quarta-feira, 12 de junho de 2019

Mulheres são presas tentando sacar R$ 60 mil com documentos falsos

Envolvidas no caso foram presas e levadas para sede da Polícia Federal, 
na cidade de Caruaru. Em seguida: encaminhadas para audiência de custódia.

Duas mulheres que residem na cidade de Lajedo foram presas nesta terça-feira (11), na agência do Banco Bradesco, na Avenida Santo Antônio, aqui em Garanhuns. Elas portavam documentos fraldados do INSS e buscavam sacar mais de 60,000,00 (sessenta mil reais), de um auxilio reclusão em nome de outra pessoa. A gerencia da agência, identificou a fralde e acionou uma guarnição da Polícia Militar.

Com a chegada da Polícia as mulheres foram presas. Elas foram identificadas como, Sabrina Ferreira de Araújo e Vanusa Maria dos Santos, ambas de 20 anos de idade. As duas foram levadas para a sede da Polícia Federal (PF), que fica instalada na cidade de Caruaru, autuadas em flagrante e encaminhadas para audiência de custódia.

Abaixo, você confere a comunicação 
         oficial da PF, sobre o caso. Leia:

Policiais Federais lotados na Delegacia de Caruaru/PE com apoio de Policiais Militares do 9º BPM de Caruaru/PE prenderam ontem, dia 11.06.2019, por volta das 14hs, SABRINA FERREIRA DE ARAÚJO, estudante, 20 anos, solteira, natural e residente em Lajedo/PE. (não possui antecedentes criminais) e VANUSA MARIA DOS SANTOS, manicure, 20 anos, solteira, natural de Taquaritinga do Norte/PE e residente em Lajedo/PE. (não possui antecedentes criminais).

As prisões aconteceram em virtude de informações repassadas pela Polícia Federal para representantes do Banco Bradesco de Garanhuns/PE, acerca da possibilidade de duas possíveis fraudadoras que estariam utilizando documentos falsos para dar entrada na retirada de benefício retroativo de auxílio reclusão no valor de R$ 62.313,00 (sessenta e dois mil e trezentos e treze reais).

As suspeitas compareceram na agência do Bradesco e quando SABRINA (suposta beneficiária) deu entrada na documentação para retirada dos valores correspondentes, percebeu-se que toda a documentação era falsa. Após a descoberta do golpe, as presas receberam voz de prisão em flagrante pela Polícia Militar que já estava no local, foram informadas dos seus direitos e garantias constitucionais, para em seguida serem levadas para a Delegacia da Polícia Federal em Caruaru/PE, a fim de que fossem adotados os procedimentos de polícia judiciária. As presas foram autuadas como incurso no artigo 171 § 3º c/c artigo 14 inciso II do Código Penal (Tentativa de Estelionato) e, pelo fato do crime ter sido cometido contra entidade pública federal INSS – Instituto de Seguridade Social a pena poderá ser aumentada em um terço podendo variar de 1 a 6 anos de reclusão.

Terminada as praxes processuais as presas foram levadas para o IML-Instituto Médico Legal em Caruaru/PE onde se submeteram a exame de corpo de delito e hoje serão encaminhadas para audiência de custódia e caso seja confirmada suas prisões preventivas serão conduzidas para o Sistema Penitenciário Feminino ficando à disposição da Justiça Federal.

A conduzida SABRINA informou que tem um filho menor de 7 anos (E.F.A) e que teve um relacionamento rápido com IGOR RODOLFO PEREIRA que foi preso em novembro/2019. Disse também que foi procurada por uma mulher (não deu maiores detalhes) dizendo que IGOR considerava o filho dela como sendo dele também e que ela teria direito ao auxílio reclusão e por isso fez o Requerimento de Auxílio Reclusão a fim de sacar os valores correspondentes do benefício. Após essa fase foi forjada toda a documentação, inclusive com o nome do menor de forma errada e como tendo nascido em São Paulo/SP com a intenção de retirar os valores de forma fraudulenta. O valor após o saque seria depositado na conta da pessoa que providenciou toda a documentação falsa para só depois serem repassados os valores correspondentes para todos que participaram do golpe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário