quarta-feira, 29 de maio de 2019

Em Recife, Ciro dispara: “Fui enganado por Paulo Câmara em 2018”

De passagem pela capital pernambucana, ex-presidenciável concedeu 
entrevista ao Jornal Diário de PE. Confira trecho dela, abaixo:

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT), candidato à Presidência nas eleições de 2018, afirmou ontem que foi enganado pelo governador Paulo Câmara nas articulações do pleito do ano passado. Segundo o pedetista, o gestor pernambucano teria prometido a ele o apoio na disputa pelo Palácio do Planalto, quando, segundo Ciro, o PSB teria feito a aliança com o PT em troca da neutralidade na disputa presidencial. Ciro defendeu ainda a unidade do PDT em Pernambuco para que, em 2020, sejam apresentadas candidaturas em Caruaru e no Recife, caso quadros da sigla queiram disputar as eleições municipais. 

Em visita ontem ao Diário de Pernambuco, Ciro criticou o atual governo Jair Bolsonaro pelos cortes na educação e ainda disse que a gestão federal precisa investir em três pilares para alavancar a economia e reduzir a desigualdade do Nordeste Brasileiro: infraestrutura, capacitação profissional e acesso a terra.

Trecho da entrevista de Ciro Gomes // ex-presidenciável

O PDT de Pernambuco apresenta divisões entre dois grupos. Como o senhor avalia a atual situação do partido?

Eu faço de conta que não vejo uma emulação entre os companheiros Wolney e Zé Queiroz e a emergência de Túlio (Gadelha), deputado federal. Vou fazer de conta que não estou vendo porque para nós é importante a unidade. Se em Caruaru, o Zé Queiroz quer ser candidato, nós iremos com ele.

O PDT no Recife tem cargos no governo. O senhor acha coerente ter candidatura de oposição dessa forma?

Acho completamente incoerente. Portanto, o erro está em participar do governo. Se temos uma candidatura, e essa é a orientação da direção nacional, não faz sentido a gente ficar participando do governo e depois lançar uma candidatura contra.

O senhor fez uma crítica a Paulo Câmara na manobra que articulou a saída da candidatura de Marília Arraes na eleição… "Ele me enganou. Eu confessei, com uma certa vergonha, que ele me enganou", Ciro.

Qual foi o engano? - Ele me chamou, desnecessariamente, em Brasília, com o testemunho do governador do Ceará, Camilo Santana, para me dizer que ia me apoiar junto com o PSB, mas, naquele dia, eu já sabia, por meio do Márcio França (então governador de São Paulo), que é meu amigo, que eles tinham se entendido em sacrificar Marília Arraes aqui em PE e Márcio Lacerda em MG, em troca do PSB ficar neutro na eleição presidencial.

Isso é uma prática da velha política? - Não gosto de botar adjetivos. Fui enganado. Não engano ninguém. Alguém que em 38 anos de vida pública dizer “o Ciro me enganou” está difícil de aparecer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário