terça-feira, 2 de outubro de 2018

Ciro: "43% do eleitorado admite mudar de voto. Tô de olho nisso aí"

Sobre o impacto que a delação de Antonio Palocci poderia ter no quadro eleitoral, pedetista detonou: 
“Se eu fosse o povo brasileiro não deixaria me levar por estes assuntos de última hora”. (Estadão Conteúdo).

O candidato a presidência da República pelo  PDT, Ciro Gomes, exx-prefeito de Fortaleza e ex-governador do Ceará, afirmou nesta terça-feira (02), que vê espaço para crescimento do apoio a ele nesta última semana. De acordo com ele, essa semana será decisiva, e o dia 7, que marca a eleição deste ano, poderá ser de boa surpresa, inclusive para ua candidatura. “Tem 43% do eleitorado que admite mudar de voto e eu tô de olho nisso aí”, afirmou, sem, no entanto, deixar de criticar os institutos de pesquisa.

Ciro também advogou contra a polarização política. “Esta confrontação odienta entre (Jair) Bolsonaro e o PT vai levar o Brasil ao abismo”, disse. “Se antes eu dizia que eu queria ser presidente, agora eu falo que eu tenho de ser presidente para enfrentar isso.”

Durante a coletiva a jornalistas no sudeste, onde Ciro participou de plenária com sindicalistas, um homem passou pela rua gritando Bolsonaro. Ciro disse então que vai lutar pela reconciliação do País e contra o “fascismo” que alguns apoiadores de Bolsonaro emanam. Ele também afirmou que vai “tirar a máscara” do capitão da reserva.

Questionado sobre o eventual impacto que a delação do ex-ministro Antonio Palocci poderia ter no quadro eleitoral, Ciro pregou moderação aos eleitores. “Se eu fosse o povo brasileiro não deixaria me levar por estes assuntos de última hora”, disse.

Trump - Ciro manifestou preocupação sobre as críticas do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a postura comercial brasileira. “Está anunciada uma tensão que vai estressar o comércio internacional brasileiro”, disse. Ciro voltou a criticar também o acordo Boeing-Embraer. O pedetista voltou a dizer que, se eleito, vai revogar a parceria.

Datafolha para presidente: Bolsonaro, 32%; Haddad, 21%; Ciro, 11%

Levantamento foi contratado pelo jornal “Folha de S. Paulo”. Margem de
erro, é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. (G1).

O Datafolha divulgou nesta terça-feira (2) a mais nova pesquisa de intenção de voto para presidente. O levantamento foi contratado pelo jornal “Folha de S. Paulo”.

Segundo o Datafolha, Jair Bolsonaro (PSL) cresceu quatro pontos percentuais e ultrapassou, pela primeira vez em pesquisa do instituto, a barreira dos 30% e abriu vantagem sobre o segundo colocado, Fernando Haddad (PT), que parou de subir.

O nível de confiança da pesquisa é de 95% - o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro, que é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

Vamos aos números:

Jair Bolsonaro (PSL): 32%
Fernando Haddad (PT): 21%
Ciro Gomes (PDT): 11%
Geraldo Alckmin (PSDB): 9%
Marina Silva (Rede): 4%
João Amoêdo (Novo): 3%
Henrique Meirelles (MDB): 2%
Alvaro Dias (Podemos): 2%
Cabo Daciolo (Patriota): 2%
Guilherme Boulos (PSOL): 0%
João Goulart Filho (PPL): 0%
Eymael (DC): 0%
Vera Lúcia (PSTU): 0%
Branco/nulos: 8%
Não sabe/não respondeu: 5%

Em relação ao levantamento anterior
do instituto, divulgado na sexta-feira (28):

Bolsonaro passou de 28% para 32%;
Haddad foi de 22% para 21%;
Ciro se manteve com 11%;
Alckmin foi de 10% para 9%;
Marina passou de 5% para 4%;
Os indecisos se mantiveram em 5% e
os brancos ou nulos, de 10% para 8%.

