terça-feira, 12 de novembro de 2019

Taxa de juros do cheque especial da Caixa é cortada pela metade

Anuncio da redução foi feito
nesta terça-feira (12).

A Caixa Econômica Federal (CEF), decidiu cortar a taxa de juros do cheque especial pela metade. Dos atuais 9,99%, ela foi reduzida para 4,99%. O comunicado foi divulgado na manhã desta terça-feira, dia 12.

De acordo com dados do Banco Central, na semana encerrada em 29 de outubro, o juro do cheque especial era de 9,41%. Desde que a taxa básica de juros (Selic) entrou em queda, na qual está em 5% ao ano, o custo do cheque especial pouco se mexeu.

A taxa média cobrada pelos bancos privados é maior que os 9,99% cobrados pela Caixa Econômica Federal. A taxa média do cheque especial é de 12,4% ao mês, a mais cara do sistema financeiro.

Inadimplência - Apesar dos bancos lançarem uma iniciativa de autorregulação em que ofereciam crédito alternativo para que o cliente trocasse o cheque especial por um mais barato, a inadimplência voltou a subir. Em setembro, ela estava em 15,6%, só menor que a do rotativo do cartão de crédito, que estava em 36,1%.


Bolsonaro edita medida que extingue DPVAT e DPEM a partir de 2020

Acidentes ocorridos até 31 de dezembro seguem cobertos pelo seguro. Governo diz que medida 
visa evitar fraudes e extinguir os elevados custos de supervisão e de regulação de ambos os seguros.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, anunciou nesta segunda-feira (11) a edição de uma medida provisória que extingue o seguro obrigatório DPVAT e o DPEM a partir de 2020. O primeiro indeniza vítimas de acidente de trânsito e o segundo vítimas de danos causados por embarcações.

"A Medida Provisória tem o potencial de evitar fraudes no DPVAT, bem como amenizar/extinguir os elevados custos de supervisão e de regulação do DPVAT por parte do setor público (Susep, Ministério da Economia, Poder Judiciário, Ministério Público, TCU), viabilizando o cumprimento das recomendações do TCU pela SUSEP", informou o governo em nota.

O anúncio foi feito em cerimônia no Palácio do Planalto de lançamento de programa que tenta estimular a contratação de jovens. A medida provisória, porém, não está relacionada ao programa.

A medida provisória que acaba com o DPVAT e com o DPEM entra em vigor assim que for publicada no "Diário Oficial da União". Porém, se não for aprovada pelo Congresso em 120 dias perde a validade.

Sobre o seguro DPEM, o governo diz não haver seguradora que o oferte e que o mesmo está inoperante desde 2016.

Porém, relacionado ao DPEM, "há o Fundo de Indenizações do Seguro (FUNDPEM), cujo responsável é a Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias (ABGF) e tem por objetivo indenizar os acidentes causados por veículos não identificados e inadimplentes".

De acordo com a Seguradora Líder, gestora do DPVAT, no primeiro semestre de 2019 foram pagas:

18.841 indenizações por morte;
103.068 indenizações por invalidez permanente;
33.123 indenizações para despesas médicas.

De acordo com o governo, a medida não vai desamparar os cidadãos em caso de acidentes, já que o Sistema Único de Saúde (SUS) presta atendimento gratuito e universal na rede pública.

"Para os segurados do INSS, também há a cobertura do auxílio-doença, aposentadoria por invalidez, auxílio-acidente e de pensão por morte. E mesmo para aqueles que não são segurados do INSS, o Governo Federal também já oferece o Benefício de Prestação Continuada – BPC, que garante o pagamento de um salário mínimo mensal para pessoas que não possuam meios de prover sua subsistência ou de tê-la provida por sua família, nos termos da legislação respectiva", afirma o governo.

Os acidentes ocorridos até 31 de dezembro ainda seguem cobertos pelo DPVAT, de modo que a atual gestora do seguro, a Seguradora Líder, continuará até 31 de dezembro de 2025 responsável pelos procedimentos de cobertura dos sinistros ocorridos até 31 de dezembro de 2019. Após o dia 31 de dezembro de 2025, a União sucederá a seguradora nos direitos e obrigações envolvendo o DPVAT.

Segundo o governo, o Consórcio do DPVAT contabiliza um total de R$ 8,9 bilhões; sendo que o valor estimado para cobrir as obrigações efetivas do seguro até o fim de 2025 é de aproximadamente R$ 4,2 bilhões. "Quanto ao valor restante, cerca de R$ 4,7 bilhões, para o qual não há previsão de pagamento de indenização, será destinada, em um primeiro momento, à Conta Única do Tesouro Nacional, sob a supervisão da SUSEP, em três parcelas anuais de R$ 1,2 bilhões, em 2020, 2021 e 2022. Tais parcelas são suficientes para compensar as estimativas de repasse ao SUS e ao Denatran, em atendimento ao art. 14 da Lei de Responsabilidade Fiscal", explica o governo em nota.

O governo afirma que, caso a seguradora Líder não esteja atendendo aos interesses públicos na defesa dos recursos remanescentes do DPVAT, a Susep deverá transferir as pendências para outra administradora.

Em 2019, o valor a ser pago pelo seguro DPVAT varia de R$ 16,21 (automóveis e camionetas ​​particulares /oficiais, missão diplomática, corpo consular e órgão internacional, táxis, carros de aluguel e aprendizagem) a R$ 84,58 no caso de motos e similares.

Por lei, o DPVAT protege motoristas, passageiros e pedestres em caso de acidente de trânsito em todo o território nacional. As indenizações podem ser requeridas em casos de: morte, invalidez permanente ou para pagamento de despesas médicas suplementares.

No ano passado foram arrecadados R$ 4,6 bilhões com o seguro obrigatório DPVAT. Do valor arrecadado:

45% foram usados no financiamento do SUS: R$ 2,1 bilhões;

5% foram usados pelo Denatran para financiamento de programas de educação no trânsito: R$ 233,5 milhões;

50% foram usados para pagamentos de prêmios do DPVAT: R$ 2,3 bilhões.

Também em 2018, de acordo com a seguradora Líder, foi pago um total de R$ 1,9 bilhões em 328.142 indenizações. Foram identificados também 11.898 casos de fraude no seguro. De 2008 a 2018, o Fundo Nacional de Saúde (do SUS) recebeu R$ 33,3 bilhões do DPVAT.

         Com informações do G1 Política

Decisão de Bolsonaro de acabar com DPVAT atinge em cheio os negócios do Deputado Federal Luciano Bivar

Presidente do PSL é controlador de seguradora que intermediou o pagamento, 
de janeiro a junho de 2019, de R$ 168 milhões em indenizações relacionadas ao seguro.

BRASÍLIA - A decisão do presidente Jair Bolsonaro de editar uma medida provisória que extingue, a partir de janeiro de 2020, os seguros obrigatórios DPVAT e DPEM vai atingir em cheio os negócios do presidente do PSL, deputado Luciano Bivar (PE).

Atual desafeto do presidente da República, Bivar é o controlador e presidente do conselho de administração da seguradora Excelsior, uma das credenciadas pelo governo para cobertura do seguro DPVAT. A empresa intermediou o pagamento, de janeiro a junho de 2019, de R$ 168 milhões em indenizações relacionadas ao seguro, segundo relatório de auditoria da Líder DPVAT. 

A empresa de Bivar detém cerca de 2% da Seguradora Líder, consórcio que administra o DPVAT. A Líder tem o direito de exclusividade, garantido por lei, para atuar nas indenizações de pagamentos de seguros aos acidentados no País.

A Excelsior Seguros foi adquirida por Bivar na década de 1990.  Em seu site, a Excelsior se declara a maior seguradora do Nordeste. Bivar também não se manifestou até a publicação deste texto. Em 2017, Luciano Bivar assumiu o mandato de deputado federal na suplência de um parlamentar do PSB que se licenciou para assumir uma secretaria no governo de Pernambuco. Desde então, passou a defender na Câmara os interesses das seguradoras.

Um dos projetos em que Bivar atuou visava impedir que o consumidor tivesse o direito de escolher em qual oficina levar o carro em caso de cobertura de danos ao veículo ao acionar o seguro. Outro projeto, apresentado por ele próprio, garantia que as seguradoras apresentassem suas próprias oficinas referenciadas aos clientes.  Segundo relatório interno da empresa de Bivar ao qual o Estado teve acesso, a seguradora tinha, em 2018, um patrimônio líquido de R$ 50 milhões, enquanto a provisão de sinistros, para aquele ano, era de R$ 111 milhões.

A empresa do deputado federal detém cerca de 2% da Seguradora Líder, consórcio que administra o DPVAT. A Líder tem exclusividade, garantida por lei, para atuar nas indenizações de pagamentos de seguros a acidentados no País.  Os sinistros ocorridos até 31 de dezembro deste ano seguem cobertos pelo DPVAT. Em nota divulgada a respeito da Medida Provisória, o Palácio do Planalto informou que a proposta não desampara cidadãos no caso de acidentes, "já que, quanto às despesas médicas, há atendimento gratuito e universal na rede pública, por meio do SUS".

"Para os segurados do INSS, também há a cobertura do auxílio-doença, aposentadoria por invalidez, auxílio-acidente e de pensão por morte. E mesmo para aqueles que não são segurados do INSS, o governo federal também já oferece o Benefício de Prestação Continuada (BPC), que garante o pagamento de um salário mínimo mensal para pessoas que não possuam meios de prover sua subsistência ou de tê-la provida por sua família, nos termos da legislação respectiva", continua a nota.

          Com informações do Jornal Estadão

Recife: PEC que aumenta valor de emendas parlamentares é acatada em Segunda Discussão na Assembleia Legislativa

Texto final aprovado nesta terça difere daquele acatado em Primeira Discussão,
quando se previa a criação das emendas de Comissões Permanentes.

O Plenário da Alepe aprovou nesta terça (12), em Segunda Discussão, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) n° 4/2019, que aumenta, progressivamente, os valores das emendas parlamentares impositivas. De acordo com o texto acatado pelos 40 deputados presentes, o montante a ser reservado para esse fim passará de 0,3% da Receita Corrente Líquida (RCL) do Estado para 0,4% já na Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2020. O valor será ampliado para 0,43% na LOA 2021, chegando 0,5% na de 2022.


Foi suprimido da matéria, no entanto, o parágrafo que previa a responsabilização da autoridade competente em caso de descumprimento dessa obrigação, nos termos da legislação federal que trata dos crimes de responsabilidade. A votação separada desse trecho se deu a pedido do líder do Governo, deputado Isaltino Nascimento (PSB). Ao todo, 30 parlamentares apoiaram o requerimento do governista, enquanto que 12 não.

Segundo Nascimento, além da norma federal, as Constituições Federal e Estadual já preveem sanções. “Tivemos que fazer uso do artifício da votação em destaque porque não foi possível atingir um consenso na Casa, que é um ambiente de diálogo”, afirmou. “O parágrafo é desnecessário e redundante”, acrescentou o deputado Tony Gel (MDB).
.

Autor da proposta original, o deputado Alberto Feitosa (SD) foi contra a supressão do texto. De acordo com o parlamentar, não houve a liberação de recursos para essas emendas em 2019. “Não se paga emenda parlamentar em Pernambuco. A retirada do trecho que trata da responsabilização do chefe do Poder Executivo apequena esta Casa”, argumentou. O entendimento foi compartilhado pelo líder da Oposição, deputado Marco Aurélio Meu Amigo (PRTB): “O que eles chamam de redundância, nós chamamos de ênfase para que a regra seja realmente cumprida”. 

O texto final aprovado nesta terça difere daquele acatado em Primeira Discussão, quando se previa a criação das emendas de Comissões Permanentes. Agora, a proposta seguirá para votação em Redação Final para, então, ser promulgada pela Mesa Diretora. Relator da PEC durante a tramitação na Comissão de Justiça, o deputado Romário Dias (PSD) elogiou o resultado final. “A discussão é sempre salutar, porque demonstra o vigor da Casa. A Assembleia demonstrou que tem sua autonomia e sempre procura seguir o caminho do entendimento”, avaliou.

Déficit: Mais de 10% das delegacias de Pernambuco não têm delegados

Para tentar minimizar o problema, delegados de outros municípios – principalmente no Interior 
– se reversam viajando para as cidades que não estão com os profissionais de segurança.

Na posse dos quase 140 novos delegados, em fevereiro de 2018, o governador Paulo Câmara anunciou que, enfim, todas as delegacias de Pernambuco iriam contar com um delegado titular. Menos de dois anos se passaram, mas a promessa já não está mais sendo cumprida. E o déficit de profissionais só aumenta. Um levantamento inédito do Ronda JC, por meio da Lei de Acesso à Informação, revela que das 359 delegacias registradas pela Polícia Civil, 42 não contam com delegados; o que representa 11,7% das unidades policiais.

Para tentar minimizar o problema, delegados de outros municípios – principalmente no Interior – se reversam viajando para as cidades que não estão com os profissionais de segurança. Na prática, fazem o socorro de um lugar, mas deixam outro descoberto. Cerca de 30 delegados vivem essa realidade de acumular o trabalho de outras delegacias.

Os dados ainda mostram que, apesar do estardalhaço nos anúncios de mais investimentos, ainda há muitas ações que seguem no papel. Uma delas tem relação com a promessa de mais repressão no combate ao tráfico de drogas. Lá atrás, o Governo do Estado afirmou que seriam criadas novas delegacias ligadas ao Departamento de Repressão ao Narcotráfico (Denarc). O tempo passou, as unidades foram “entregues”, mas estão sem delegados. Há dois exemplos: em Goiana, na Região Metropolitana do Recife, e em Arcoverde, no Sertão do Estado.
.

Ao menos nove delegacias (duas delas citadas acima) não contam nem com delegado titular, nem com delegado “visitante”, digamos assim. São elas: três delegacias localizadas na Central de Plantões da Capital, no Recife; a Delegacia Seccional de Arcoverde (delegado Israel Rubis foi transferido, num ato considerado político pelo Ministério Público); as delegacias de Itaíba, Tupanatinga e a de Plantão de Petrolina.

As outras delegacias que estão sem delegados titulares são as de São Vicente Ferrer, Rio Formoso, Jaqueira, Belém de Maria, São Benedito do Sul, Lagoa dos Gatos, Barra de Guabiraba, Tacaimbó, Poção, Vertente do Lério, Frei Miguelinho, Brejão, Terezinha, Manari, Iguaraci, Santa Terezinha, Solidão, Ingazeira, Quixaba, Triunfo, Calumbi, Jataúba, Carnaubeira da Penha, Salgueiro, Serrita, Ouricuri, Santa Cruz da Mata, Granito, Orocó, Dormentes, Serra Talhada. O Denarc do Cabo de Santo Agostinho e a Delegacia da Mulher de Surubim também estão com o mesmo problema.

PC NÃO SE PRONUNCIA - Desde a última sexta-feira (08), o Blog Ronda JC, que é o auor desta matéria, solicitou uma entrevista com o chefe da Polícia Civil, Joselito Kehrle, ou um posicionamento oficial sobre o problema. Até a publicação da matéria, na manhã desta terça-feira (12), nenhuma resposta foi dada pela assessoria de imprensa da Polícia Civil. Na reportagem desta terça-feira, o blog publica um raio-x sobre a situação no Interior do Estado – mais afetado pela falta de estrutura nas delegacias e pelo déficit de delegados.

Com informações do Blog Ronda JC

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Jucati: Ministério Público de Pernambuco recomenda que prefeito não realize promoção pessoal em festividades públicas

De acordo com o MP, o descumprimento da recomendação implicará a tomada das 
medidas legais cabíveis, inclusive quanto à prática de ato de improbidade administrativa.

