sexta-feira, 5 de julho de 2019

PEDRA: Ministério Público recomenda que Prefeitura ajuste Matadouro da cidade às normas sanitárias de abate

Na recomendação, MP alerta sobre o risco permanente a que estão expostos os consumidores 
e os funcionários que executam o abate sem observar as devidas normas sanitárias.

Em defesa dos direitos do consumidor e da saúde pública, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) recomendou à Prefeitura de Pedra, que no prazo de 90 dias, verifique e solucione as irregularidades no matadouro municipal, constatadas no laudo de vistoria da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária (Adagro), realizada em outubro do ano passado e que persistem até agora.

“O documento da Adagro aponta diversas deficiências e carências no matador. Assim, a Prefeitura precisa adequar o local às normas de higiene compatíveis com o serviço, sob a inspeção da Vigilância Sanitária tanto municipal quanto estadual”, avaliou a promotora de Justiça Tayjane de Almeida, que representa o MP no caso.

Segundo a Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro), o matadouro não fornece a segurança necessária, em face das precárias condições de abate e armazenamento da carne animal, o que acarreta produtos in natura potencialmente corrompidos e efetivamente perigosos, os tornando impróprios ao uso e consumo.

A promotora de Justiça alertou para o risco permanente a que estão expostos os consumidores e os funcionários que executam o abate, uma vez que não existem as condições sanitárias necessárias ao funcionamento do serviço. “São riscos que se renovam a cada animal abatido e esquartejado ou eviscerado, tanto para os que o executam, como, e sobretudo, para os consumidores”, frisou Tayjane de Almeida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário