criminoso".

Ele disse repudiar que "setores da imprensa" que são "abastecidos por vazamentos ilegais" pelo Ministério Público "insistam em criar polêmicas e atribuir falsas irregularidades onde não há para atingir ele e o governo de Jair Bolsonaro". Os assessores dele e o primo Léo Índio não quiseram se pronunciar.

Bolsonaro terá reunião com bancada do Nordeste na quarta-feira (22)

Líder da bancada governista no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), também vai a reunião. Dois
dias depois, na sexta-feira (24), Presidente cumprirá agenda em Pernambuco. (Blog do Jamildo).

Deputados federais do Nordeste receberam convites ao longo dessa semana para participar de um café da manhã no Palácio do Planalto na próxima quarta-feira (22). A reunião será na mesma semana em que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) fará a primeira visita à região desde que assumiu o mandato. “Vamos dialogar e encontrar soluções para nossa região. Não podemos permitir que o Nordeste permaneça esquecido”, afirmou no Twitter o deputado federal Felipe Carreras (PSB).

O líder da bancada governista no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), também vai a reunião. Dois dias depois, na sexta-feira (24), Bolsonaro vai participar de reunião da Sudene, a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste, no Recife.

Na região, todos os governadores são de partidos de oposição a Bolsonaro. Os gestores se reuniram com o presidente no dia 9 de maio e cobraram recursos para a educação e a retomada de obras. Esses assuntos serão novamente tratados na quarta.

Bolsonaro convocou a reunião com a bancada em meio à tramitação da reforma da Previdência, a principal pauta econômica do governo, na Câmara.

Os governadores são contrários à proposta. Da bancada pernambucana na Casa, apenas Luciano Bivar, que é presidente do partido de Bolsonaro, é favorável ao projeto.
.