sexta-feira, 1 de junho de 2018

"Faltam papel, tinta para impressora e até internet nas delegacias"

Denúncia é da Associação dos Delegados de Polícia do Estado
de Pernambuco (Adeppe). (Raphael Guerra - Ronda JC – Foto: Reprodução).

Apesar do Governo de Pernambuco comemorar a redução dos índices de criminalidade nos últimos dois meses, o mal-estar na Polícia Civil parece não ter fim. Profissionais, entre agentes, comissários e delegados, não escondem a insatisfação pelas péssimas condições de trabalho. E nesta semana foi a vez da Associação dos Delegados de Polícia do Estado de Pernambuco (Adeppe) vir a público fazer críticas. A instituição afirmou que materiais básicos como papel, tinta para impressora e até computador com internet estão em falta nas delegacias espalhadas por todo o estado.

“É comum faltar materiais como papel e tinta para impressora, itens de proteção individual e limpeza, além de haver dificuldades para uso de computador e internet, sendo preciso, não raramente, que os delegados solicitem ajuda das prefeituras para poder trabalhar”, informa a Adeppe. Em algumas situações, policiais fazem até cota para comprar tinta e conseguir imprimir os boletins de ocorrência, a exemplo de casos já registrados na Central de Plantões da Capital, no bairro de Campo Grande, Zona Norte do Recife.

Outro problema já denunciado inúmeras vezes pelo Ronda JC é que o cidadão enfrenta dificuldades para registrar queixas, porque encontram muitas delegacias fechadas à noite e nos fins de semana, apesar de a Polícia Civil de Pernambuco afirmar que em todas as unidades há pelo menos um policial de plantão.

Em uma nota oficial, a associação afirmou que “não vê razão para comemorar a atual redução da violência”. Disse também que o aumento dos índices de homicídios e crimes contra o patrimônio, registrados nos últimos quatro anos, foi resultado “dos investimentos insuficientes na segurança pública, sendo a Polícia Civil a instituição mais afetada”.

Confira, a seguir, o texto publicado pela Adeppe:

“A Adeppe informa que a verdadeira razão para o aumento da violência em Pernambuco nos últimos anos é decorrente dos investimentos insuficientes na segurança pública, sendo a Polícia Civil do Estado de Pernambuco, a instituição mais afetada. Conforme as estatísticas comprovam, o sucateamento da polícia judiciária coincide com o aumento do número de ocorrências criminais.

Desde fevereiro deste ano, quando novos delegados tomaram posse, após quase nove anos sem nomeações, o número de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) e de Crimes Violentos Contra o Patrimônio (CVP) diminuíram de maneira significativa, tendo no mês de abril uma redução de 30,74% no CVLI em relação ao mesmo mês de 2017.

A Adeppe informa que também houve redução a partir de setembro de 2009, outro momento de posse de novos delegados. Na época, ocorreu diminuição de 94 assassinatos em relação ao mesmo mês de 2008. Fica claramente demonstrado que, quando se investe na Polícia Civil, os resultados positivos chegam rapidamente.

A falta de planejamento prejudica a reposição do efetivo diante das inúmeras aposentadorias, que causam sobrecarga de trabalho para os remanescentes e ocasionam inevitável diminuição na remessa de inquéritos para a Justiça. O tráfico de drogas também aumenta as estatísticas, sendo responsável atualmente por 60% dos homicídios no Estado, segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS), comandada atualmente pelo delegado Antônio de Pádua. A criminalidade cresce em decorrência da sensação de impunidade.

A Adeppe ressalta, ainda, as condições deficitárias de trabalho nas delegacias. É comum faltar materiais como papel e tinta para impressora, itens de proteção individual e limpeza, além de haver dificuldades para uso de computador e internet, sendo preciso, não raramente, que os delegados solicitem ajuda das prefeituras para poder trabalhar.

Por fim, a Adeppe, ciente da gravidade da situação, não vê razão para comemorar a atual redução da violência e reforça seu compromisso de continuar a reivindicar condições adequadas de trabalho para a categoria, a fim de que a população fique mais segura.”
.

Atenção: Veja até quando você poderá transitar com o CRLV 2017

Placas com terminação 1 e 2 já devem circular com o documento 2018 a partir desta sexta (01). Para 
as outras terminações, prazo varia de junho até agosto. (JC Online – Foto: Sérgio Bernardo).

Com a obrigatoriedade do CRLV 2018 para placas terminadas em 1 e 2 a partir desta sexta, dia 1 de maio, é preciso ficar atento aos prazos para as outras terminações. Este ano, segundo o Detran, os boletos foram entregues em janeiro, com vencimento final no mês de abril, para os condutores que optaram pelo pagamento parcelado.

Para as terminações 3, 4 e 5, o prazo para andar com o CRLV 2017 se encerra agora no mês de junho. Já as placas com final 6, 7 ou 8, é preciso, até o fim de julho, já ter o novo documento em mãos. Em agosto, será a vez das placas terminadas em 9 e 0.

Multas - Quem estiver circulando com o CRLV 2017 fora do prazo estabelecido, poderá ter o veículo retido até a apresentação do documento 2018 e terá como pena o pagamento de multa no valor de R$ 293,47, conforme previsto no Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Além disso, o condutor acumulará sete pontos na CNH.