Rejeição - O Instituto também perguntou: "Em quais desses nomes você não votaria de jeito nenhum no primeiro turno da eleição para presidente deste ano? E qual mais?".

Neste levantamento, portanto, os entrevistados podem citar mais de um candidato. Por isso, os resultados somam mais de 100%.

Os resultados foram:

Bolsonaro: 45%
Haddad: 41%
Marina: 30%
Alckmin: 24%
Ciro: 22%
Meirelles: 15%
Boulos: 15%
Cabo Daciolo: 14%
Alvaro Dias: 13%
Vera: 13%
Eymael: 12%
Amoêdo: 12%
João Goulart Filho: 11%
Rejeita todos/ não votaria em nenhum: 3%
Votaria em qualquer um/ não rejeita nenhum: 1%
Não sabe: 4%

Simulações de segundo turno
Ciro 42% x 37% Alckmin (branco/nulo: 19%; não sabe: 2%)
Alckmin 43% x 41% Bolsonaro (branco/nulo: 14%; não sabe: 2%)
Ciro 46% x 42% Bolsonaro (branco/nulo: 10%; não sabe: 2%)
Alckmin 43% x 36% Haddad (branco/nulo: 19%; não sabe: 2%)
Bolsonaro 44% x 42% Haddad (branco/nulo: 12%; não sabe: 2%)
Ciro 46% x 32% Haddad (branco/nulo: 20%; não sabe: 2%)

Sobre a pesquisa
Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos
Entrevistados: 3.240 eleitores em 225 municípios
Quando a pesquisa foi feita: 2 de outubro
Registro no TSE: BR-03147/2018
Nível de confiança: 95%
Contratantes da pesquisa: "Folha de S.Paulo"

Mutirão de Saúde inicia Campanha Outubro Rosa em Garanhuns

Secretaria de Saúde, comandada por Nilva Mendes, promove outro mutirão nesta quarta-feira 
(03), desta vez na Unidade Básica do Sítio Estivas, localizada na área rural do município. (Secom/PMG).

A Secretaria Municipal de Saúde, realizou nesta terça-feira (02), um mutirão de Saúde no distrito de São Pedro; ocasião que também marcou a abertura da Campanha Outubro Rosa em Garanhuns, que visa conscientizar a população sobre a importância da prevenção do câncer de mama. A ação aconteceu na quadra da Escola Municipal José Ferreira Sobrinho, contou com a participação do vice-prefeito Haroldo Vicente e da titular da pasta de Saúde, Nilva Mendes, além de uma grande adesão da população da localidade.

Ao todo foram, realizados 420 procedimentos. Incluindo 30 atendimentos médicos e 40 encaminhamentos para exames de mamografia, com ênfase na campanha Outubro Rosa. Além de 40 testes rápidos de sífilis, HIV e hepatite C; 40 avaliações com nutricionista; e 40  atendimentos de saúde bucal com entrega de escovas, que beneficiaram os alunos da Escola Municipal José Ferreira Sobrinho. Também foram realizadas atualização de carteira vacinal para crianças e adultos, aula de zumba, aferição de pressão arterial e glicemia.

O momento contou com a parceria da Secretaria Municipal de Educação, do Lions Clube Garanhuns, dos estudantes de medicina da Universidade de Pernambuco (UPE) e do 71° Batalhão de Infantaria Motorizado (71° BIMtz) e da iniciativa privada. A dona de casa Maria Margarida de Lima, de 59 anos, participou das atividades e destacou a relevância da ação. “Acho essa iniciativa muito importante, é algo que precisamos muito. Eu gosto de me cuidar e todo ano faço exames da mama”, declarou.

