sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

SUPER SALÁRIO: Remuneração a juíza do Tribunal de Justiça de Pernambuco chega a mais de R$ 1,2 milhão em novembro

Salário-base da magistrada é de apenas R$ 33.689,11; valor infinitamente menor que a cifra que 
chegou a sua conta; que é resultado do pagamento de férias acumuladas; segundo informou o TJPE.

As contas no Tribunal de Justiça de Pernambuco estão em dias e de vento em popa. Isso porque juízes e desembargadores receberam rendimentos líquidos em novembro que chegam até a R$ 853 mil. Os números brutos são ainda mais exorbitantes. A quantia paga à uma Juíza da Capital é de R$ 1.298.550,56. A cifra alta é resultado do pagamento de férias acumuladas, segundo o TJPE. O caso foi revelado com exclusividade pelo jornal Folha de São Paulo, na última quarta-feira, dia 11 de dezembro.

A média dos valores recebidos por 53 desembargadores incluídos na folha de pagamento do mês passado, já com os descontos obrigatórios, é de R$ 206.411,00. Os dados indicam que 25 desembargadores (47,1%), receberam acima de R$ 200 mil. Já treze, ou 24,5% dos efetivos, ganharam em novembro mais de R$ 300 mil líquidos.  Quatro ganharam mais de R$ 400 mil e um acima de R$ 600 mil. A folha de pagamento do Tribunal aponta ainda que 77,3% dos Desembargadores receberam neste mês acima de R$ 100 mil líquidos. Apenas 12 deles, ou 22,6%, obtiveram rendimento inferior a este valor.

No topo da lista está a juíza Marylusia Pereira Feitosa de Araújo, que atua na Vara de Violência Contra a Mulher, no Recife. O rendimento bruto da magistrada em novembro foi de R$ 1.298.550,56. De acordo com dados do TJ-PE, ela recebeu R$ 1.251.328,5 apenas de “vantagens eventuais”. Mas, o salário-base dela é R$ 33.689,11. Neste item, estão inclusos o “abono constitucional de um terço das férias, indenização de férias, antecipação de férias, gratificação natalina, antecipação de gratificação natalina, serviços extraordinários, substituição, pagamentos retroativos, além de outras desta natureza". O presidente do TJ-PE, desembargador Adalberto de Oliveira Melo, foi o 20º magistrado com maior rendimento. Ele obteve R$ 331.100 líquidos em novembro.

Com informações da Folha de São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário