segunda-feira, 29 de julho de 2019

Condenado por matar promotor de Itaíba vai para presídio federal

José Maria Rosendo foi preso nesta segunda-feira, na cidade de Corumbá,
em Mato Grosso do Sul. Ele foi condenado há 50 anos de prisão em 2016. (JC Online).

Capturado nesta segunda-feira (29), em Mato Grosso do Sul, o fazendeiro José Maria Pedro Rosendo Barbosa, condenado pela morte do promotor de Justiça Thiago Faria Soares, na cidade de Itaíba em 2013, será enviado a um presídio de segurança máxima.

Condenado há 50 anos de prisão, Zé Maria, como é conhecido, ainda será investigado por tráfico internacional de drogas durante os cinco meses que esteve foragido, após fugir Penitenciária Barreto Campelo, em Itamaracá, em fevereiro deste ano.

A prisão do acusado aconteceu na madrugada desta segunda na cidade de Corumbá, em Mato Grosso do Sul, fronteira com a Bolívia. Segundo a Polícia Civil, ele estava na cidade há cerca de duas semanas. Enquanto esteve foragido, José Maria chegou a passar por cinco cidades da Bolívia e há informações de que teria se envolvido com tráfico internacional de drogas, o que justificaria o fato de estar capitalizado.  

"Após cinco meses, nós encontramos o rastro dele pela Bolívia, continuamos o trabalho de investigação com policiais civis e na madrugada foi confirmada a localização dele no Mato Grosso do Sul. Ele deu algumas informações que nortearão as investigações dos crimes cometidos ou o envolvimento em ações criminosas, como tráfico internacional de drogas a partir da Bolívia. Esse envolvimento fez com que ele estivesse capitalizado para empreender a fuga", adiantou o chefe da Polícia Civil, Joselito Amaral. 

José Maria está sendo trazido para Pernambuco, onde deve permanecer em um presídio até que seja feita a transferência para uma unidade Federal. A expectativa é que sua vinda ao Estado ajude a elucidar as investigações quanto à fuga. "Ele vai ficar em um dos nossos presídios, mas já estamos solicitando a transferência dele para um presídio federal, porque ele é um preso federal. O júri foi na Justiça Federal, onde ele foi condenado há 50 anos e quatro meses pelo homicídio do procurador. Posteriormente teremos que investigar o homicídio do sargento (morto durante a fuga), a fuga e mais importante ainda, temos que investigar quem deu fuga, quem patrocinou", pontua o secretário de Justiça e Direitos Humanos de Pernambuco, Pedro Eurico.

Fuga - Ele e outros cinco detentos conseguiram fugir durante um resgate e uma intensa troca de tiros no dia 13 de fevereiro. O sargento da Polícia Militar Rinaldo Azevedo Campelo, 49 anos, que tentou impedir a fuga, foi baleado na cabeça e morreu. Os presos teriam usado escadas e cordas para deixar a penitenciária. José Maria foi o terceiro fugitivo recapturado. Outros três ainda continuam foragidos. 

Relembre - O crime aconteceu em 14 de outubro de 2013 e teve repercussão nacional. Thiago Faria seguia com a noiva e o tio dela para Itaíba, onde trabalhava, quando teve o carro interceptado no quilômetro 19 da PE-300, no município de Águas Belas. Os suspeitos efetuaram os disparos contra o promotor e fugiram em seguida. A motivação do crime, segundo a PF, envolveu a disputa pelas terras da Fazenda Nova.

O acusado José Maria Pedro Rosendo Barbosa teria perdido a posse em um leilão para Mysheva Freire, noiva do promotor, e teve que deixar sua casa. Como vingança, teria planejado o atentado. A investigação foi marcada por divergências entre a Polícia Civil e o Ministério Público de Pernambuco (MPPE). Enquanto a polícia seguia a linha de de que o crime teria sido motivado pelas terras, os promotores consideravam que o assassinato poderia ter sido motivado por vingança ou ciúmes. Devido ao empasse, o caso passou para as mãos da Polícia Federal em 13 de agosto de 2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário