quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Recife: Eriberto Medeiros, do PP, é eleito novo Presidente da Alepe

Na eleição realizada nesta quarta (1), Medeiros obteve 40 votos, ante a 6 nulos e outros 2
em branco. (Jairo Lima/Blog da Folha e Gidi Santos – Foto: Roberto Soares/Alepe).

O deputado estadual pernambucano pelo PP, Eriberto Medeiros (foto) foi um consenso entre o seu partido e o PR para ser indicado, eleito e conduzido à presidência da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), na eleição promovida pela casa na tarde desta quarta-feira (1). Depois de uma articulação feita pelo presidente estadual do PP, deputado federal Eduardo da Fonte, Medeiros foi eleito com larga vantagem de votos.

“Agradeço ao pastor Cleiton Collins pelo gesto de abrir mão da disputa interna do PP em busca de um consenso e ao presidente do partido, deputado Eduardo da Fonte, que de forma democrática ouviu os membros do partido”, disse Medeiros. 

Ao total, o presidente eleito contabilizou 40 votos a favor, ante a 6 nulos e outros 2 em branco. Nos bastidores, comenta-se que os votos em branco poderiam ter vindo de PSB e PSD, que estariam insatisfeitos com a escolha. O deputado Edilson Silva (PSOL) representou a única candidatura de oposição. Para o caso de Edilson, ele computou apenas o seu voto. Eriberto Medeiros terá 51 cargos disponíveis em relação à antiga presidência, do deputado Guilherme Uchoa – falecido em 3 de julho.

Vale registrar, Eriberto exercerá um mandato tampão até 31 de janeiro de 2019 em substituição a Uchoa. Candidato a reeleição pelo PTB, com apoio do Prefeito de Garanhuns Izaías Régis, Álvaro Porto foi eleito para a quarta secretaria, também com 40 votos. 

Abaixo, você confere o resultado final da votação desta quarta, na Alepe, que definiu Eriberto como novo Presidente do Legislativo Pernambucano.

Eriberto Medeiros - 40 votos 
Nulos - 6 votos
Em branco - 2 votos

PT confirma aliança com Paulo e rifa candidatura de Marília Arraes

Acordo foi aprovado por 17 votos a 8 e anunciadp pelo deputado José
Guimarães (PT). (JC Online – Foto: Filipe Ribeiro/JC Imagem).

A Executiva Nacional do PT confirmou, na tarde desta quarta-feira (1º), que aprovou uma aliança entre o PT e o PSB em Pernambuco. O acordo foi aprovado por 17 votos a 8, como anunciou o deputado José Guimarães, PT do Ceará.

Com a aliança, o PT deve rifar a candidatura ao governo da vereadora do Recife Marília Arraes. Em contrapartida, o partido deve indicar o senador Humberto Costa para ser candidato à reeleição na chapa do governador Paulo Câmara.

Marília vai resistir - Em um vídeo divulgado a militância, Marília negou posição da Nacional pela aliança e convocou aliados a comparecerem ao encontro estadual de tática eleitoral do PT, convocado para esta quinta (2), onde 300 delegados definiriam se a sigla teria candidato ao Palácio do Campo das Princesas.

Executiva nacional do PT justifica apoio ao PSB: “Lula é prioridade”

Em nota oficial à imprensa, Partido dos Trabalhadores informa que aliança com os socialistas ocorrerá 
em mais outros três estados, além de Pernambuco, sendo eles: Amazonas, Amapá e Paraíba.

Nota Oficial - Resolução sobre tática eleitoral

       “O Partido dos Trabalhadores, por meio de resolução do Diretório Nacional de dezembro de 2017, decidiu conferir prioridade absoluta à candidatura do companheiro Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência da República.

A primazia do projeto nacional nas eleições de 2018 foi reiterada em sucessivas resoluções do Diretório Nacional e da Comissão Executiva Nacional, orientando e vinculando a este projeto as alianças nos estados.

