sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Betânia "recusa" carro, após usar veículo da Câmara por dois anos

Apesar disso, vereadora defende que a Câmara deveria oferecer seis veículos aos
 parlamentares, mesmo eles contando com um subsídio mensal no valor bruto de R$ 12 mil reais.

Depois de se manter em silêncio e acompanhar toda a polêmica em torno da Câmara no caso da recém cancelada licitação para locação de 13 veículos que serviriam para o deslocamento a trabalho dos parlamentares garanhuenses, a vereadora Betânia da Ação Social (PTB), tornou público nesta sexta-feira (15), que iria abrir mão do veículo que eventualmente ficaria a sua disposição a partir deste ano.

Muito embora Betânia tenha recebido o cumprimento de algumas pessoas pela iniciativa, a maioria da população tem criticado a postura adotada por ela. O motivo; muito simples: Betânia utilizou um veículo do Poder Legislativo Municipal por dois anos, mas só agora resolveu entregar, devido a opinião pública não aprovar a licitação proposta pelo atual Presidente da Casa, o vereador Daniel da Silva, que pertence ao PSC.

Betânia, concorda que os vereadores recebam R$ 12 mil reais, sem que necessariamente eles precisem usar esse dinheiro para adquirir um veículo para o trabalho parlamentar. Nesta sexta, ela expôs sua posição ao jornalista Roberto Almeida. “Talvez o certo fosse ter publicado um edital para locar no máximo seis veículos, que poderiam ser usados pelos vereadores, no sistema de rodízio, como sempre foi feito", disse ela.

       Na eventualidade da proposta de Betânia se consolidar, ela e os demais vereadores poderão ter acesso aos automóveis. Em razão disso, um internauta com senso crítico aguçado, perguntou: "Recusou mesmo o veículo vereadora?"

Rodolfo critica xingamentos no plenário como “espetáculo de ódio”

Segundo Deputado, enquanto deputados se digladiam em plenário desrespeitosamente, há
milhares de cidadãos à beira da morte em hospitais precários. (Blog do Magno Martins).

O deputado federal pernambucano Fernando Rodolfo (PR) ocupou a Tribuna do plenário da Câmara Federal, em Brasília, no final da tarde de ontem, quinta-feira (14), para criticar o bate-boca e os xingamentos entre governistas e oposicionistas na sessão matutina da casa, que impediram a apreciação de projetos listados na pauta de votação. “Foi um espetáculo de ódio e o que a nação espera dos deputados federais é resultado”, lamentou.

O parlamentar afirmou ainda, que a oposição está no seu legítimo papel de criticar e realizar manobras de obstrução às votações, como ocorreu na sessão da manhã, que era deliberativa (para votar projetos), enquanto a bancada de apoio ao governo Bolsonaro, da qual ele faz parte, vem atuando de forma completamente desarticulada desde os primeiros dias de trabalho. “Não podemos transformar este plenário num show circense”, advertiu.

Segundo Rodolfo, enquanto deputados se digladiam em plenário desrespeitosamente,  há milhares de cidadãos à beira da morte em hospitais precários e crianças indo à escola porque não têm o que comer em casa. “Temos o compromisso moral e ético de devolver a confiança que os eleitores depositaram em nós com seus votos”, concluiu.

Bivar gastou R$ 250 mil do Fundo Partidário com empresa do filho

Na prestação de contas de campanha, empresa do filho do deputado, aparece como 
a segunda que mais recebeu verbas. (JC Online/Estadão Conteúdo – Foto: Bobby Fabisak).

O deputado federal Luciano Bivar, presidente nacional do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, gastou R$ 250 mil recebidos do fundo eleitoral para contratar a empresa de um dos seus filhos durante as últimas eleições em 2018. Sediada em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife (RMR), a Nox Entretenimentos, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é a segunda maior fornecedora da campanha de Bivar e está registrada em nome de Cristiano de Petribu Bivar.

Segundo o Blog do Fausto Macedo, do Estadão, a contratação está na mira da Procuradoria Eleitoral de Pernambuco. Em parecer sobre a prestação de contas de Bivar, o procurador Francisco Machado Teixeira se posicionou pela aprovação com ressalvas das contas e citou a necessidade de se investigar o possível “desvio de finalidade” no gasto destinado à empresa do filho do cacique do PSL.

“Foram realizadas despesas com fornecedores de campanha que possuem relação de parentesco com o prestador de contas, o que pode indicar desvio de finalidade. O Ministério Público Eleitoral informa que extrairá cópia dos autos para investigação dos fatos”, afirma o documento da Procuradoria Eleitoral sobre a prestação de contas de Bivar ao qual o jornal O Estado de S. Paulo teve acesso.