De acordo com o médico da Unidade Básica de Saúde (UBS) de São Pedro, Ulisses Pereira, a atenção primária não deve ser apenas para prevenção dos casos de câncer de mama. “Aquela mulher que durante o autoexame notar alguma alteração em sua mama pode aproveitar a campanha para procurar o atendimento, disponibilizado pela Rede Municipal de Saúde. De fato, este é o foco principal da campanha, mas também devemos abordar a saúde da mulher como um todo”, finalizou o profissional.

A Secretaria de Saúde promove outro mutirão nesta quarta-feira (03), desta vez na Unidade Básica do Sítio Estivas, localizada na área rural do município. A ação terá início a partir das 08h e terá como objetivo ampliar a oferta dos serviços de saúde, com a detecção precoce e o controle de patologias.
.

Ibope para o Senado: Humberto, 33%; Jarbas, 33%; Mendonça, 20%

Pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo
"Jornal do Commercio”. Nível de confiança utilizado é de 95%. (G1).

Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (2) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o Senado em Pernambuco:

Humberto Costa (PT): 33%
Jarbas (MDB): 33%
Mendonça Filho (DEM): 20%
Silvio Costa (Avante): 11%
Bruno Araújo (PSDB): 9%
Pastor Jairinho (Rede): 5%
Adriana Rocha (Rede): 2%
Eugênia (PSOL): 2%
Hélio Cabral (PSTU): 2%
Albanise Pires (PSOL): 2%
Lídia Brunes (Pros): 1%
Alex Rola (PCO): 1%
Brancos/nulos – Vaga 1: 19%
Brancos/nulos - Vaga 2: 29%
Não sabe/não respondeu: 30%

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo "Jornal do Commercio”. No levantamento anterior, feito entre os dias 24 e 26 de setembro, os percentuais de intenção de votos eram os seguintes:

Humberto Costa (PT): 32%
Jarbas (MDB): 31%
Mendonça Filho (DEM): 22%
Silvio Costa (Avante): 12%
Bruno Araújo (PSDB): 9%
Pastor Jairinho (Rede): 5%
Adriana Rocha (Rede): 3%
Eugênia (PSOL): 2%
Hélio Cabral (PSTU): 2%
Albanise Pires (PSOL): 2%
Lídia Brunes (Pros): 1%
Alex Rola (PCO): 1%
Brancos/nulos – Vaga 1: 20%
Brancos/nulos - Vaga 2: 29%
Não sabe/não respondeu: 30%

Sobre a pesquisa divulgada nesta terça, 2
Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos
Quem foi ouvido: 1.512 eleitores
Quando a pesquisa foi feita: 29 de setembro a 1º de outubro
Registro no TRE: PE-04128/2018
Registro no TSE: BR-09633/2018
O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.
.

Nova Pesquisa Ibope em Pernambuco: Paulo 39%; Armando, 27%

Projeção para um possível segundo turno também apresenta vitória para atual 
Governador. No cenário, Paulo tem 43%, frente a 34% de Amando. (G1)

Pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (2) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o governo de Pernambuco:

Paulo Câmara (PSB): 39%
Armando Monteiro (PTB): 27%
Julio Lossio (Rede): 3%
Maurício Rands (PROS): 3%
Dani Portela (PSOL): 2%
Ana Patrícia Alves (PCO): 1%
Simone Fontana (PSTU): 1%
Brancos/nulos: 15%
Não sabe/não respondeu: 8%

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo "Jornal do Commercio". A candidata Ana Patrícia Alves anunciou, nesta terça-feira (2), que retirou a candidatura ao governo de Pernambuco. No levantamento anterior, feito entre os dias 24 e 26 de setembro, os percentuais de intenção de votos eram os seguintes:

Paulo Câmara (PSB): 35%
Armando Monteiro (PTB): 27 %
Julio Lossio (Rede): 3%
Maurício Rands (PROS): 2%
Ana Patrícia Alves (PCO): 1%
Simone Fontana (PSTU): 1%
Dani Portela (PSOL): 1%
Brancos/nulos: 23%
Não sabe/não respondeu: 7%