Com o objetivo de fortalecer a unidade do campo popular em torno da candidatura Lula, e na perspectiva de construir as condições políticas para que uma aliança progressista governe o país a partir de janeiro de 2019, a direção do PT desenvolveu intenso diálogo com outros partidos, prioritariamente PSB e PCdoB, com os quais temos vínculos históricos.

PSB e PCdoB estão entre os cinco partidos que assinaram conosco, por meio das fundações partidárias, o manifesto programático Unidade para Reconstruir o Brasil. Nestas eleições, já estamos juntos na Bahia, Acre, Ceará e Maranhão, e trabalhando para constituir alianças no maior número possível de estados.

O PT entende que a unidade do campo popular é necessária para superarmos a profunda crise do país, reverter a agenda do golpe e retomar o projeto de desenvolvimento com inclusão, onde o povo e os trabalhadores voltem a ser o centro das ações de governo.

Nessa perspectiva, o Partido dos Trabalhadores decide incorporar-se às campanhas em que esses aliados históricos disputam governos estaduais, criando as condições para ampliar nacionalmente o apoio à candidatura Lula.

Diante disso, a Comissão Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores, com base no Artigo 159 do Estatuto do PT e cumprindo as resoluções do Diretório Nacional sobre a candidatura do companheiro Lula à Presidência da República, resolve, como diretriz estabelecida por esta instância: Apoiar, nos estados do Amazonas, Amapá, Paraíba e Pernambuco, os candidatos a governador do PSB, assim como já apoiamos a candidatura do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) no Maranhão.

Formalizar este apoio por meio da integração do PT às respectivas coligações majoritárias e ainda, formalizar o convite ao PROS para integrar a coligação nacional em torno da candidatura ao Governo Brasileiro, do ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva.”

Brasília (DF), 1 de agosto de 2018
Comissão Executiva Nacional do PT

FILIG: Campanha de arrecadação de calçados continua em vigor

Até o momento, 80 pares foram doados em ação promovida
pelo Filig. Campanha acontece até o próximo dia 14. (Secom/PMG). 

Durante as mediações de leituras, promovidas pelo Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns (Filig), dentro da programação oficial do 28ª Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), aproximadamente 70 meninos e meninas assistiram à contação de Yalle Feitosa. Também estiveram presentes no local mais de 140 adultos, que puderam conhecer a história do livro “Sapatos Trocados”, do premiado escritor indígena Cristino Wapichana

Os dois encontros foram realizados gratuitamente na Praça da Palavra, nos últimos dias 22 e 27, para crianças. Seguindo a sugestão do livro, o Filig, projeto idealizado pela empresa radicada aqui em Garanhuns, Ferreira Costa em parceira com a Proa Cultural, propôs aos convidados a doação de sapatos. Até o momento 80 pares foram arrecadados. A campanha, segue até o próximo dia 14. Os interessados em doar, podem se dirigir a loja da família Ferreira Costa, no Centro. Após esse período, todo o volume obtido será doado a crianças da tribo indígena Pankararu, localizada em Tacaratu, em Pernambuco.

“Foi um pontapé importante para a 4ª edição do festival. Além de proporcionar momentos de literatura, pudemos criar uma rede de solidariedade que está diretamente relacionada ao tema que elegemos”, avalia Flávia Chiba, gerente de Marketing da Ferreira Costa.  Neste ano, o Filig vai abordar “Um povo em forma de histórias”, buscando valorizar a cultura indígena. A próxima atividade do evento será em agosto, com a realização de oficina educativa para professores, mediadores de leitura e bibliotecários.

Filig – A quarta edição do Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns terá seminários de formação para professores, bibliotecários e mediadores de leitura todos os meses, tendo culminância entre os dias 18 e 20 de outubro. Durante o período, o festival vai promover séries de atividades literárias gratuitas para família. O Filig é uma realização do Ministério da Cultura (MinC), por meio da Lei de Incentivo à Cultura, idealizado pela Proa Cultural e Ferreira Costa, com apoio da Prefeitura de Garanhuns, por meio da Secretaria de Educação Municipal, e do Serviço Social do Comércio (Sesc) Garanhuns.
.

Saúde irá vacinar contra poliomielite e sarampo aqui em Garanhuns

Campanha terá início na próxima segunda (06), no intuíto de imunizar crianças
abaixo de cinco anos. (Secom/PMG – Foto: Reprodução/Jornal Cidades).

Terá início, a partir da próxima segunda-feira, dia 6 de agosto aqui em Garanhuns, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo. A iniciativa, promovida pelo Governo Federal Brasileiro, através do Ministério da Saúde, tem o intuito de diminuir a possibilidade de retorno das doenças, que já foram eliminadas no Brasil. A meta da campanha, que segue até o dia 31 de agosto, é imunizar pelo menos 95% do seu público-alvo, que são as crianças de um ano a menores de cinco (4 anos, 11 meses e 29 dias).

De acordo com dados do Ministério, em Pernambuco, o público-alvo é de aproximadamente 544,1 mil pessoas. Para atender a esse público, o estado irá dispor de doses das vacinas Inativada Poliomielite (VIP), Oral Poliomielite (VOP) e da Tríplice viral; que protege contra sarampo, rubéola e caxumba. Para o estado de Pernambuco foram distribuídas 1,37 milhão de doses das três vacinas.

Para a poliomielite, as crianças que não tomaram nenhuma dose durante a vida receberão a VIP. Já os menores de cinco anos que já tiverem tomado uma ou mais doses da vacina, receberão a VOP, a gotinha. Em relação ao sarampo, todas as crianças receberão uma dose da vacina tríplice viral, independente da situação vacinal, desde que não tenham sido vacinadas nos últimos trinta dias.

Em Garanhuns, todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) do município estarão realizando a vacinação a partir da próxima semana, sempre das 08h às 16h na área urbana, e das 8h às 14h na área rural. “É importante ressaltar que o nosso público-alvo são as crianças, os adultos não estão incluídos na campanha. Isso só aconteceu em alguns estados do Norte do país, onde foram registrados casos de sarampo, onde a imunização foi antecipada e estendida para idades mais elevadas”, afirmou a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações (PNI) em Garanhuns, Luciana Andrade.

Dia D — Com o objetivo de atingir uma parcela ainda maior da população, será realizado no sábado, 18 de agosto, o Dia D de mobilização, com as unidades do município atendendo em horário estendido, das 08h às 17h, e mais dois pontos de apoio, localizados no Espaço Colunata, no Centro; e na Praça Souto Filho, a popular praça da Fonte Luminosa.

Garanhuns: Prefeitura abre seleção para estágio em Pedagogia

Inscrições iniciaram nesta quarta (1), e seguem até o próximo dia 12 de
agosto. Ao total, 20 vagas estão sendo oferecidas. (Secom/PMG).

A Prefeitura Municipal de Garanhuns, através da Secretaria de Educação (Seduc) irá selecionar estagiários para compor o quadro de servidores da pasta. O recrutamento é para estudantes de Licenciatura em Pedagogia e ocorrerá de acordo com regras pré-estabelecidas no edital disponível no portal da Prefeitura de Garanhuns, pelo endereço eletrônico https://bit.ly/2OyIpxQ. As inscrições podem ser realizadas a partir de amanhã (1) e seguem até o dia 12 de agosto, pelo site do Centro de Integração Empresa Escola de Pernambuco (CIEE): www.ciee-pe.org.br.

Entre os requisitos, os candidatos devem estar cursando a partir do 4º período de curso e terem disponibilidade 04 (quatro) horas diárias e 20 (vinte) horas semanais nas instituições de ensino da Rede Municipal. Estão sendo ofertadas 20 vagas para estágio nas etapas da Educação Infantil e Ensino Fundamental.