Na época da contratação, a distribuição dos valores recebidos via fundo eleitoral para os candidatos do PSL, conforme ata do partido registrada na Justiça Eleitoral, era de responsabilidade do atual ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, que presidiu a legenda durante a campanha eleitoral.

O ministro é o epicentro de uma crise instalada no governo Bolsonaro, depois de suspeitas de irregularidades no uso do dinheiro do Fundo Partidário e de o filho do presidente, Carlos Bolsonaro, chamá-lo de mentiroso por Bebianno ter afirmado que conversou com Bolsonaro sobre o tema.

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, as notas fiscais apontam que a empresa teria prestado serviços de produção de vídeo para a campanha de Bivar. O telefone registrado pela empresa na Receita Federal é o mesmo do escritório de advocacia Rueda e Rueda, no Recife, que não explicou se divide o espaço com a Nox nem qual sua ligação com a família Bivar. Um dos sócios do escritório de advocacia é Antonio Rueda, presidente do diretório do PSL de Pernambuco no período eleitoral. Outra empresa em que Cristiano Bivar é sócio, a Mitra Participações, aluga salas para o diretório do PSL no Recife.

Campanha - Bivar é presidente do PSL desde 1998 e, atualmente, ocupa o cargo de segundo-vice-presidente da Câmara. O parlamentar, que deixou o comando da sigla apenas durante a eleição a pedido de Bolsonaro para dar lugar a Bebianno, foi candidato a presidente da República em 2006. Ele foi um dos parlamentares que mais receberam valores do fundo eleitoral. Dos R$ 9,2 milhões recebidos pelo PSL, a campanha do deputado amealhou R$ 1,8 milhão, o que representa 19,5% da totalidade.

Na prestação de contas de campanha, a Nox Entretenimentos, do filho de Bivar, aparece na segunda colocação entre as empresas que mais receberam. Em primeiro lugar está a Vidal Assessoria e Gráfica Ltda., de Luis Alfredo Vidal Nunes da Silva, que é vogal (dirigente com direito a voto) do PSL de Pernambuco. A gráfica está sediada em Amaraji, na Zona da Mata do Estado.

Especialistas ouvidos pelo jornal O Estado de S. Paulo disseram não haver proibição legal na contratação de empresas de familiares com dinheiro do Fundo Partidário, mas afirmaram que a citação a um possível “desvio de finalidade” significa que a Procuradoria Eleitoral vai investigar se os serviços foram efetivamente prestados e a preços de acordo com o mercado.

O deputado federal Luciano Bivar afirmou, por meio da assessoria, que a contratação da Nox Entretenimentos se “deveu ao fato de ela ter oferecido o menor preço para produzir os vídeos da campanha” e que “há contrato, notas fiscais, tudo perfeitamente legalizado”. Sobre as salas em que fica a sede do PSL em Pernambuco, o deputado disse que “o aluguel é em forma de comodato e que, na verdade, ele empresta a sala para o partido, sem custo”.

O filho do presidente do PSL, também via assessoria do deputado, declarou que sua empresa foi contratada por vários candidatos e que, no caso de seu pai, prestou serviços de produção de vídeos, jingles e decoração do comitê. Cristiano Bivar disse ainda que, para desempenhar essa função, também pagou “o projeto arquitetônico, som, palco, projetor, gerador de energia, diesel, mobiliário e as gravações para o programa gratuito de TV”.

A Nox Entretenimentos, por e-mail, afirmou que o serviço foi efetivamente prestado e a preço de mercado. “Inexiste impeditivo legal na contratação. Tendo inclusive as contas do candidato sido aprovadas sem ressalva pelos órgãos competentes”, afirmou a empresa.

Gesto nobre: Tonho de Belo pede Perdão a Carla de Zé de Vilaço

Na manhã desta sexta (15), em entrevista na Rádio Marano, Belo justificou 
o seu pedido de desculpas: “Qual é o ser humano que nunca errou?”.

O vereador Tonho de Belo do Cal (PSDB) admitiu ter errado e pediu perdão a Vereadora Carla Patricia (PTB), a Carla de Zé de Vilaço. O Parlamentar esteve hoje pela manhã, dia 15, no programa o Arraiá de Glaúcio Costa, veiculado pela Marano FM, para reconhecer o erro e se justificar junto a Vereadora, bem como aos familiares, sobretudo ao ex-vereador Zé de Vilaço, pai de Carla.

“Qual é o ser humano que nunca errou?”, questionou Tonho, complementando em seguida: “estou aqui para pedir desculpas a Vereadora Carla de Vilaço (...); pedir perdão, em público, primeiro a Deus, e a Vereadora Carla, porque eu já conversei com toda a (sua) família”, registrou Tonho de Belo, com a voz engasgada pela emoção.