Após tomar conhecimento que o prefeito de Jucati, Ednaldo Peixoto, promoveu seu nome e sua imagem em festividades custeadas com verbas públicas, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por meio da Promotoria de Justiça de Jupi, recomendou que ele se abstenha de vincular seu nome ou inicial de seu nome, bem como o gesto referente ao seu nome, em ações, programas, serviços e obras da administração municipal.

O chefe do executivo municipal deverá ainda remover imediatamente, às suas expensas, sem uso de recursos públicos, sua imagem, nomes, cores ou símbolos em prédios públicos ou site que configurem promoção pessoal ou de qualquer agente público.

Segundo a recomendação, o prefeito Ednaldo Peixoto exibiu seu nome e imagem em propagandas nas festas da Padroeira Nossa Senhora das Neves e da Emancipação Política do município, em setembro deste ano, ambas custeadas com verbas públicas. Além disso, o gestor veicula imagens com a letra inicial de seu nome, vinculando as ações e serviços efetivados na sua administração a sua pessoa, caracterizando promoção pessoal.

“A publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridade ou servidores públicos. É a administração pública, e não seus agentes, a única e verdadeira autora dos atos estatais”, explicou a promotora Larissa Albuquerque, na publicação.

O descumprimento da recomendação implicará a tomada das medidas legais cabíveis, inclusive quanto à prática de ato de improbidade administrativa.

Com informações oficiais do Ministério Público de Pernambuco

Governo propõe o fim de municípios com menos de 5 mil habitantes

Pela proposta, esses municípios terão que ser 
incorporados pelo município vizinho.

O governo quer acabar com municípios com menos de 5 mil habitantes e com arrecadação própria menor que 10% da receita total, o que é visto como indício de baixa sustentabilidade financeira. A ideia é que eles sejam incorporados por municípios vizinhos em 2025, o que significa que não haveria eleição local em 2024. A criação de novas cidades também passará a depender da comprovação da sustentabilidade financeira da prefeitura.

A avaliação do governo é que foram criados muitos municípios sem sustentabilidade financeira, mas que acabam mantendo uma máquina de cargos e salários considerável, com prefeitura, secretarias e câmara de vereadores.

A proposta deve enfrentar resistências no Congresso , sobretudo na Câmara, onde deputados muitas vezes estimulam a criação de novos municípios para dar poder a seu grupo político local e fazer um contraponto a um prefeito que é de oposição.

Segundo a estimativa mais recente do IBGE, 1.254 municípios brasileiros têm menos de 5 mil habitantes. Nem todos eles são de imediato passíveis de fusão. Haverá um processo, regido por lei ordinária a ser aprovada no Congresso, para estabelecer o passo a passo da medida. “As próximas eleições (de 2020) não será afetadas”, garantiu o assessor especial do Ministério da Economia Rafaelo Abritta. Segundo os critérios do IBGE, estes são os municípios com menos de 5 mil habitantes.

O governo ainda vai aguardar os dados mais precisos do Censo Demográfico de 2020 para mapear exatamente quais cidades entram na linha de corte de número de habitantes. Esses dados devem ficar disponíveis já em 2021.

O passo seguinte é aferir a sustentabilidade financeira desses municípios, realidade hoje desconhecida do governo federal de forma detalhada. A ideia é obter dados para verificar quais cidades possuem arrecadação própria com tributos (como IPTU) menor que 10% do total da receita, ou seja, são dependentes de repasses federais e estaduais.

A medição da sustentabilidade financeira ocorrerá em 1º de julho de 2023. A lei estabelecerá como será esse processo de avaliação, mas a ideia preliminar é que sejam os Tribunais de Contas Estaduais e Municipais a determinar o cumprimento ou não das condições fiscais para a permanência do município.

A cidade com o melhor índice de sustentabilidade financeira vai incorporar os demais que se enquadrarem nas linhas de corte. “Ele poderá incorporar até 3 municípios limítrofes, ou seja, teremos a fusão de no máximo quatro municípios”, explicou Abritta.

A proposta do governo também coloca na Constituição a verificação de sustentabilidade financeira como condição prévia à criação de um novo município. Hoje basta um plebiscito e uma estimativa de população superior a 10 mil habitantes ou não inferior a 0,005% da população estadual, entre outros requisitos (nenhum envolvendo as contas da nova prefeitura). “Para criar município, será necessário comprovar que é sustentável financeiramente”, frisou o assessor especial.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu a extinção dos municípios. Para ele, a proliferação de municípios criou desequilíbrios. “Do ponto de vista fiscal, municípios não podem ser grandes ou pequenos demais”, afirmou. Ele ponderou, no entanto, que o Congresso poderá decidir o tamanho mínimo dos municípios.

Plano mais Brasil - Guedes e o presidente Jair Bolsonaro entregaram na última semana ao Congresso Nacional as primeiras de uma série de propostas com a sua digital. Essa nova fase de reformas, batizada de Plano mais Brasil, é a principal tentativa da equipe econômica para mudar a gestão das contas públicas nas três esferas de governo, com a criação de um novo marco institucional para o País quase 20 anos depois da aprovação da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

          Com informações do Estadão

Urgente: Após pressão, Evo Morales renuncia a Presidência da Bolívia

Ao renunciar, Evo classificou a situação como um golpe. "Lamento muito esse golpe cívico, e de 
alguns setores da polícia que se juntaram para atentar contra a democracia”, disse ele.

