sábado, 24 de agosto de 2019

PE: Deputados cobram pagamento de artistas ao Governo do Estado

Durante Audiência Pública realizada na Alepe, na última quarta, uma produtora se pronunciou sobre 
o assunto. “Como é que o Estado pode fazer o São João se ainda não foi pago o Carnaval?”.

A divulgação de um cronograma de pagamento para os cachês de artistas contratados pelo Governo do Estado foi cobrada pelos representantes do segmento em audiência pública realizada, na última quarta (21), pela Comissão de Educação e Cultura da Alepe. Presente à reunião, o secretário estadual de Cultura, Gilberto Freyre Neto, informou que o Poder Executivo quitou 79% do passivo existente de R$ 17,4 milhões até o final de 2018. Ele também garantiu que todos os serviços contratados em 2019 serão pagos este ano.

No encontro, produtores culturais relataram que o atraso no pagamento dos artistas coloca em risco até mesmo a continuidade de manifestações culturais tradicionais. “O problema dos cachês afeta mais os artistas da cultura popular, que não têm empresários para adiantar alguma renda, se necessário. Como é que o Estado pode fazer o São João se ainda não foi pago o Carnaval?”, questionou a produtora Paula de Renor, uma das representantes da sociedade civil no Conselho Estadual de Política Cultural (CEPC).

Em resposta as reclamações, o secretário estadual de Cultura, Gilberto Freyre Neto, ressaltou que foi feita uma pactuação com as secretarias de Fazenda e de Planejamento do Governo do Estado de Pernambuco, para que os pagamentos sejam feitos no menor prazo possível. “Depende do fluxo de caixa do Estado relacionado à atividade econômica. Mas os artistas não podem ser tratados como simples fornecedores de serviço”, considerou Freyre. “Priorizamos o pagamento dos cachês, até como uma estratégia de salvaguarda da produção artística diante da crise econômica”, complementou.

Segundo o gestor, o compromisso é comprovado pelo pagamento de R$ 13,8 milhões do passivo total de cachês não pagos detectado no início de 2019. Além disso, dos valores contratados com artistas neste ano, R$ 3,4 milhões já foram executados, afirmou. “Estamos trabalhando para evitar o esgarçamento que houve no ano anterior, com mais de um ano de pagamentos atrasados, o que não é bom nem para o Governo nem para os artistas”, informou. Com relação ao audiovisual, há recursos que ainda estão pendentes de liberação da Agência Nacional do Cinema (Ancine).
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário