segunda-feira, 21 de maio de 2018

Marília: “Há guerra de nervos sobre aliança ou candidatura do PT”

Pré-candidata ao governo do Estado, em evento neste domingo, Arraes afirmou que decisão sobre eleições
em PE será tomada pelo diretório estadual e respeitada pela Executiva Nacional. (Blog do Jamildo).

A vereadora recifense, Marília Arraes, pré-candidata ao governo de Pernambuco pelo PT, defendeu neste domingo (20), após o ato no Recife, que a decisão sobre o partido ter um nome próprio ou fechar aliança com o PSB, tomada no congresso marcado para 10 de junho, será respeitada pela direção nacional. "O que acontece é uma guerra de nervos", afirmou, ao ser questionada sobre as últimas conversas de petistas com os socialistas.

O partido marcou para o próximo dia 10 de junho um congresso para decidir se haverá candidatura própria ou aliança da legenda. Trezentos delegados vão votar. Além de Marília, se colocaram como pré-candidatos o deputado estadual Odacy Amorim e o militante petista José de Oliveira. Marília alega que as notícias sobre sinalizações entre PT e PSB são para tentar desestimular a militância em relação à sua candidatura. Para ela, a busca de apoio à reeleição de Paulo Câmara (PSB) foi "sem retorno".

"Eu já tinha falado: Paulo Câmara é muito fraco politicamente para conduzir o PSB nacional para uma aliança como essa", disse, retomando a declaração dada no programa 20 Minutos, exibido na TV Jornal nesse sábado (19). "A nacional tem reafirmado todos os dias que na verdade essa decisão será tomada aqui em Pernambuco".

Essa semana a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, se reuniu com Carlos Siqueira, o do PSB. Após uma visita a Lula na prisão, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, responsável pelo programa de governo petista, afirmou que o ex-presidente pediu que fossem incluídas iniciativas das gestões estaduais e citou a de Paulo Câmara. Na sexta-feira (18), o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), de quem também dependeria a aliança, esteve no Palácio do Campo das Princesas.
.

Marília sobre PSB: "Quem não tem lado não merece ser respeitado"

Ameaçada por uma possível aliança entre PT e PSB, Marília Arraes usou parte do 
seu discurso em ato no Recife para criticar os socialistas. (Blog do Jamildo – Foto: Divulgação).

Com a pré-candidatura ao governo de Pernambuco ameaçada por um possível apoio do seu partido à reeleição de Paulo Câmara (PSB), a vereadora do Recife Marília Arraes (PT) usou parte do seu discurso neste domingo (20) para criticar os socialistas. "Governo ruim precisa realmente ser mudado. Quem não tem lado não merece ser respeitado", afirmou a petista. Marília e aliados como a deputada estadual Teresa Leitão e o ex-deputado federal Fernando Ferro usaram o discurso de aplicar no PSB a pecha de "golpista", pelo apoio do partido ao impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Arraes ainda afirmou no seu discurso que os adversários tentam dividir o PT. "Quem está dividido são eles, porque existe um palanque de Temer em Pernambuco dividido entre os que apoiam Temer e assumem essa condição, assumem que estão apoiando todo esse desmonte nacional brasileiro, e existem aqueles que colaboraram para o golpe, que articularam o golpe, junto com Temer, mas que por oportunismo não querem assumir esse papel nesse momento, fingem que nada aconteceu", acusou o PSB.

Os socialistas buscam atrair o Partidos dos Trabalhadores, pelo tempo de televisão da legenda, que é o maior por ter sido o partido com mais deputados federais eleitos em 2014. Além disso, pretendem usar a imagem do ex-presidente Lula (PT), que é o mais bem colocado nas pesquisas de intenção de voto. Poucos dias após a prisão do petista, Paulo Câmara chegou a ir a Curitiba (PR) para tentar visitá-lo. Após defender a candidatura de Lula à presidência, Marília Arraes afirmou: "o único palanque aqui no Estado que tem coragem e condições politicas para fazer todo esse debate que nos temos feito é este".

O evento da vereadora foi na semana em que houve sinalizações entre PT e PSB. A presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, se reuniu com Carlos Siqueira, o do PSB. Após uma visita a Lula na prisão, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, responsável pelo programa de governo petista, afirmou que o ex-presidente pediu que fossem incluídas iniciativas das gestões estaduais e citou a de Paulo Câmara. Na sexta-feira (18), o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), de quem também dependeria a aliança, esteve no Palácio do Campo das Princesas.