Sobre a pesquisa desta terça-feira, 2
Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos
Quem foi ouvido: 1.512 eleitores
Quando a pesquisa foi feita: de 29 setembro a 1º de outubro
Registro no TRE: PE-04128/2018
Registro no TSE: BR09633/2018

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro

Rejeição - O Ibope também mediu a taxa de rejeição (o eleitor deve dizer em qual dos candidatos não votaria de jeito nenhum). Nesse item, os entrevistados puderam escolher mais de um nome. Veja os índices no levantamento feito entre e de setembro:

Paulo Câmara (PSB): 34%
Armando Monteiro (PTB): 30%
Dani Portela (PSOL): 21%
Julio Lossio (Rede): 20%
Simone Fontana (PSTU): 18%
Ana Patrícia Alves (PCO): 18%
Maurício Rands (PROS): 17%
Poderia votar em todos: 4%
Não sabe/não respondeu: 16%
Simulação de segundo turno
Paulo Câmara 43% x 34% Armando Monteiro
(branco/nulo: 17%; não sabe: 6%)

Compesa realiza ação de reflorestamento na Barragem do Cajueiro

Ação, contou com a participação de 50 escoteiros que
plantaram  mudas às margens do reservatório.

A Barragem do Cajueiro, o maior reservatório que atende a cidade de Garanhuns, no Agreste Meridional, recebeu uma importante ação da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), no último dia 29 de setembro. Um grupo de 50 jovens escoteiros, do 97º Grupo Escoteiro Governador Eduardo Campos, plantaram 500 mudas de árvores nativas na Área de Preservação Permanente (APP) da barragem.

O objetivo da Compesa com a ação às margens do reservatório foi o de promover uma atividade prática para os escoteiros sobre a importância da preservação da vegetação local, das matas ciliares, permitindo assim, a proteção das nascentes. Segundo a engenheira Florestal da Compesa, Ana Luz, iniciativas como essa trazem inúmeros benefícios para o meio ambiente em curto e longo prazo. “As matas ciliares auxiliam na preservação dos recursos hídricos, evitando o assoreamento dos corpos d'água, protegem o solo e garantem a defesa da biodiversidade", explica a engenheira.

Durante o mês de setembro, outras ações foram realizadas pela Compesa para engajar a população na preservação ambiental e disseminar o conceito de sustentabilidade. Foram promovidos um encontro com estudantes, para discutir a importância das árvores e de todos os componentes dos ecossistemas, e visitas técnicas à Estação de Tratamento de Água (ETA) de Gurjaú e à sede da Unidade de Conservação Matas do Sistema Gurjaú, em conjunto com Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH).

Além disso, segundo informa a Compesa, o Projeto Semeando Cidadania, eixo de atuação do Programa Florestar, tem formado adolescentes da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Funase) de Vitória de Santo Antão em viveiristas florestais, integrando a convivência com a natureza como processo de ressocialização.
.

Mendonça perde inserções de campanha por ataques a Humberto

Deputado usou seu espaço em rádio e TV para tentar implicar Humberto na Lava Jato, sendo que o petista não é denunciado ou condenado em qualquer inquérito decorrente da operação. (Folha de Pernambuco).

Por 6 X 1, o Pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Pernambuco puniu o deputado federal e candidato ao Senado, Mendonça Filho (DEM) por ataques, nas inserções eleitorais, ao senador e candidato à reeleição, Humberto Costa (PT). Mendonça terá de ceder 40 comerciais ao petista como direito de resposta, o que equivale a todo o seu tempo de mídia nessa modalidade até o fim da campanha.

Em terceiro lugar na disputa pelo Senado, segundo o Ibope e Datafolha, o deputado do DEM usou seu espaço em rádio e TV para tentar implicar Humberto na Lava Jato. O senador não é denunciado ou condenado em qualquer inquérito decorrente da operação. Em razão disso, os desembargadores eleitorais proibiram a veiculação das peças, "sob toda e qualquer forma, integral ou parcialmente, em guia e inserções, e em toda e qualquer plataforma de divulgação (TV, rádio, Internet), sob pena de multa diária".