As provas serão aplicadas na Escola Padre Agobar Valença, localizada na Av. Caruaru, 508, Heliópolis, no 1º andar, no horário das 14h às 17h. O valor da bolsa de estágio é de R$ 468,50 e R$ 84,00 de auxílio transporte, totalizando R$ 552,50. O edital estabelece, ainda, que 5% das vagas serão destinadas para pessoas com deficiência.

PE: Armando culpa Paulo por onda de assaltos a bancos no interior

“Pernambuco vive dominado pelo medo e isso não é algo mais restrito
ao Recife e à Região Metropolitana”, adverte Monteiro.

O pré-candidato ao Senado pela frente de oposição “Pernambuco Vai  Mudar”, senador Armando Monteiro (PTB), voltou a criticar a falta de pulso do governador Paulo Câmara (PSB), no combate à violência no Estado. “Falta atitude, falta voz, falta pulso firme. Pernambuco vive dominado pelo medo e não é algo mais restrito ao Recife e à Região Metropolitana: as cidades do interior têm sido sistematicamente alvo da ação dos bandidos”, salientou Armando em comunicado a imprensa.

O senador se refere à madrugada de terror nas cidades de São Bento do Una e Santa Cruz do Capibaribe, em que três agências bancárias foram explodidas por grupos organizados de assaltantes fortemente armados. Em São Bento do Una, uma família chegou a ser feita refém dos assaltantes.  “Duas crianças ficaram sob a mira de um bandido. Isso é inaceitável e tem que mudar. O Pacto pela Vida tem que ser repactuado e não focar apenas em números, mas em eliminar o medo dos pernambucanos de vez.”

“O modus operandi dos assaltantes é o mesmo. Eles chegam de madrugada, ateiam fogo em carros da própria polícia, colocam grampos nas estradas para impedir a perseguição. Todo mundo sabe como eles agem. A falta de investimento em inteligência  impede que a polícia se antecipe às ações. Isso é algo que temos que mudar”, continua Armando, lembrando ainda, que apenas no mês de julho deste ano, ocorreram, segundo informações veiculadas na imprensa, ações do gênero em seis cidades do Agreste (São Bento do Una, Santa Cruz do Capibaribe, Lagoa dos Gatos e Surubim) e da Zona da Mata (Quipapá e Pombos), tendo dez estabelecimentos sido explodidos.

“O pior é que essas agências, muitas vezes, não são reabertas. Isso traz um prejuízo grande à população, que tem que ir a outras cidades para poder sacar dinheiro ou receber sua aposentadoria ou benefício. Sem falar nas filas gigantes que se formam nas lotéricas, Correios e correspondentes bancários. A economia desses municípios também perde, pois os negócios terminam sendo feitos onde os bancos estão”, arremata.

O Ministério Público de Pernambuco tem atuado, junto à Associação Municipalista de Pernambuco, para que as instituições bancárias sejam reabertas, orientando os promotores a ajuizarem ações contra os bancos. “O governo do Estado se omite duas vezes: ao não dar segurança e ao não atuar para reabrir as agências. Isso só acontece porque esse governo se esconde”, finaliza o senador, pré-candidato ao Governo de Pernambuco.

Polêmicas de cantores e de peça no FIG 2018 repercutem na Alepe

Sobre os insultos feitos aos cristãos por peça com Cristo trans e declarações de cantores, sugerindo 
que Jesus seria "homossexual", deputado Joel da Harpa classificou: “O grande responsável, é o Governador".

A polêmica em torno da peça teatral O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu – em que Jesus Cristo é retratado como transexual – rendeu comentários no Plenário da Assembleia Legislativa do Estado de Pernambuco (Alepe), no retorno das atividades legislativas, nesta quarta (1º). Os deputados Adalto Santos (PSB), André Ferreira (PSC) e Joel da Harpa (PP) foram à Tribuna registrar indignação com o caso, que consideraram desrespeitoso com os cristãos. Edilson Silva (PSOL) fez uso da palavra para pedir “equilíbrio” e Waldemar Borges (PSB) registrou ressalvas à “exploração política” do tema.

