quinta-feira, 4 de julho de 2019

DADO BOM: “PIB de Pernambuco cresce 1,2% no primeiro trimestre e supera índice registrado no mesmo período no país”, diz governo

Dados divulgados nesta quarta-feira (3) apontam melhoria na economia do estado, em 
relação ao mesmo período de 2018. Brasil registrou crescimento de 0,5%. (G1 Pernambuco).

O Produto Interno Bruto (PIB) do Estado de Pernambuco cresceu 1,2% no primeiro trimestre de 2019, em relação aos três primeiros meses de 2018, segundo dados divulgados à imprensa, nesta quarta-feira, dia 3 de julho pelo executivo pernambucano. O estado, teve um crescimento 140% maior do que o do Brasil. No mesmo período, o país obteve incremento de 0,5% com relação ao primeiro trimestre do ano passado.

Em valores correntes, segundo o governo, o estado alcançou R$ 48,8 bilhões no primeiro trimestre de 2019. Dados da Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco (Condepe/Fidem) apontam que o resultado positivo se deve, principalmente, à alta em três setores econômicos: agropecuária, com acréscimo de 4%; indústria, que cresceu 3,5% e serviços, com 0,5% positivo no período.

Na comparação entre o primeiro trimestre de 2019 e o último de 2018, houve elevação de 0,3%, considerando o ajuste sazonal. No período, a agropecuária cresceu 3,8%, enquanto a indústria teve alta de 1,9%. O setor de serviços se manteve sem aumento ou decréscimo.

No caso da agricultura, comparando-se os dois primeiros trimestres de 2019 e 2018, o resultado foi reflexo da expansão das lavouras permanentes, com 12,2% de lucro a mais que no ano anterior, com influência, principalmente, do aumento da produção da banana, do coco-da-baía e manga. A pecuária teve aumento de 4,1%, puxado pela produção de ovos e leite. Na contramão, as lavouras temporárias tiveram redução de 3% na produção, principalmente por causa da queda nas lavouras de cana-de-açúcar, feijão e tomate. 

No setor industrial, o resultado positivo teve crescimento principalmente por causa da indústria de transformação, que obteve 5,8% positivos, e da produção e distribuição de eletricidade, gás, água, esgoto e limpeza urbana, com 4,2% de aumento no período. Ainda nesse setor, a construção civil obteve queda de 0,9% na produção.

O Setor de Serviços registrou crescimento principalmente no setor de administração, saúde e educação pública, com crescimento de 1,7%. As atividades imobiliárias e aluguéis cresceram 3,1%. Já aquelas ligadas ao comércio e de intermediação financeira, seguros, previdência complementar e serviços relacionados, no entanto, tiveram queda de 1,9% e 3,5%, respectivamente.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário