sexta-feira, 27 de julho de 2018

Rock do Titãs encerra o 28º Festival de Inverno de Garanhuns

Neste sábado (28), banda apresentará show com músicas consagradas, como “sonífera Ilha”, apesar de
entoar novas composições do disco atual, ópera-rock. (G1/Caruaru e Região – Foto: Fábio Tito/G1).

Longe do Festival de Inverno de Garanhuns desde 2014, os Titãs estão de volta ao Agreste Meridional de Pernambuco. O grupo paulista vai encerrar a 28ª edição do FIG neste sábado (28), às 00h30, no Palco Mestre Dominguinhos. Com 36 anos de carreira, a banda para o show no FIG será formada por Sérgio Britto, Tony Bellotto, Beto Lee, Mário Fabre e Lee Marcucci, que assume o baixo até o retorno de Branco Mello aos palcos - ele está na reta final do tratamento contra um câncer na laringe.

Com participações de Tony Bellotto e Beto Lee nos vocais, canções do novo disco, a ópera-rock "Doze Flores Amarelas", e sucessos como “Epitáfio”, “Flores”, “Sonífera Ilha”, "Lugar Nenhum" e "Cabeça Dinossauro" estarão no repertório da apresentação.

A estreia da turnê "Doze Flores Amarelas" está prevista para o mês de setembro, assim como a volta de Branco Mello. CD e DVD homônimos também serão lançados pelo grupo no mesmo período. O 15º álbum de estúdio, que conta com 25 canções inéditas divididas em atos e interlúdios narrados pela cantora Rita Lee, já está disponível nas mais diversas plataformas digitais desde o mês de abril deste ano.

Com a proposta de incendiar o encerramento do 28º Festival de Inverno de garanhuns, neste sábado, o Titãs concedeu entrevista exclusiva para o Portal G1 Caruaru e Região, do grupo Globo/TV Asa Branca. Para conferir tudo, é só clicar aqui.

Abaixo, você confere a programação completa
deste sábado de encerramento do FIG:

20h – Andrea Amorim
21h – Renata Arruda (PB)
22h – Lula Queiroga
23h – Nova Cena Pernambucana – Juliano Holanda, Aninha
Martins, Flaira Ferro, Isaar, Isadora Melo, Martins, Almério, Amaro
Freitas e Romero Ferro
          00:30 Titãs
.

Bruno Araújo será candidato ao Senado na chapa de oposição

Depois de um quase desembarque da chapa de Armando Monteiro, Bruno agora será anunciado 
oficialmente candidato ao senado neste sábado. (JC Online – Foto: Ricardo B. Labastier/Acervo JC Imagem).

O deputado federal pernambucano pelo PSDB, Bruno Araújo, bateu o martelo e foi confirmado nesta sexta-feira (27) como candidato ao Senado na chapa de oposição Pernambuco Quer Mudar. O anúncio será neste sábado (28), na sede do PSDB.

O outro pré-candidato ao Senado na chapa é o também deputado federal Mendonça Filho, que integra os quadros do DEM. Liderança do grupo de oposição, Bruno Araújo era considerado certo na vaga no início da formação da chapa. 

No último fim de semana, Bruno Araújo, que é presidente estadual do PSDB, ameaçou romper com a frente de oposição, cujo pré-candidato ao Governo de Pernambuco e líder dela, é o senador Armando Monteiro Neto (PTB). O tucano divulgou carta em que reclamava do veto do petebista ao seu nome para compor a chapa majoritária como candidato ao Senado e admitia no texto a possibilidade de sair também candidato ao governo, para dar palanque ao ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin, presidenciável do partido. Araújo fez as pazes com Armando Monteiro nessa terça-feira (24).

Relação pacificada - O PSDB teve um momento de afastamento de Armando nos últimos dias, com Bruno vindo a público para dizer que estava retirando sua postulação ao Senado. O caso, porém, foi pacificado depois que o petebista abriu o palanque para a candidatura presidencial do ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB).

"Totalmente pacificada (a relação). Foi realmente uma necessidade que o PSDB teve de ter de forma mais incisivo o compromisso de Armando com a participação de Alckmin em Pernambuco", explicou Terezinha.

Casa Galeria Galpão promove diversidade artística em exposições

Entre os trabalhos que podem ser conferidos, destaque para as exposições de Fotografia, 
Labirinto de Cabras e o Touro de Mármore, de Iezu Kaeru. (Secom/PMG – Fotos: Camila Queiroz).

Desenho, instalação sonora, peças de cerâmica, performance e outras formas de arte podem ser conferidas na Casa Galeria Galpão, durante o 28° FIG, aqui em Garanhuns. Até o próximo sábado (28), o público poderá conferir exposições de Design e Moda, Fotografia e Artes Visuais no espaço localizado na Avenida Dantas Barreto, 120, das 16h às 22h.

Na área de Design e Moda, podem ser vistos os projetos Tipos Agrestes, de Fátima Finizola, a Mostra-manifesto da Casa Pernambucana, de Mariana Valcácio, Memória gráfica do Festival de Inverno de Garanhuns, de Bruno Veríssimo, Um olhar para o sublime obscuro, de Lorde Jimmy, Rolezinho Expodesign 2018, de Cristiano Brito, Vestindo arte 3D, de Gustavo Free e Da Mata Norte para a Califórnia, de Walther Moreira Santos.

As exposições de Fotografia, Labirinto de Cabras e o Touro de Mármore, de Iezu Kaeru, Warao – O Povo da Canoa, de Luiz Netto, Carnaval em foco – Imaginário Coletivo, do Coletivo Diálogos também estão presentes na Casa. A Mostra Autorretrato Nordeste – Quilombo de Alagoas, é formada por imagens de crianças e adolescentes que vivem em quatro comunidades quilombolas de Alagoas.

Cem mãos de cerâmica em estilo hiper-realista estão dispostas no chão da Casa Galeria Galpão, através do Memorial de mãos sem memória, de Tonfil. As exposições Vaginas-Flores, de Ana Flávia Mendonça, Meditação, de França Bonzion, e Agosto & Archeos, de Thelmo Cristovam, também fazem parte da Galeria.

Intervenções externas também estão sendo realizadas. Na categoria de Design e Moda, será realizado o desfile “O Acervo Boutique”, que promove a moda sustentável, no próximo sábado (28), na Praça Mestre Dominguinhos. Em Fotografia, o projeto “Ares de Pernambuco – Mostra e Intervenção Fotográfica Urbana”, expõe fotos aéreas de Pernambuco obtidas durante 8 anos. A ação é feita por Luciana Ourique e pode ser vista nas ruas de Garanhuns. Na Praça da Palavra, Priscila Rezende irá levar a performance “Bombril”, no próximo sábado (28). Além disso, o Clandestino Café também está funcionando na parte externa da Casa Galeria Galpão.

Para conferir a programação completa clique aqui.

Hip Hop: Parque Euclides Dourado receberá 2ª jornada MC’S no FIG

Encontro, que reúne a turma do hip hop, acontecerá durante todo o sábado, 
dia 28, mesmo dia em que se encerra o Festival e Inverno de Garanhuns.

Criada em 2005 com a proposta de aproximar o Hip Hop pernambucano da poesia popular, a Jornada de MCs encontrou no Festival de Inverno de Garanhuns o espaço ideal para promover o diálogo entre essas referências culturais. Marcado no calendário do Estado como um momento de efervescência e diversidade artística, o FIG recebe a Jornada MCs, pelo segundo ano consecutivo e contará com uma série de atividades realizadas pelo evento neste sábado (28), entre às 9h e 21h, no polo Som na Rural (Parque Euclides Dourado). 

Depois da repercussão positiva da primeira edição em Garanhuns, no ano passado, o Encontro volta para o FIG em 2018 com uma proposta mais ampla e cada vez mais consolidada no agreste do Estado. "Tivemos uma aceitação maior neste ano, depois do sucesso do ano passado, quando mobilizamos 17 cidades e levamos 16 MCs para batalhar. Neste ano, estamos contando com a maioria das periferias e dobramos o número de MCs: serão 32 competindo diretamente, além de 10 competidores do estilo livre (all style 1x1) e 16 B-boys e B-girls (batalhando pela paz)", calcula DJ Big, que é o idealizador da Jornada.

Ao todo, participarão rappers de cerca de 20 municípios, dentre eles Paulista, Recife, Olinda, Ipojuca, São Lourenço, Goiana, Arcoverde, Belo Jardim e Ouricuri. As comunidades marcarão presença expressiva, já que, só do Recife, por exemplo, representantes das favelas do Ibura, Santo Amaro e Alto de Santa Terezinha estarão no páreo. "Quando a gente decidiu no ano passado que o encontro seria no FIG, percebemos que a gente precisava envolver outros municípios com essa pegada de fortalecer o cenário de outras cidades, por isso, a gente chama de Encontro Estadual de Mcs", explica Big.
.

Programação - Apesar do nome focar no exercício da rima, o produtor esclarece que o evento abrange as quatro expressões da cultura Hip Hop (Graffiti, DJs, MCs e B-Boys/B-Girls), a exemplo, o Batalhando pela Paz. "A Jornada acontecia todo ano no Pátio de São Pedro e a ideia era fazer um encontro entre cantadores de viola, repentistas e MCs. Queríamos ver nossas culturas dialogando juntas (poesia urbana e poesia popular), mas, acima de tudo, fortalecer a cultura do hip hop a partir do MC. Ao longo dos anos, a gente começou a colocar cypher de break (roda de dança), intervenção de graffiti, entre outras coisas, e aí, o evento se tornou um evento de hip hop, mas o nome ainda permanece o mesmo", relembra, ao destacar que a Jornada começa às 9h, com a roda de diálogos "Hip Hop pra Vida", em que os MCs serão convidados a falar sobre seus cotidianos, com o intuito de informar e oferecer educação social quem comparecer ao espaço. 

Às 10h começa o Batalhando pela Paz (batalha de break - 2x2)  enquanto que às 11h, terá início o Live Paint Graffiti. Às 13h, a cultura popular toma conta do palco com a Orquestra Maia e a cantora de samba Adriana B. Em seguida, às 14h, iniciam as batalhas de all style e logo na sequência, às 14h30, começam as batalhas de MCs. "As batalhas seguem o critério de liberdade de expressão, porém os jurados estarão atentos ao conhecimento dos competidores. O MC tem que desconstruir o oponente na inteligência, na sabedoria, e não pode ficar falando besteira sobre o outro. Queremos mostrar a cara da juventude periférica e do nosso povo negro, elevando os talentos da periferia num espaço que é deles por direito", observa Big, que quer legitimar, através da ação, o trabalho de quem já faz rima no cotidiano em suas quebradas brasil a fora. 

Mulheres - Apesar de contar com apenas duas MCs mulheres participando das batalhas, o produtor enfatiza o interesse de incluir mais representantes femininas na Jornada. "Ainda há poucas meninas fazendo rimas de batalha, mas no meio disso tudo, ainda haverá DJ mulher, apresentadora, jurada, b-girls, poetisas e apresentação de all style envolvendo várias garotas também", justifica ele, que deseja contar com mais mulheres nos próximos anos em que a jornada acontecerá no Festival de Inverno.
.

JORNADA MC’S

Sábado, 28/07 – Polo Som na Rural 
9h - Roda de Diálogos “Hip Hop pra vida!”
10h - Batalhando pela Paz com MC OKADO, DJ SONTERIA
e DJ NIXON Participação Especial: JUNIOR BALADEIRA
11h – Live Paint Graffiti
13h - Orquestra Maia e Adriana B.
14h - Estilo Livre
Batalha de All Style
Apresentação: HulliPop
14h30 - Encontro Estadual de MC's com DJ BIG e DJ
MANU LIERA MC Negrita, MC Hope e MC Nikole Black

Ao longo do dia haverá diversas performances, poesia, rimas
(microfone liberado) e live paint graffiti.

FIG: Nação Zumbi, Emicida, Stil Living e Attooxxáé atraem multidão

Abertura da noite desta quinta-feira (26) ficou por conta da banda Still Living, natural de Garanhuns, 
que incendiou a plateia com seu rock autoral e progressivo. (Fotos: Hilton Marques/Secom/PMG).

Uma legião de fãs, vindos em diversas caravanas do Nordeste, pôde assistir, na noite desta quinta-feira (26), uns dos shows mais esperados do 28º Festival de Inverno de Garanhuns: Nação Zumbi, Emicida e ÀTTØØXXÁÉ. O público, que compareceu em peso à Praça Mestre Dominguinhos, vibrava a cada música e, mesmo sob um frio de 15º, mostrou que há sempre espaço para celebração da diversidade musical e cultural de nosso país. 

A abertura da noite ficou por conta da banda Still Living, natural de Garanhuns, que incendiou a plateia com seu rock autoral e progressivo. Em seguida, vieram os baianos do ÀTTØØXXÁÉ que, numa mistura de pagodão baiano e música eletrônica, botou o público para dançar ao som de suas músicas vibrantes e cheias de coreografias. Destaque para o hit "Popa da Bunda", que gravaram com o grupo Psirico.

Esperado por uma multidão de admiradores, o paulista Emicida deu seu recado no Palco Domininguinhos e fez uma verdadeira celebração da música rap, com músicas como "Passarinhos", "Hoje Cedo", "Madagascar", "Pantera Negra" e "Baiana". 

No final, a banda pernambucana Nação Zumbi entoou grandes sucessos de sua carreira, como "Um Sonho", "Manguetown", "Maracatu Atômico" e regravações que fizeram para o último disco "Radiola ZN Vl.1", como "Refazenda", de Gilberto Gil, e "Amor", de Secos e Molhados. Voltaram para o bis e, como é de costume, encerraram com "A Praieira", grande hit do Movimento Manguebeat.
.

.