A obra seria apresentada no Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), realizado pelo Governo do Estado com apoio de parceiros privados, e acabou excluída da programação no último final de semana, após uma sucessão de decisões judiciais. O espetáculo acabou acontecendo na cidade do Agreste Meridional, paralelamente ao evento, em uma apresentação privada, custeada por recursos arrecadados pela internet.

Adalto Santos agradeceu ao Governo do Estado por acolher os pedidos pela retirada da montagem teatral da programação. “Deixamos nosso repúdio aos organizadores da peça. O Brasil não é dirigido pela Bíblia, mas todos nós seremos julgados por ela”, afirmou. “Esse pessoal será responsável por causar uma guerra civil no nosso País. Eles não têm limite para afrontar o Cristianismo”, criticou Adalto (foto), no retorno das atividades da Alepe.
.

Já para André Ferreira, a gestão estadual teve culpa no ocorrido. “O Governo já não tem controle sobre a violência, não consegue mais oferecer saúde de qualidade aos pernambucanos e agora peca contra a família cristã”, disse. “O FIG foi criado para incentivar a cultura, não para incentivar movimentos LGBT”, frisou. Joel da Harpa se manifestou no mesmo sentido: “O grande responsável é o governador Paulo Câmara, quando colocou a peça na programação e causou essa celeuma enorme”.

Edilson Silva pediu que se diminuíssem os “tons acusatórios”. “Estive em Garanhuns, vi a peça e o que assisti foi a uma mensagem sobre perdão, gratidão e acolhimento”, relatou. “Quem se ofendeu tem todo o direito de ficar ofendido, mas, em um momento de temperatura tão alta, nós precisamos refletir”, continuou. “Não podemos confundir as coisas e utilizar a situação para fazer disputa eleitoreira.”

Waldemar Borges (foto, abaixo), observou que a escolha da programação do FIG foi feita por uma comissão “que pode não ter percebido a dimensão que o assunto iria tomar”. “Alguns querem atribuir diretamente ao governador, ou mesmo ao secretário de Cultura, a responsabilidade por algo que não foi deliberado pessoalmente por nenhum dos dois”, ressalvou Borges, em seu pronunciamento na casa Joaquim Nabuco.
.

O pronunciamento de artistas sobre o episódio, durante apresentações do festival, também provocou reações de deputados. Parlamentares revelaram mal-estar principalmente com as declarações do cantor Johnny Hooker. No último fim de semana do evento, ao tentar defender a peça, o artista disse que Jesus era “travesti”.

“É um cantorzinho, um homossexual que quer colocar em Pernambuco as suas práticas. Em nosso Estado queremos respeito”, declarou André Ferreira, comunicando que irá procurar a Justiça para impedir que o artista seja pago pelo show. “Faremos um grande movimento, unindo todas as igrejas cristãs: ‘se Paulo Câmara pagar o cachê, o voto não vai ter’ ”, anunciou Joel da Harpa. A causa foi acompanhada, em apartes, por Adalto Santos e Pastor Cleiton Collins, este último um dos líderes do PP na Assembleia Legislativa.

Jadeval de Lima (PMN) também manifestou repúdio à conduta do cantor, mas disse estranhar que a discussão “esteja sendo levada para culpar Governo ou Oposição”. “O tema não tem nada a ver com isso”, opinou. Já Priscila Krause (DEM) ponderou que a gestão estadual errou ao deixar de dialogar com a sociedade civil no processo de escolha da programação do festival. “Sem a interlocução, em algum momento o desentendimento iria aflorar, como ocorreu neste ano. Um evento para agregar diferentes públicos acabou acirrando os ânimos e provocando um debate sem vencedores”, lamentou.

Também criticaram a postura de Johnny Hooker, em apartes, os deputados Álvaro Porto (PTB), Antônio Moraes (PP), Bispo Ossesio Silva (PRB), Odacy Amorim (PT), Rodrigo Novaes (PSD) e Teresa Leitão (PT). Na Tribuna, Edilson Silva e Waldemar Borges também expressaram reprovação à conduta do artista.
.

Eleições: Marília Arraes está fora da disputa pelo Governo de PE

Com decisão do PT, partido deve seguir rumo a uma aliança aqui em Pernambuco 
e no país, com o PSB de Paulo Câmara. (Blog da Folha – Foto: Divulgação).

A vereadora recifense Marília Arraes (PT) foi informada por telefone pela presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, após reunião do Grupo de Trabalho Eleitoral (GTE), nesta terça-feira (31), em Brasília, de que não será mais candidata ao Governo de Pernambuco.
O PT decidiu aceitar a proposta de apoio do PSB em 11 estados.

Nesta quarta-feira (1), haverá a reunião da Executiva Nacional petista para referendar o acordo no Estado. Na quinta-feira (2), será a vez da executiva estadual realizar sua reunião. Já o Diretório nacional do PT marcou seu encontro para sexta-feira. Finalmente, no próximo sábado (3), em São Paulo, o partido deverá lançar a candidatura do ex-presidente Lula – preso desde 7 de abril – durante a convenção. 

O senador Humberto Costa (PT) deve ocupar uma das vagas ao Senado na chapa que tenta reeleger o governador Paulo Câmara . A outra é do deputado federal Jarbas Vasconcelos (MDB), crítico ferrenho do PT e do ex-presidente Lula. 

A neutralidade nacional do PSB possibilitaria arranjos locais em Pernambuco, e na desistência da candidatura de Márcio Lacerda (PSB) ao governo de Minas Gerais. A vereadora enfrentou resistência dentro do próprio partido desde o ano passado, quando evidenciou o desejo de ser a candidata ao governo. O grupo capitaneado pelo senador Humberto Costa (PT), argumentando a importância do PSB no contexto nacional diante da situação do ex-presidente Lula, preso em Curitiba, defendeu a aliança com Paulo Câmara. 

Em 2014, Paulo Câmara apoiou, no segundo turno, o senador Aécio Neves (PSDB) para a Presidência da República e também se posicionou de maneira favorável ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Os aliados de Marília vão insistir para que o encontro estadual seja realizado nesta quinta. "Reitero a importância do respeito ao encontro como instância partidária", disse a deputada estadual Tereza Leitão (PT).

A decisão do PT já teria sido comunicada ao governador Paulo Câmara. Por meio da secretaria de imprensa, ele afirmou que não iria se pronunciar sobre o assunto.

O outro lado – Marília grava vídeo e nega que esteja fora da disputa. Confira:

FIG: Deputado pede suspensão no pagamento de Johnny Hooker

Segundo André Ferreira, que discursou nesta quarta (1), Na Alepe, Hooker ofendeu aqueles 
que professam a fé cristã, ao afirmar que Cristo seria “travesti” “bicha”. (Jamildo Melo - Foto: Divulgação)

O deputado estadual e presidente aqui no Estado do PSC, André Ferreira (foto acima), usou a tribuna da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), nesta quarta-feira (1), para anunciar que deu entrada no Ministério Público de Pernambuco em uma ação contra o Governo do Estado para que ele suspenda o pagamento do cachê do artista Johnny Hooker, que se apresentou no último dia 27 de julho aqui na cidade, dentro da programação oficial do 28ª Festival de Inverno de Garanhuns (FIG). O parlamentar também solicitou da Fundarpe, além da suspensão do pagamento, a cópia integral do processo administrativo de contratação do artista pernambucano, para essa edição do evento.

O documento apresentado pelo deputado argumenta que “o cantor agrediu as pessoas e grupos religiosos que se colocaram contra a encenação da peça, com palavras chulas e incitação ao ódio”, durante a sua apresentação no Festival de Inverno de Garanhuns, citando a polêmica envolvendo a peça O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu. Durante o seu discurso, André condenou o fato de a Secretaria de Cultura ter tentado politizar o tema, ao desferir críticas ao prefeito de Garanhuns. “Fico muito triste quando um secretário tenta levar isso para o lado político. Não é o lado político, senhor Marcelino Granja. O senhor tem que nos respeitar, nós que somos cristãos”, afirmou.

O parlamentar pernambucano acrescentou ainda, que se o governador Paulo Câmara (PSB), não concorda com o que foi apresentando no festival, ele “pecou por omissão”. Em seu discurso, o deputado disse considerar uma afronta aos cristãos a manifestação do cantor. “Quando defendemos a nossa fé somos tachados de fundamentalistas, mas quando um artista chama Jesus de “bicha” é arte. Isso é um absurdo.”
.

Entre as atrações contratadas estava a peça teatral O Evangelho Segundo Jesus, Rainha dos Céus, cuja qual, Cristo era protagonizado como sendo um transsexual. Em meio a uma série de liminares ora proibindo, ora autorizando a encenação, o cantor aproveitou o show no palco principal do evento para atacar grupos religiosos, chegando a classificá-los de “fundamentalistas”. Além disso, na mesma oportunidade, o cantor Johnny Hooker puxou o coro “Hiii, Hiii, Hiii, Jesus é travesti”, para em seguida, afirmar: “Eu estou aqui hoje para dizer que Jesus é travesti, sim! Jesus é transexual, sim! Jesus é bicha, sim!”.

“A repercussão promovida pelo artista Johnny Hooker, com atos de protesto, custeados com recursos públicos, merecem repreensão, representação, como ainda medidas administrativas e judiciais, para preservar o erário público. Não é tolerável que o povo de Pernambuco pague para ser agredido!!!”, colocou André Ferreira. “O artista deveria colocar as suas posições em modo privado, e não em um evento custeado com dinheiro público”, disse André ainda na Alepe, visivelmente indignado.

O deputado também cobra do Governo do Estado a apuração a conduta do contratado. “A instauração de processo administrativo se destina a apurar as condutas do contratado e, ao final, rescindir a respectiva contratação por culpa do contratado pela prática de falta de decoro, incitação ao ódio, perturbação da paz social e agressão à honra e à dignidade de grupos religiosos”, afirma André, em sua representação.

O pedido tem base na Lei da Ação Civil Pública, que disciplina, no seu artigo primeiro, que “regem-se pelas disposições desta Lei, sem prejuízo da ação popular, as ações de responsabilidade por danos morais e patrimoniais causados: (…) à honra e à dignidade de grupos raciais, étnicos ou religiosos”.
.

Aliado de Câmara fica do lado dos Cristãos – Em que pese o deputado estadual André Ferreira (PSC) se insurgir em vistas ao Governo do Estado de Pernambuco não proceder com o pagamento ao cantor Johnny Hooker, pelo show realizado aqui em Garanhuns no 28º FIG, o ex-vereador Sivaldo Albino (PSB), aliado do Governador Paulo câmara aqui na cidade, que disputará uma vaga de deputado estadual, também atua para que Hooker seja penalizado por suas manifestações hostis.

Albino, que ainda não havia se pronunciado, sobre todas essas polêmicas envolvendo o FIG, e que chegou a ser ironizado nas redes sociais, por afirmar que o Festival seria um evento a “custo zero”, para os garanhuenses e pernambucanos de forma geral, recomendou a Fundarpe/Secult, que além de Johnny (R$ 35 mil), Daniela Mercury (R$ 150 mil), não receba o cachê de seu show, já que de acordo com Albino, ambos teriam quebrado a finalidade de seus contratos, partindo para manifestações e ataques hostis a população garanhuense e aos cristãos espalhados por todo o Brasil.

Em comunicado distribuído a imprensa na noite da última terça-feira, 31 de julho, Sivaldo informa que para o caso de não ser acatada sua recomendação, uma ação impetrada por ele, a exemplo de André, também no Ministério Público, poderá obrigar o Governo do Estado, a não proceder com o pagamento dos artistas. “O FIG é maior que a polêmica deste ano; maior que interesses políticos e precisamos sempre defender o seu crescimento”, destacou Albino no comunicado.