Evo Morales renunciou neste domingo (10) ao cargo de presidente da Bolívia, após uma escalada nas tensões no país. O anúncio foi feito em rede nacional, pela televisão. O vice-presidente, Álvaro García Linera, também apresentou a renúncia. "Decidi, escutando meus companheiros, renunciar ao meu cargo da presidência", disse Evo.

Logo em seguida, ele atacou seus opositores Carlos Mesa e Luis Fernando Camacho. "Por que tomei essa decisão? Para que Mesa e Camacho não sigam perseguindo meus irmãos dirigentes sindicais. Para que Mesa e Camacho não sigam queimando a casa dos governadores de Oruro e Chuquisaca."

Evo ainda classificou a situação como um golpe: "Lamento muito esse golpe cívico, e de alguns setores da polícia que se juntaram para atentar contra a democracia, contra a paz social com violência, com amedrontamento para intimidar o povo boliviano."

Depois de acusar a oposição de atos violentos, ele terminou: "Por essas e muitas razões, estou renunciando, enviando a minha carta renúncia à Assembleia Legislativa Plurinacional da Bolívia. Muito obrigado".

No fim da noite, Evo postou em rede social que um "oficial da polícia anunciou publicamente que recebeu instruções para executar um mandado de prisão ilegal" contra ele. "Grupos violentos assaltaram minha casa. O golpe destrói o estado de direito", denunciou.

Evo havia dito, mais cedo neste domingo (10), que convocaria novas eleições, após a Organização dos Estados Americanos, OEA, divulgar que as eleições de 20 de outubro haviam sido fraudadas. Ele lembrou isso em seu pronunciamento de renúncia: "De manhã cedo estivemos reunidos com alguns ministros e decidimos, inclusive, renunciar ao nosso triunfo para que novas eleições ocorram em toda a amplitude".

Não está claro como vão acontecer as novas eleições e nem se ele mesmo será candidato. Mais cedo, ao anunciar a nova votação, Evo disse que elas são importantes para que o povo boliviano possa eleger novas autoridades, "incorporando novos atores políticos".
.

Pouco antes da renúncia, os chefes das Forças Armadas e da Polícia, além da oposição, haviam pedido que Evo Morales deixasse o cargo para "pacificar" o país.

Carlos Mesa, um dos principais opositores, se pronunciou em uma rede social. "À Bolívia, ao seu povo, aos jovens, às mulheres, ao heroísmo da resistência pacífica. Nunca me esquecerei este dia único. O fim da tirania. Agradecido como boliviano por essa lição. Viva a Bolívia!"

Outras renúncias - Além de Evo Morales e do vice, Álvaro García Linera, outros dois na linha de sucessão renunciaram: Adriana Salvatierra, a presidente do Senado, e Víctor Borda, presidente da Câmara de Deputados.

A presidente do Supremo Tribunal Eleitoral da Bolívia, Maria Eugenia Choque Quispe, que havia deixado seu cargo na manhã de domingo, foi detida pela polícia após a renúncia do presidente.

Na noite de domingo, o chanceler mexicano Marcelo Ebrard anunciou em rede social que 20 integrantes do Executivo e Legislativo da Bolívia foram abrigados na residência oficial do embaixador mexicano em La Paz, e que ofereceria asilo a Evo se ele quisesse.

Nas fileiras do partido de Evo, o Movimento ao Socialismo, houve dezenas de renúncias a cargos públicos. Os prefeitos de Sucre, Potosí e Oruro deixaram seus cargos, bem como os governadores de Oruro, Potosí, Cochabamba, Bení, além dos ministros de Turismo, Tesouro, Mineração e Segurança, e vários deputados e senadores.

Possível sucessão - Ainda não está oficialmente definido quem assume a presidência boliviana. A senadora da Unidade Democrática (UD), Jeanine Añez, segunda vice-presidente do Senado, disse que está na linha de sucessão e cumpriria esse papel.

"Como nossa Constituição estabelece, estou na segunda vice-presidência, me corresponderia assumir esse desafio com o único objetivo de convocar novas eleições, pacificar o país e retorná-lo ao normal", disse a senadora a um canal de televisão.

Añez, que vive em Trinidad, disse que, para assumir o cargo de presidente, uma assembléia extraordinária deve ser convocada para aprovar as renúncias de Evo Morales e García Linera. "Espero que tenhamos quórum, porque o MAS tem dois terços na Assembleia", ponderou.
.

Governo de 13 anos - Evo Morales venceu as primeiras eleições presidenciais em 2005 e assumiu em 2006. Ele foi o primeiro presidente de origem indígena da Bolívia, fato que ele mesmo lembrou em seu pronunciamento de renúncia: "Nesse momento é importante dizer ao povo boliviano, é minha obrigação, como primeiro presidente indígena e presidente de todos os bolivianos, buscar essa pacificação".

Evo foi eleito pela segunda vez em 2009, pela terceira em 2014 e, então, decidiu disputar um quarto mandato seguido em 2019. Após renunciar, ele disse que ficará na cidade de El Chapare, em Cochabamba –ele negou rumores de que vai sair do país.
.

