quinta-feira, 7 de novembro de 2019

Em 2015, Sivaldo defendeu o impeachment de Dilma e a prisão de Lula

No ano em questão, deputado participou de ato de protesto aqui em Garanhuns onde tremulavam 
duas faixas, uma com os dizeres: "Fora Dilma", e a outra com o texto: “Justiça: Lula na cadeia”. 

Quem certa vez teve a infelicidade de dizer que o Brasileiro tem memória curta, errou feio. Aqui em Garanhuns, por exemplo, ninguém esquece que apesar de hoje se dizer aliado do PT, o deputado estadual Sivaldo Albino (PSB), em passado recente (2015), foi as ruas do município defender a prisão de Lula (então investigado pela Lava Jato) e ainda reivindicar o impeachment da ex-presidente Dilma Roussef, ambos do PT.

Na ocasião, Sivaldo e os demais integrantes da mobilização, deixaram claro que eram contra a maneira como o PT conduzia o país; daí o motivo de pedir a saída de Dilma.

Quanto ao ex-presidente Lula, que é filho de Garanhuns, desde aquela oportunidade, Albino já o considerava corrupto, pois do contrário ele não teria participado de um ato de protesto onde tremulava uma faixa com os seguintes dizeres: “O Povo de Garanhuns e Região pede desculpas ao Brasil pelo filho corrupto – Justiça: Lula na cadeia”.
.

Nos últimos dias, aliados de Sivaldo vem lembrando a população que o Prefeito Izaías Régis votou em Bolsonaro ano passado. A ideia tem por objetivo, desgastar politicamente o chefe do executivo, haja vista a alta rejeição do presidente aqui na cidade. E não fica apenas nisso, pois na prática eles também querem capitalizar o eleitorado de Lula.

Apesar dessa investida, é bom lembrar; o PT tem o seu pré-candidato a Prefeito de Garanhuns; que é Pedro Veloso. Por isso, é possível dizer que, na eventualidade de Lula ser solto, abonar a postulação de Pedro e ainda lembrar aos Garanhuenses que 29 dos 32 deputados federais do PSB de Sivaldo votaram a favor do impeachment de Dilma na Câmara; o eleitorado Lulista tende a migrar para Pedro. Dito isso, resta saber como Veloso se comportará daqui para frente. Seguirá na disputa, ou se transformará em aliado de outro candidato? Nos dois casos; registramos, o petista passa a ser o fato novo da eleição 2020.

         SE MANTEVE NO SEU LUGAR – Apesar de ter votado em Bolsonaro, vale o registro, ao contrário de Sivaldo, Izaías não foi as ruas apoiar o impeachment de Dilma ou mesmo reivindicar a prisão de Lula; conduta que na corrida eleitoral do próximo ano poderá ser decisiva; resta saber se a favor ou contra o atual chefe do executivo.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário