terça-feira, 16 de julho de 2019

Izaías vai a Vila do Quartel ouvir moradores em “Ouvidoria Itinerante”

Reunião com chefe do executivo deve iniciar por volta das 20:30. Antes, 
Prefeito participa da inauguração da Casa das Artes, na Avenida Rui Barbosa.

Atendendo a um pedido dos moradores da Vila José Bernardino Teixeira, a popular Vila do Quartel, externado por meio de um abaixo-assinado, o Prefeito de Garanhuns, Izaías Régis (PTB), estará presente hoje na comunidade para discutir melhorias para a Praça Agnaldo de Barros e Silva, também conhecida como Praça Olinda, numa espécie de ouvidoria itinerante. A expectativa, é de que outras demandas também sejam apresentadas a Régis. Para todos os casos, as secretarias que integram a gestão municipal se encarregarão de desenvolver ações a fim de sanar os problemas identificados na localidade.

Nesta terça-feira, ao confirmar sua presença na Vila do quartel, o Prefeito de Garanhuns exibiu o abaixo-assinado que provocou o momento em suas rede sociais. Nele, os autores do pedido convocam Izaías para a reunião, reconhecendo o trabalho que vem sendo desempenhando por ele,  à frente da gestão municipal.

Em trecho do ofício dirigido ao Prefeito, diz a redação: “A Diretoria da Associação dos Moradores da Vial José Bernardino Teixeira, juntamente com a comunidade, tem ampla visão e reconhecimento do seu desempenho e trabalho por Garanhuns. Sendo assim, passamos a acreditar ainda mais e agradecer por tudo e todos, e ficamos com a esperança que possa fazer ainda mais pela Vila”.

Vale dizer, a reunião na Vila do Quartel, com a presença do Prefeito Izaías Régis, deve iniciar por volta das 20:30. Antes o Prefeito participa da inauguração da Casa das Artes; as 19:30, no casarão da família Tinoco, na Avenida Rui Barbosa.

CONVITE – E o Prefeito Izaías Régis está animado com a próxima edição do Festival de Inverno de Garanhuns, a ser realizado entre os dias 18 e 27 de julho aqui na cidade. Prova disso, é que nesta segunda-feira (15), ele fez questão de gravar um vídeo institucional, onde convida os garanhuenses e turistas a participaram do evento; tratado por ele como o maior da América Latina, no segmento de cultura. Assista o vídeo, no final da matéria.

Postura acertada de Izaías, afinal o FIG e a cultura difundida pelo evento, é maior do que qualquer antagonismo político que existe entre Régis e o atual Governador de Pernambuco, Paulo Câmara, que carrega a responsabilidade pela realização do evento. Não que ao criticar edições passadas do FIG, Izaías tenha atuado apenas no campo político, muito pelo contrário, pois ele como a maioria dos cidadãos, se sentia órfão de um Festival que marcasse o ano do garanhuense; e por isso a cobrança era contundente, era visceral.

É bom lembrar, que Izaías é autoridade no assunto que envolve a produção e realização de eventos. Pra confirmar isso, basta lembrar que foi a partir dele, que o Natal de Garanhuns se consolidou como o melhor, mais atrativo e de maior retorno financeiro do Norte-Nordeste. Achou pouco, então lembremos do Viva Dominguinhos, que abre nada menos que o São João do Brasil, homenageia um dos mais célebres cantores da nossa cultura,  e ainda faz o garanhuense vivenciar o período junino; o que há muito não acontecia.

          Apesar de extintos, os Festivais de Música e Artes e o da Jovem Guarda, são bons exemplos de iniciativas acertadas de Izaías no segmento de cultura e entretenimento.

O FIG é uma grande realização, e como tal, precisa de parceiros comprometidos com o seu bom funcionamento. A Prefeitura Municipal ocupa esse lugar, haja vista ela disponibilizar cerca de R$ 1 milhão de reais, que são usados na logística, infraestrutura, segurança, e ainda para contratação da maior parte dos artistas locais para o evento.

Se por um lado as críticas de Izaías ao FIG desagradaram por determinado tempo; por outro, fica claro agora, que elas impeliram a Secult/Fundarpe, a repensar a maneira como vinha conduzindo a festividade, que diga-se de passagem, agrediu cristãos, evangélicos e diversos religiosos em sua versão ultrajante de 2018, onde o menor dos episódios, foi marcado pela apresentação de uma peça, onde cristo foi representado como sendo um transexual. Em 2018, até demônios foram invocados na praça Mestre Dominguinhos. Achou pouco, então o que dizer de Cristo sendo chamado de “bicha”. Pois é, tudo isso aconteceu por aqui, “e por obra única, exclusiva e desastrosa do Governo do Estado de Pernambuco”.

Conceber uma programação eclética, diversificada, e que atenda a todos os gostos e tribos, difundindo cultura, é o mínimo que o Governo do Estado de Pernambuco deve fazer em todas as edições do evento. Foi com esse, e com muitos outros propósitos que nasceu a festividade. Em 2019, a Fundarpe/Secult parece ter acertado a mão, mas apenas parece, pois é preciso aguardar o desfecho dessa edição.

DE FORA - Destaque importante, fica por conta da concepção do evento, que por mais um ano, não tem a participação efetiva de artistas ou ativistas culturais da terra da Garoa.

Essa é uma antiga reivindicação, mas que nunca recebeu a devida atenção dos organizadores do evento. Para ser ainda mais democrático, o FIG precisaria ter as mãos dos garanhuenses na consulta a sua formação; mas como sabemos, o Governador Paulo Câmara e a sua equipe de comandados, a começar por Marcelo Canuto, presidente da Fundarpe, são contundentes em bater a porta para essa proposta.

Por fim, vale dizer, com acertos e erros, mas sobretudo em forma de patrimônio de todos, o FIG está aí mais uma vez. Por 10 dias ele estará no epicentro das discussões, dominando as conversas desde as residências, passando pelo trabalho e chegando as ruas. Ano passado ele foi para poucos, mas este ano ele dá indícios de que será para todos.

Que venha o FIG.

Nenhum comentário:

Postar um comentário