Eleições tumultuadas - A crise na Bolívia tomou maiores proporções após as eleições de 20 de outubro deste ano, quando Evo foi reeleito em primeiro turno.

Depois de uma apuração problemática, o órgão responsável por computar os votos apontou o seguinte resultado final:

Evo Morales: 47,07% dos votos
Carlos Mesa: 36,51%

Como a diferença entre Morales e Mesa foi de mais de 10 pontos percentuais, Evo foi reeleito para seu quarto mandato.

O resultado foi contestado pela oposição e, no dia 30 de outubro, a Bolívia e a OEA concordaram em realizar uma auditoria. Antes desses números serem publicados houve uma indefinição: inicialmente, havia um método mais rápido e preliminar de apuração, e um outro, definitivo e mais lento, onde se conta voto a voto. Os números dessas duas contagens começaram a divergir, e a apuração mais rápida, que indicava que haveria um segundo turno, foi suspensa.

Desde que Evo ganhou, a oposição tem ido às ruas em protestos. A polícia parou de reprimir as manifestações, e houve motins em quartéis do país. Na sexta (8) e no sábado (9) policiais bolivianos se amotinaram. O governo respondeu com um comunicado no qual denunciava um plano de golpe de Estado.

Recife: Morre, aos 64 anos de idade, o jornalista político Inaldo Sampaio

De acordo com parentes, Sampaio lutava contra um tumor
que começou na próstata e se espalhou pelo corpo.

O jornalista e comentarista político Inaldo Sampaio morreu aos 64 anos, na madrugada desta segunda-feira (11), no Recife. Sampaio lutava contra um câncer e passou mal no final da noite do domingo (10), quando foi socorrido para um hospital na capital pernambucana, segundo a família (veja vídeo acima).

Parentes contaram que Sampaio estava em casa, em recuperação devido ao tratamento do tumor, que começou na próstata e se espalhou. Ele passou mal na noite do domingo (10), foi socorrido para um hospital, mas não resistiu e faleceu na madrugada desta segunda. O corpo foi encaminhado para o Serviço de Verificação de Óbito (SVO), que vai determinar a causa da morte.

Inaldo Sampaio trabalhou por 12 anos no jornal O Globo e por 22 anos na coluna Pinga Fogo do Jornal do Commercio. Também passou pela Folha de Pernambuco e foi comentarista político do Bom Dia Pernambuco no inicio da década de 1990. Atualmente, era comentarista político na CBN, assinava coluna no Diário de Pernambuco e, há 24 anos, atuava na comunicação social do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Com informações do G1

A ideia de Izaías e o Sucesso de “A Magia do Natal” de Garanhuns 2019

A exemplo de anos passados, o Palácio Celso Galvão, sede do Poder Executivo 
Municipal, emociona a todos. Em 2019 ele representa o nascimento de Cristo.

Em sua sétima edição, o Natal de Garanhuns teve início na última sexta-feira, dia 8. O Evento se estenderá até o dia 6 de janeiro e terá diversas atrações. Uma idealização do Prefeito Izaías Régis, “A Magia do Natal” vem conquistando turistas de Pernambuco, do Nordeste e do Brasil, pois oferece uma opção de lazer para vivenciar os festejos natalinos que está ao alcance de quem quer curtir a época sem se deslocar para muito longe.

O Palácio Celso Galvão, sede do Poder Executivo Municipal, emociona a todos, com a representação do nascimento de Cristo. O prédio histórico apresenta o presépio montado com os animais, os reis magos, o pastor com a ovelha, todos indo ao encontro de Jesus, além de anjos anunciando o nascimento, e Maria e José na parte superior com o menino Jesus na manjedoura, totalmente iluminados, celebrando o verdadeiro sentido do Natal.
.

Durante a montagem da ornamentação, em média 120 pessoas, entre servidores da Prefeitura e contratados, trabalharam na confecção e manutenção de peças de personagens construídos com fibra de vidro, porcelana, madeira, ferro, entre outros materiais, espalhados nas praças, parques e pontos turísticos de Garanhuns.

No quesito iluminação, estão sendo utilizados mais de 30 mil metros de mangueira de LED, mais de 45 mil metros de cordão de LED estático, mais de 2 mil metros de fitas de LED’s, além de cerca de 500 tubos de iluminação com tecnologia de LED nos tamanhos variados, entre 20 centímetros a 1 metro. A decoração conta com mais de 1.000 piscas do tipo ‘Strobo’, e aproximadamente 500 peças de iluminação, sendo elas refletores, spots, lâmpadas e outros. São mais de 2 milhões de pontos de LED.
.

PROGRAMAÇÃO — A programação da festa trará grandes nomes da música nacional ao Palco Prefeitura, principal polo do evento, que concentra apresentações nas sextas-feiras, nos sábados e domingos do período. Além de corais, encenações teatrais, ballet, pastoris, xaxado e reisados, o polo, instalado em frente ao Palácio Celso Galvão, receberá os shows nacionais de Quinteto Violado (16/11); Adilson Ramos (23/11); Os Incríveis (30/11); Elymar Santos (07/12); The Fevers (14/12); Leonardo Sullivan (20/12); Marina Elali e Maestro Eduardo Lages (21/12); José Augusto (21/12) e Altemar Dutra Júnior (28/12)”.