IPVA - Este ano os condutores precisam também estar atentos à mudança no pagamento do Imposto Sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). As multas não estão mais constando no carnê de licenciamento, ou seja, no demonstrativo de débitos. Portanto, para pagar, o usuário precisa acessar o site do Detran-PE, gerar o boleto com as multas vencidas, já com juros e correção monetária. A mudança é resultado da Lei Federal 13.281, sancionada em 2016 e normatizada pelo Contran.

A nova legislação alterou o CTB e passou a autorizar que o cálculo dos valores das multas vencidas, com os devidos acréscimos de juros de mora, seja feito de forma automática no próprio site do Detran. Os acréscimos no valor da multa são baseados na taxa Selic para títulos federais e são calculados a partir do mês subsequente ao da consolidação até o mês anterior ao pagamento da multa, além de mais 1% relativo ao mês em que o pagamento estiver sendo efetuado.
.

Governo publica decreto reajustando valores do Bolsa Família

Documento, publicado no Diário Oficial da União (DOU), entra em vigor no 
próximo mês, no dia 1º de julho. (Agência Estado – Foto: Reprodução).

O governo federal formalizou na edição desta sexta-feira, dia 1º, do Diário Oficial da União (DOU), o reajuste de 5,67% no valor mensal do Bolsa Família, que já havia sido anunciado pelo presidente Michel Temer na véspera do Dia do Trabalho. O decreto da decisão informa que o aumento entrará em vigor daqui a um mês em 1º de julho.

Segundo o texto, o programa atenderá famílias em situação de pobreza e de extrema pobreza, de renda familiar mensal per capita de até R$ 178 e R$ 89, respectivamente. Hoje, esses valores são de R$ 170 e R$ 85, para 13,8 milhões de famílias. 

Com o decreto publicado nesta sexta-feira, famílias de extrema pobreza que tenham gestantes, nutrizes, crianças de até 12 anos ou adolescentes até 15 anos, receberão um benefício variável mensal de R$ 41 por beneficiário até o limite de R$ 205 por família. Atualmente esse benefício é de R$ 39, até o limite de R$ 195 por família. 

Para as famílias com adolescentes de 16 a 17 anos de idade matriculados em estabelecimentos de ensino, o benefício variável passará de R$ 46 para R$ 48 por beneficiário, até o limite de R$ 96 por família. Sem o reajuste, o limite por família é de R$ 92.
.

Vacinação contra gripe é prorrogada e segue até o dia 15 de junho

Com a prorrogação da campanha, expectativa é de atingir a meta de
90% de cobertura vacinal. (Secom/PMG – Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS).

A Campanha Nacional de vacinação contra gripe (Influenza H1N1), prevista para terminar nesta sexta-feira (01), foi prorrogada até o próximo dia 15 de junho. Portanto, os grupos considerados prioritários, que ainda não se imunizaram contra a doença, podem procurar as Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) de Garanhuns durante o período.

De acordo com informações do Programa Nacional de Imunizações (PNI) em Garanhuns, até o momento, 80% do total de vacinas foi entregue para ser disponibilizada para população. Com a prorrogação da campanha, a expectativa é de atingir a meta de 90% de cobertura vacinal. Atualmente, mais de 65% do público-alvo já foi imunizado no município. O principal objetivo da campanha é reduzir as complicações, internações e a mortalidade decorrente das infecções causadas pelo vírus da influenza no público alvo.

Grupos prioritários — Os grupos prioritários englobam crianças na faixa etária de seis meses a menores de cinco anos de idade (quatro anos, 11 meses e 29 dias); gestantes e puérperas — até 45 dias após o parto; profissionais da área de saúde, que devem apresentar contracheque que comprove a atividade profissional; povos indígenas; pessoas com 60 anos ou mais de idade; adolescentes de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas; população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional e pessoas portadores de comorbidades — doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, estes devem apresentar prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina; e professores das escolas públicas e privadas, que devem apresentar contracheque ou crachá como forma de identificação. 

Prefeitura de Garanhuns segue normalizando serviços públicos

Serviços, haviam sido afetados, em razão da greve nacional
dos caminhoneiros, que durou dez dias. (Secom/PMG).

A Prefeitura Municipal de Garanhuns segue trabalhando a fim de normalizar a prestação de serviços públicos afetados pela paralisação nacional dos caminhoneiros. A partir desta sexta-feira, dia 1 de maio, grande parte dos atendimentos à população já serão assegurados, graças ao abastecimento da frota municipal.

O trabalho da Autarquia Municipal de Segurança, Trânsito e Transportes (AMSTT), que inclui a atuação dos guarda municipais e agentes de fiscalização de trânsito já voltou a funcionar desde a quinta (30). O horário das linhas de ônibus de transporte urbano retoma o seu cronograma normal de circulação a partir desta sexta-feira (01), mesmo que acontece com a frota que realiza a coleta de lixo no município.

Os serviços de Saúde, como o Transporte Fora de Domicílio (TFD), serão normalizados gradualmente a partir de amanhã. Já as Unidades Básicas de Saúde voltam a funcionar em seu horário normal, das 08h às 16h. A partir desta segunda-feira (04), as aulas da Rede Municipal de Ensino serão restabelecidas. Bem como o funcionamento de todas as escolas e demais instituições da Secretaria Municipal de Educação (Seduc). Todas as aulas perdidas serão repostas posteriormente, segundo a pasta.