quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Alepe gastará R$ 1,8 milhão para editar dois livros sobre Arraes

Primeira autorização dos gastos com essa finalidade por parte da Alepe ocorreu em 2016, mas esbarrou na
resistência do Instituto Miguel Arraes (IMA), coordenado pelo neto Antônio Campos. (Blog do Jamildo).

Depois de críticas públicas e ameaças de embargo e processo por parte do advogado Antônio Campos, a Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) havia cancelado ou suspendido a dispensa de licitação para confecção de dois livros em homenagem ao ex-governador Miguel Arraes, do PSB. Ao custo de quase R$ 2 milhões.

Na virada do ano, o Diário Oficial do Estado trouxe a volta do edital de dispensa. A primeira autorização dos gastos com essa finalidade por parte da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), ocorreu ainda em 2016, mas esbarrou na resistência do Instituto Miguel Arraes (IMA), coordenado pelo neto Antônio Campos.

O neto do ex-governador informou ao blog do Jamildo, responsável pela matéria, que deu o aval em setembro do ano passado. “O perfil parlamentar Miguel Arraes de Alencar, parlamentar de muitas lutas, obra objeto de uma série de perfis parlamentares da Alepe, teve a não oposição da publicação da obra pela Alepe, pelo Instituto Miguel Arraes, em setembro de 2018, desde que respeitadas as normas legais, restringindo-se a responsabilidade/autorização do Instituto, unicamente, em liberar as imagens de Miguel Arraes, o que ficou registrado através de documento hábil. Qualquer outro aspecto, deve ser indagado a Alepe”, informou Antônio Campos, em nota.

No ano passado, a Alepe havia informado que os valores seriam usados para a confecção de 8 mil livros em homenagem ao ex-governador Miguel Arraes, cujo centenário seria em 2017. Na época, o custo total informado era de R$ 1.786.000,00.

A contratada sem licitação será uma editora e gráfica sediada em Olinda. No ano passado, o político teve seu nom  inscrito no livro dos heróis da pátria, em Brasília.

Nenhum comentário:

Postar um comentário