          Com informações de Edmar Lyra e Fotos de Hilton Marques
.

sábado, 9 de novembro de 2019

Garanhuns: Magia do Natal 2019 é aberta com espetáculo de som e luz

Izaías: “Eu só tenho a agradecer, por ver a cidade lotada de turistas,
a cada ano, e movimentando a economia da população”.

A temporada 2019 do evento ‘A Magia do Natal’ foi aberta oficialmente na noite desta sexta-feira (8), em Garanhuns, no Agreste Meridional de Pernambuco. A festa, que segue com programação cultural até o dia 31 de dezembro e decoração temática até 06 de janeiro, reúne mais de 160 apresentações, entre atrações nacionais, regionais e locais. A cerimônia de abertura reuniu milhares de pessoas em frente ao principal polo do evento, o Palácio Celso Galvão, no centro da cidade. Durante o espetáculo, o público ainda conferiu o acender das luzes das principais vias de Garanhuns e a abertura das praças do Relógio de Flores e da Fonte Luminosa. São mais de 2 milhões de pontos de LED espalhados pela cidade. 

A abertura começou com a apresentação da Orquestra Manoel Rabelo (Omara), genuinamente garanhuense e reativada em 2013, que recebeu a plateia. A cantora Andrea Amorim e o ex-vocalista da banda Calcinha Preta, Rogério Valença, foram convidados especiais da Omara e apresentaram a música “How Can I Go On”, da banda britânica Queen. Em seguida, o prefeito Izaías Régis cumprimentou o público e destacou a relevância econômica, turística e cultural que o evento tem no calendário brasileiro. “Minha alegria em ver Garanhuns hoje me deixa sem palavras. Eu só tenho a agradecer, ver Garanhuns lotada de turistas, a cada ano, e movimentando a economia da população”, destacou.
.
.
O gestor também enalteceu e agradeceu aos envolvidos na produção da festa. “Já estamos na sétima edição desse grandioso Natal, que começou pequeno, mas com a ideia de ser grande, de crescer, e cresceu. Vejam quantas pessoas envolvidas e dedicadas para fazer esse Natal, que começou pelas mãos da minha esposa, Socorro Régis, e minha filha Michelle. Aqui no palco, agora, estão os artesãos. Mulheres e homens empenhados em deixar nossa festa tão bela, cheia de luz e encanto”, completou, em reverência ao grupo de artesãos.

No momento, também foram entregues placas em homenagem ao idealizador do evento, o prefeito Izaías Régis, e a equipe pioneira de ‘A Magia do Natal’, sendo a primeira-dama, Socorro Régis, a administradora e filha do gestor, Michelle Régis, a ex-secretária de Turismo, Gerlane Melo, a ex-secretária de Cultura, Cirlene Leite, a secretá ria de Comunicação Social, Jacqueline Menezes, e a associação da Casa do Artesão.
.

Durante a abertura, artistas em pernas de pau falaram sobre o nascimento de Jesus. O público também conferiu o espetáculo “João e Maria em um sonho de Natal”, que reuniu música, teatro, dança e literatura em uma só apresentação; produzido pela Companhia Fisa D’Arte, formada por Isabel Bortnik e Filipe Bortnik, a peça é uma adaptação natalina do conto de João e Maria, que vão à floresta em busca do Papai Noel e passam por diversas aventuras. Ao final do espetáculo, a cantora Andrea Amorim apresentou o Papai Noel de Garanhuns ao público e encantou quem estava presente com as músicas oficiais, criadas para a festa, sendo elas: “Papai Noel arrasando na avenida”, “Vem viver esse sonho” e “Bate o sino”.

Encerrando a noite, a atração surpresa, a cantora Amanda Back levou ao palco um show de Música Popular Brasileira (MPB) com Marcos Cabral e Aldecy Souza. O show contou com a participação dos cantores garanhuenses Belinha Lisboa, Celino Melo, Karla Cybele, Léo Barros e Paula Viller. Músicas como “Asa Morena” (Zizi Possi), “Trem das Onze” (Demônios da Garoa) e “Evidências” (Chitãozinho e Xororó) fizeram parte do repertório da apresentação.
.

Decoração — Quem chega pela principal via de acesso a Garanhuns, já pode encontrar o pórtico localizado na BR-423, decorado com detalhes dourados, amarelos e vermelhos. Ao longo da cidade, diversos pontos recebem ornamentação natalina, como a Praça Tavares Correia, em que o público pode encontrar o Relógio das Flores. A decoração do espaço conta com elementos tradicionais como árvores, guirlandas e presentes, a ornamentação também traz o cenário de uma antiga vila natalina com personagens e carros de época. O ponto turístico revela uma homenagem especial aos turistas que abraçam o evento, com personagens passeando pelo espaço. Ideal para fotografias, a praça conta com uma guirlanda gigante e túneis de espelhos que passam a ilusão de ótica com vários reflexos. Escorregos, balanços acessíveis para pessoas com deficiência física e outros brinquedos interativos. O incentivo à leitura também será trabalhado, com um cenário cheio de mensagens sobre a cidade. Estudantes da Rede Municipal de Ensino e o público em geral poderão conferir contações de histórias e intervenções literárias no local durante a festa natalina. Em frente à Praça Tavares Correia, um brilho especial toma conta da avenida Rui Barbosa, com árvores iluminadas e anjos que anunciam a chegada da festa.
.