A polêmica foi gerada após a gravação de uma conversa informal entre Vereadores e Assessores, que segundo Tonho de Belo teria acontecido no gabinete do vereador Professor Márcio (PHS), dentro da Câmara de Vereadores, ter vindo a público através do aplicativo WhatsApp. Na ocasião, Belo do Calcensurou posturas dos vereadores Alcindo Correia (PCdoB); Daniel da Silva (PSC) e atingiu diretamente a ex-presidente da Câmara, a vereadora Carla de Zé de Vilaço.
.

Em resposta aos comentários do Vereador, levados ao conhecimento público pela viralização do áudio no aplicativo de celulares, a Vereadora Carla Albuquerque emitiu uma Nota de Repúdio, em que registrou que Tonho de Belo ocupa “indignamente a nobre função de Vereador”, haja vista ter, no áudio, “me acusando de forma direta de adultério e prostituição”, chamou a atenção a Vereadora, que garantiu acionar judicialmente Tonho de Belo para que “possa responder criminalmente pelos atos de injúria e difamação contra a minha pessoa”, afirmou Carla, em nota distribuída a Imprensa.

TONHO TAMBÉM VAI A JUSTIÇA – Ainda durante a entrevista ao radialista Gláucio Costa, o vereador Tonho de Belo registrou que as citações aos outros dois Vereadores (Alcindo Correia e Daniel da Silva) não passaram de uma brincadeira, que costumeiramente faz na Câmara. Ele também garantiu que vai acionar a Justiça para “saber se teve alguma armação, porque a gente tem que desvendar esse problema, que mais afetou a Vereadora Carla Vilaça”, pontuou Tonho de Belo.

          Com informações do Blog do Carlos Eugênio.
.

Câmara de Vereadores cancela licitação para aluguel de veículos

Antes da decisão de Daniel da Silva, cinco Vereadores já haviam oficializado que não 
gostariam de contar com os veículos a disposição dos seus Gabinetes. (Blog do Carlos Eugênio)

Depois de muita polêmica e de certo desgaste junto a população, o Presidente da Câmara de Vereadores de Garanhuns, Daniel da Silva (PSC) resolveu revogar a Licitação cujo objetivo era contratar Empresa para prestação de Serviços de Transporte, mediante locação de veículos 0km para os serviços da Casa Raimundo de Moraes. A Informação foi repassada, com exclusividade, pelo programa Falando com o Agreste, que vai ao ar de segunda a sexta, sempre das 12 as 13 horas, na Rádio Marano FM.

De acordo com Aviso de Licitação publicado no Diário Oficial dos Municípios (AMUPE), a abertura das propostas  do Processo nº 001/2019 aconteceria no próximo dia 18 de fevereiro. A Contratação tinha por objetivo facilitar o deslocamento para apoio das atividades e atribuições inerentes à Câmara Municipal e aos Gabinetes dos treze Vereadores. Antes da decisão de Daniel da Silva, cinco Vereadores já haviam oficializado que não gostariam de contar com os veículos a disposição dos seus Gabinetes. 

Alepe: Sivaldo enaltece ex-prefeito de Garanhuns, Ivo Amaral

Em discurso na Assembleia, socialista lembrou, entre outras realizações de “Seu Ivo” a criação do Festival d
Inverno de Garanhuns (FIG) e a construção do principal ponto turístico da cidade, o Relógio das Flores.

O deputado Estadual Sivaldo Albino (PSB) parabenizou, em discurso na Reunião Plenária, o ex-prefeito de Garanhuns Ivo Amaral, que completou 85 anos na última quarta (13). Para ele, o político – que também foi vereador, vice-prefeito e deputado estadual – deixou como marca de atuação “não apenas obras e ações, mas também a luta pelo desenvolvimento de Garanhuns e do Agreste”.

O socialista lembrou, entre outras realizações de “Seu Ivo” (como é conhecido), obras de infraestrutura, a criação do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG) e a viabilização da construção do principal ponto turístico da cidade, o Relógio das Flores. “Amaral teve o privilégio de operar com muita competência a passagem de Garanhuns de cidade pequena para de porte médio, nacionalmente conhecida”, salientou.

Para Albino, o ex-prefeito é, além disso, “um visionário, conselheiro, orientador e amigo”. “Desejo que o nosso divino criador ainda conceda a ele muitos anos de vida, para que, com sua lucidez e experiência, continue dando grande contribuição ao desenvolvimento da nossa cidade e para melhorias na qualidade de vida do povo”, emendou.

No mesmo pronunciamento, Albino registrou o aniversário de 91 anos de Ivan Rodrigues, que participou das gestões dos ex-governadores Miguel Arraes e Eduardo Campos. E lembrou que o músico José Domingos de Moraes, o Dominguinhos completaria na última terça-feira (12), 78 anos, se vivo estivesse . O sanfoneiro, falecido em 2013, foi, segundo o deputado, seu “mais ilustre conterrâneo”.