segunda-feira, 19 de agosto de 2019

Em nota, Secretaria de Saúde descarta caso de sarampo em Garanhuns

No sentido de prevenir, secretaria ainda comunica que a vacina tríplice viral — que além do sarampo, protege
contra a rubéola e a caxumba, está disponível nas Unidades Básicas de Saúde do município. (ASCI/PMG).

Comunicadao:

“Diante dos quatro casos de sarampo confirmados ao longo da última semana, em Pernambuco, provocados no contato com pacientes doentes de outro estado, a Secretaria Municipal de Saúde, e o Programa Nacional de Imunizações (PNI) em Garanhuns, vêm a público esclarecer que não há nenhum caso suspeito ou confirmado da doença em Garanhuns. A Secretaria reforça ainda as informações sobre a vacina tríplice viral — que além do sarampo, protege contra a rubéola e a caxumba. Atualmente, ela está disponível nas Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) do município.

A população até 49 anos, que não completou o esquema vacinal, deve comparecer até sua unidade de referência, munida do cartão de vacinação, para administração da tríplice viral.  De acordo com as recomendações da Secretaria Estadual de Saúde (SES), a imunização com a tríplice deve seguir o seguinte esquema:

- Indivíduos de 12 meses a 29 anos de idade: 2 doses de tríplice viral com intervalo mínimo de 30 dias entre elas;

- Indivíduos de 30 a 49 anos de idade não vacinados: 1 dose de tríplice viral;

- Profissionais de saúde não vacinados: 2 doses com a vacina tríplice viral independente da idade, com intervalo mínimo de 30 dias entre elas.

No momento, ainda é indicada a vacinação de crianças de 6 meses a menores de 1 ano que vão se deslocar para municípios que apresentam surto ativo de sarampo. A imunização deve ser feita pelo menos 15 dias antes da viagem.

Em 2019, até 27 de julho, 85% das crianças com 1 ano fizeram a primeira dose da tríplice viral e 63% a segunda. A meta mínima é de 95% de cobertura. A SES-PE ainda reforça a importância dos municípios pernambucanos buscaram homogeneidade em suas coberturas para evitar o surgimento de casos.”

ACSI – PMG / Com informações da Secretaria
Estadual de Saúde e Secretaria Municipal de Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário