domingo, 7 de julho de 2019

Carlos Neves, conselheiro nacional da OAB, é escolhido por Paulo Câmara para vaga no Tribunal de Contas

Advogado tem mais de 20 anos de atuação. Com 44 anos de idade, Carlos Neves
é conhecido na capital, Recife como especialista em legislação eleitoral. (Blog do Jamildo).

Colocando na poeira todas as especulações que vinham sendo feitas nas últimas semanas, o governador Paulo Câmara escolheu o advogado Carlos Neves Filho para a vaga aberta no Tribunal de Contas do Estado (TCE). Com 44 anos de idade, Carlos Neves é conhecido no Recife como especialista em legislação eleitoral e também como conselheiro federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).  Ele  preside a Comissão Especial de Direito Eleitoral da OAB Nacional. Trata-se de nome com atuação nacional, uma vez que o advogado ministra aulas de pós-graduação e palestras em todo o país.

Com mais de 20 anos de atuação na advocacia, foram as ações elaboradas pelo advogado eleitoral Carlos Neves que conseguiram impedir, nas últimas eleições, que o senador Fernando Bezerra Coelho, tomasse o controle do MDB local de Jarbas Vasconcelos e levasse o partido para a oposição ao socialista, desequilibrando o tempo de TV do PSB e aliados, em benefício da oposição, liderada por Armando Monteiro Neto (PTB).

Coincidentemente ou não, a escolha de Carlos Neves “ocorreu” neste sábado, mesmo dia em que o senador Jarbas Vasconcelos e o deputado federal Raul Henry fizeram oficialmente as pazes com FBC, dividindo o comando do partido MDB, já de olho nas próximas eleições. Neves também já funcionou como advogado pessoal do próprio governador, quando Paulo Câmara acionou o presidente do Simpol, Aureo Cisneiros, na Justiça do Estado. O sindicalista aparece hoje nos jornais locais criticando o presidente Jair Bolsonaro, em função dos desdobramentos da reforma da Previdência.

Aprovação na Alepe – Com excelente formação acadêmica, o advogado Carlos Neves é mestre pela Faculdade de Direito de Lisboa e é membro da Comissão Especial de Análise da Reforma da Previdência do CFOAB.

Ele também foi membro do Conselho Consultivo da Escola Nacional da Advocacia (2006/2008), professor universitário de 2003 a 2013 e diretor-geral da Escola Superior da Advocacia da OAB-PE, no triênio 2016/2018.

Nenhum comentário:

Postar um comentário