O TRE determinou, ainda, que 40 inserções de Mendonça no horário eleitoral gratuito sejam destinadas como direito de resposta a Humberto. "O Tribunal deu uma demonstração que não quer jogo sujo nestas eleições. Nossa campanha foi absolutamente limpa durante todo o tempo. Não atacamos ninguém. Levamos ao ar nossas propostas, o nosso trabalho, aquilo que fizemos no nosso mandato como senador, sem agredir qualquer dos nossos adversários", afirmou Humberto.

O senador criticou seu adversário pelos ataques. "Todos em Pernambuco conhecemos Mendonça Filho e sabemos da forma baixa e desleal com que ele sempre age nesse período eleitoral. Em 2010, aliás, ele foi preso pela Justiça Eleitoral por descumprimento de regra. O medo da derrota lhe subiu à cabeça", destacou o senador. 

"Poderíamos ter levado à TV desde o chamado 'escândalo dos frangos', jamais explicado por ele, até a delação da UTC na Lava Jato em que Mendonça foi acusado pela PGR por recebimento de propina, passando pela operação Castelo de Areia, na qual ele também foi investigado. Mas não o fizemos. Nos pautamos por apresentar propostas e a diferença entre os projetos que o nosso lado representa e o que ele e Temer representam", disse Humberto. "A justiça provou que estávamos certos", comemorou.

"Parte da elite abandonou a social-democracia pelo fascismo"

Afirmação, é de Fernando Haddad; que em agenda no Rio, ainda afirmou que sua rejeição 
cresceu após os ataques feitos pelo PSDB. (Estadão Conteúdo - Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula).

Cumprindo agenda no estado do Rio nesta terça-feira (2) o candidato do Partido dos Trabalhadores (PT), à Presidência da República, Fernando Haddad, ligou o aumento da rejeição a seu nome por parte do eleitorado, detectado na pesquisa Ibope divulgada na noite de segunda-feira (1), a ataques feitos pelo PSDB.

"Temos sofrido muitos ataques do PSDB, mas isso não está favorecendo o PSDB, e sim o fascismo. Quando você alimenta o ódio, alimenta o fascismo. Aconteceu na Alemanha, na Itália", afirmou o ex-prefeito em agenda da Fundação Instituto Oswaldo Cruz, sem citar explicitamente o oponente Jair Bolsonaro (PSL). "Parte expressiva da elite brasileira abandonou a social-democracia pelo fascismo".

Haddad falou rapidamente à imprensa ao chegar à Fiocruz. Não comentou outros dados do levantamento, como o crescimento do candidato do PSL. Nem o fato de suas intenções de voto não terem subido, como mostrava tendência anterior.

Pesquisa - Bolsonaro passou de 27% para 31% da semana passada para esta, enquanto o petista ficou em 21% nas duas pesquisas. O Ibope ouviu 3.010 eleitores no sábado e Domingo (dias 29 e 30) e a margem de erro é de dois pontos percentuais. Bolsonaro ainda tem a maior taxa de rejeição: 44%. A de Haddad foi de 27% a 38%. 

O candidato do PT defendeu em sua fala que os recursos para a saúde alcancem 6% do PIB, e disse que, se for eleito, a primeira emenda constitucional será a da reforma tributária e do cancelamento da PEC do teto de gastos, "num movimento só". "Não existe um senador ou deputado que não esteja arrependido de ter aprovado essa bobagem", afirmou.  A um repórter argentino, o petista declarou ser amigo do presidente Mauricio Macri e que, "independentemente de divergências ideológicas", os países devem se unir.

Candidatos ao Governo de PE debatem pela última vez no 1º turno

Eleitor pernambucano pode decidir seu voto nesta terça (2),
no debate promovido pela Globo. (JC Online – Foto: JC Imagem).