Chegando à Praça Souto Filho, conhecida popularmente como Fonte Luminosa, o lado lúdico do Natal é percebido com um jardim cheio de flores, carrosséis, balanços, escorregos e casas em miniaturas, além da maior árvore de Natal da festa que, este ano, mede mais de 17 metros. Fadas, gnomos, duendes trazem a proposta do lado mágico da festa. A praça também trará iluminações de led, com portais iluminados. A Fonte Luminosa também trará uma mensagem de sensibilização quanto à preservação do meio ambiente.

Na avenida Santo Antônio, a temática religiosa está presente na decoração. Bíblias gigantes com versículos que contam o nascimento do menino Jesus também estão instaladas na avenida. Uma homenagem aos artistas de Garanhuns, com peças em formato de notas e instrumentos musicais com detalhes dourados também é vista. A Casa do Papai Noel, localizada em frente ao Palácio Celso Galvão, receberá as crianças, que poderão visitar o Bom Velhinho após os tradicionais desfiles durante os finais de semana.
.

O Palácio Celso Galvão, sede do Poder Executivo Municipal, emociona a todos, com a representação do nascimento de Cristo. O prédio histórico apresenta o presépio montado com os animais, os reis magos, o pastor com a ovelha, todos indo ao encontro de Jesus, além de anjos anunciando o nascimento, e Maria e José na parte superior com o menino Jesus na manjedoura, totalmente iluminados, celebrando o verdadeiro sentido do Natal.

Durante a montagem da ornamentação, em média 120 pessoas, entre servidores da Prefeitura e contratados, trabalharam na confecção e manutenção de peças de personagens construídos com fibra de vidro, porcelana, madeira, ferro, entre outros materiais, espalhados nas praças, parques e pontos turísticos de Garanhuns.

No quesito iluminação, estão sendo utilizados mais de 30 mil metros de mangueira de LED, mais de 45 mil metros de cordão de LED estático, mais de 2 mil metros de fitas de LED’s, além de cerca de 500 tubos de iluminação com tecnologia de LED nos tamanhos variados, entre 20 centímetros a 1 metro. A decoração conta com mais de 1.000 piscas do tipo ‘Strobo’, e aproximadamente 500 peças de iluminação, sendo elas refletores, spots, lâmpadas e outros. São mais de 2 milhões de pontos de LED.
.

Programação — A programação da festa trará grandes nomes da música nacional ao Palco Prefeitura, principal polo do evento, que concentra apresentações nas sextas-feiras, nos sábados e domingos do período. Além de corais, encenações teatrais, ballet, pastoris, xaxado e reisados, o polo, instalado em frente ao Palácio Celso Galvão, receberá os shows nacionais de Quinteto Violado (16/11), Adilson Ramos (23/11), Os Incríveis (30/11), Elymar Santos (07/12), The Fevers (14/12), Leonardo Sullivan (20/12), Marina Elali e Maestro Eduardo Lages (21/12), José Augusto (21/12) e Altemar Dutra Júnior (28/12). 

Ao todo, mais de 160 atrações vão passar pelos polos da Prefeitura, bairros, distritos, comunidade quilombola de Estivas e nos desfiles de Papai Noel. A grade da festa é formada por mais de 90% de grade local (sendo elas atrações artísticas locais, atrações institucionais locais e desfiles de Papai Noel).
.

Nos bairros e comunidades da área urbana, a programação natalina será levada semanalmente, nas terças e quintas-feiras, sendo contemplados os bairros Cohab III (12/11), Magano (14/11), Várzea (19/11), Boa Vista (21/11), Liberdade (26/11), Vila do Quartel (28/11), Indiano (03/12), Brasília (05/12), Cohab II (10/12) e Parque Fênix (12/12). Nessas localidades, as apresentações iniciarão sempre às 18h. Já nos distritos de Garanhuns, ‘A Magia do Natal’ chega em três quartas-feiras, com início em São Pedro (27/11), Iratama (04/12), Miracica (11/12), além da comunidade quilombola de Estivas (18/12), situada a cerca de 10km do centro da cidade.

Desfile do Papai Noel — A partir de amanhã (09), o desfile do Papai Noel já passará pela avenida Santo Antônio, logo após a apresentação da Ave Maria com a cantora Andrea Amorim, pontualmente às 18h. Sempre aos sábados e domingos, o desfile contará com 10 carros alegóricos e cerca de 150 personagens, compostos por crianças dos Centros de Referência em Assistência Social (Cras’s), o Papai Noel e ajudantes. Diversos temas serão trabalhados nos carros alegóricos do desfile, como anjos, o presépio, pórtico da cidade, jardim de natal, música, carro com bonecos de neve, carro das bengalas, carros formados por casas em miniatura que representam as famílias da cidade, um carro com tambores de natal e um trenó, que será levado por quatro renas fictícias.

Além dos carros, o Trem de Passeio do Papai Noel também irá desfilar com três vagões. Este ano, serão realizados 15 desfiles de até uma hora e vinte minutos de duração, totalizando cerca de 25 horas de apresentações durante a festa. Cerca de 60 pessoas atuam na equipe de assistência logística do desfile.

Para conferir a programação completa da Magia do Natal 2019, clique aqui.