No próximo domingo (7), 6,5 milhões de pernambucanos vão às urnas tendo escutado muitas vezes que o governador Paulo Câmara (PSB) apoiou o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e que Armando Monteiro (PTB) votou a favor da reforma trabalhista de Michel Temer (MDB). Mas os eleitores escolherão seu futuro governante sem conhecer em detalhes o programa de governo que o vencedor aplicará nos próximos quatro anos à frente do Palácio do Campo das Princesas. A cinco dias do primeiro turno, todos os postulantes entregaram à Justiça Eleitoral apenas um documento superficial, com diretrizes e intenções, mas não prepararam um plano detalhado com a lista completa de propostas, as explicações de como elas serão realizadas e com quais recursos, viabilizadas. É neste cenário que Paulo, Armando, Maurício Rands (PROS) e Dani Portela (PSOL) chegam ao último debate de TV do primeiro turno, às 22h desta terça-feira (2), promovido pela Globo.

De acordo com o sociólogo José Arlindo Soares, a desvalorização dos planos de governo é um fenômeno nacional e recente. Na visão do estudioso, o movimento começou a ser percebido quando a figura do “técnico de campanha” foi substituída pela do “marqueteiro”. “As campanhas em Pernambuco estão se tornando cada vez mais pobres de ideias. As principais candidaturas costumavam ter um grupo de trabalho que envolvia setores técnicos, sindicatos, movimentos sociais e, de forma temática, eram definidos capítulos do plano de governo. Quando tudo estava consolidado, esse programa era apresentado em um grande evento, onde eram anunciadas as metas. Quando isso passa a não ocorrer, as campanhas tornam-se mais pobres”, pontuou.

A apresentação do plano de governo tornou-se obrigatória para o registro da candidatura de postulantes a cargos do Poder Executivo a partir de 2010, por força da lei 9.504/97. A norma, contudo, não especifica o formato que o documento deve ter, levando os candidatos a apresentarem textos pouco aprofundados. 

Ontem, seguidores do Instagram dos perfis de Paulo e Armando questionaram os líderes nas intenções de votos sobre o detalhamento de suas propostas nas áreas de educação e saúde, respectivamente.
.

“Bom dia governador, gostaria de saber o porquê de eu não ter direito ao Passe Livre, tendo em vista que eu passei na UFPE por cotas (não tem o benefício lá), mas depois eu transferi meu curso para a UPE – Benfica (onde tem o benefício) e mesmo assim não consigo utilizar o Passe Livre Estudantil”, cobrou um seguidor a Paulo. A equipe de campanha do governador não respondeu ao questionamento. 

“Candidato, sou diabética e preciso de medicação contínua da farmácia do Estado. Essa questão me interessa muito e eu preciso de uma resposta para concluir minha escolha em quem votar. Todos os meses faltam insumos, não só para pessoas com diabetes, mas pessoas com doenças crônicas”, questionou uma eleitora a Armando. “O atual governo deve mais de R$ 200 milhões aos municípios no repasse obrigatório para a compra de medicamentos, Samu e para a atenção básica”, respondeu a campanha do petebista. “Mas a questão que eu trago não é de repasse aos municípios, e sim a distribuição pela Farmácia do Estado (Fusan), que é de responsabilidade do governo do Estado”, insistiu a pernambucana, que ficou sem resposta.

“Talvez o que crie a brecha para essa ausência de detalhamento seja o fato de que não existe nenhum formato estabelecido para esse documento. A gente tem desde o texto apresentado pela candidatura de Maurício Rands; emblemático porque só tem uma página, e é quase um tweet, e há materiais como o de Dani Portela, que tem 100 pontos, mas é meio um brainstorm, que tem o detalhamento de alguns pontos e a ausência quase completa em outros”, observou Artur Leandro, cientista político do Observatório do Poder.

Para o economista Ecio Costa, professor da UFPE, há temas importantes que não foram discutidos pelos candidatos, como as medidas para retomar o crescimento, o equilíbrio das contas públicas e o déficit na Previdência dos servidores estaduais. “Vejo com maus olhos a falta dos programas de governo. A gente fica numa incerteza muito grande do que realmente vai ser executado pelos candidatos caso eles se elejam. Como vamos dar um voto de confiança a um candidato que fala em propostas, mas não as documenta? Como vamos fiscalizar esses candidatos e cobrar a execução do que eles estão se propondo a fazer? Eles vão gastar mais ou menos? Vão investir em que áreas?”, questiona.

Para o cientista político Ernani Carvalho, também professor da UFPE, a falta de apresentação de propostas tem sido uma dinâmica geral, também na eleição nacional, em que o discurso tem se focado muito em ataques aos opositores, e não na apresentação de planos concretos para os Estados e para o País. “Os candidatos não estão muito interessados nessas questões. Até porque são temas complexos e interligados, que exigem das próprias candidaturas soluções mais sofisticadas e inovadoras, que gastem pouco e atendam à população. E às vezes você precisa gastar muito tempo e recursos para explicar essas propostas. Aí o canto da sereia, a saída mais fácil, é entrar no discurso da polarização e fazer ataques, muitas vezes grosseiros, aos seus oponentes”, finalizou.
.

Usuários de moto em PE são convocados à votar em Armando

Convocação, foi feita apelo Presidente Nacional dos Usuários de Ciclomotores, 
Léo Toscano, que nesta terça (2), anunciou seu apoio ào candidato petebista.

O candidato ao Governo do Estado da coligação Pernambuco Vai Mudar, Armando Monteiro (PTB), ganhou o apoio da representação nacional dos motociclistas. Nesta terça-feira (2), o presidente da Associação Nacional dos Usuários de Ciclomotores (ANUC), Léo Toscano, declarou apoio à candidatura de Armando. E

Em vídeo gravado para as redes sociais, o representante dos motociclistas confirma o sentimento já observado nas ruas, reforçando que a categoria está mobilizada para garantir a vitória de Armando Monteiro. Entre as propostas de governo do candidato está a isenção do IPVA das motos até 150 cilindradas, além de renegociar e parcelar as dívidas dos proprietários de motos, que de acordo com Toscano deve ser levada pela categoria como referência para outros Estados.

“Estamos esperançosos que Armando irá dar atenção aos milhares de motociclistas de motos, principalmente àqueles que dependem do transporte para trabalhar. Somos aproximadamente 400 mil pessoas em Pernambuco que utilizam as cinquentinhas e as motos de até 150 cilindradas como ferramenta de trabalho e de geração de renda”, declarou o presidente da ANUC.

“Não só os trabalhadores, mas como todas as famílias dependem dos rendimentos provenientes das atividades dos homens e mulheres que utilizam as motos. A proposta de Armando Monteiro de zerar o IPVA e também renegociar e parcelar as dívidas vem em boa hora para aliviar as finanças e também alavancar a economia, especialmente nos municípios do interior”, disse ele, destacando ainda que além de moto-taxistas e moto-fretistas, a medida beneficia também o profissional liberal que usa a moto para se deslocar mais rápido e atender seus clientes.

Léo Toscano está à frente da Associação Nacional dos Usuários de Ciclomotores (ANUC) há sete anos. Só de ciclomotores, o Estado possui mais de 37 mil veículos cadastrados junto ao Departamento de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE). Já a frota total de motos emplacadas ultrapassa mais de 1,1 milhão de unidades. Segundo levantamento, as dívidas de motociclistas das diversas cilindradas que não tiveram condições de pagar os encargos do governo soma algo em torno de R$ 10 milhões. Até 2015, as cinquentinhas eram isentas de pagar IPVA, mas, com após a regulamentação do emplacamento, o Governo passou a cobrar o IPVA desses veículos, após lançar um pacote de aumento de impostos estaduais.