"São nossos militantes que vão escolher se Pernambuco vai continuar sem água nas torneiras ou se vai ter gestão hídrica de qualidade, onde a água chega onde precisa, para que a gente possa interiorizar o desenvolvimento do nosso Estado; nós vamos escolher no dia 10 se o professor vai continuar sendo desvalorizado nas condições de trabalho precarizadas ou se vamos ter uma educação de qualidade realmente para todos os estudantes", afirmou, criticando o governo Paulo Câmara.

Encontro de Delegados - O PT de Pernambuco marcou para 10 de junho o Encontro de Delegados, em que 300 delegados devem votar se preferem a aliança com o PSB ou a candidatura própria. Nesse caso, os nomes colocados até agora são os de Marília, do deputado estadual Odacy Amorim e do militante petista José de Oliveira.
.

Humberto Costa é vaiado em evento de Marília Arraes no Recife

Manifestação de filiados petistas contra Costa, ocorreu durante evento realizado neste domingo 
(20), em apoio à pré-candidatura de Arraes ao governo. (JC Online – Foto: Divulgação).

Defensor da aliança entre PT e PSB em Pernambuco, o senador Humberto Costa foi vaiado no evento em apoio à pré-candidatura da vereadora do Recife Marília Arraes, na capital, neste domingo (20). As vaias foram durante o discurso do secretário nacional de cultura do PT, Marcos Tavares, que citou uma entrevista do parlamentar em que ele advoga pelo apoio aos socialistas no Estado. Se o partido decidir pela aliança, Humberto Costa pode ter espaço na chapa majoritária de Paulo Câmara para disputar a reeleição ao Senado. A outra vaga deve ser de Jarbas Vasconcelos (MDB), opositor histórico do PT.

O partido marcou para 10 de junho um congresso para decidir se haverá candidatura própria ou aliança. Trezentos delegados vão votar. Além de Marília, se colocaram como pré-candidatos o deputado estadual Odacy Amorim e o militante petista José de Oliveira.

Resposta - Em resposta as vaias ao seu nome durante o evento, o senador pernambucano pelo PT afirmou que é um movimento normal. "Em muitos encontros do PT, muita gente já recebeu vaia, isso é normal, isso reflete o acirramento que tem nessa discussão, não vejo nenhum problema", minimizou. "Além do mais, é uma parte da militância que estava lá, outra parte não estava e não agiria dessa maneira".

Humberto Costa é um dos defensores da aliança entre PT e PSB. As vaias foram durante o discurso do secretário nacional de cultura do PT, Marcos Tavares, que citou uma entrevista do parlamentar em que ele advoga pelo apoio aos socialistas no Estado.

Marília Arraes afirmou que não ouviu a frase que provocou as vaias e não poderia opinar. "Tentamos conduzir a militância para o respeito à opinião divergente", disse, no entanto. A vereadora também negou que o PT esteja dividido. "O que há é uma divergência de opinião em relação à melhor tática a ser utilizada", explicou a vereadora.
.

"TSE não deve tomar iniciativa de impedir Lula candidato em 2018"

Frase, é da atual presidente do STF,  Ministra Carmén Lúcia, que em entrevista na Band, ainda refutou que teria sido desleal com Lula, responsável por sua nomeação ao Supremo em 2016. (Estadão Conteúdo).

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, refutou a possibilidade de que a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja bloqueada sem que haja contestação prévia - ou "de ofício", como se diz no jargão jurídico. "O Judiciário não age de ofício, age mediante provocação", disse a ministra, em entrevista ao programa Canal Livre, da Band, transmitido na madrugada desta segunda-feira, 21. Na semana passada, ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) passaram a discutir nos bastidores a possibilidade de tomar a iniciativa de impedir Lula de ser candidato, para supostamente evitar um impasse durante a campanha.

O petista cumpre pena de prisão em Curitiba desde abril, mas será lançado e registrado como candidato ao Planalto pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Para Cármen Lúcia, no entanto, candidatos como Lula são inelegíveis por causa da condenação em segunda instância, como previsto na Lei da Ficha Limpa. "Isso foi aplicado desde 2012. Eu não noto nenhuma mudança de jurisprudência no TSE. E o Supremo voltou a este assunto, este ano, e reiterou a jurisprudência e a aplicação da jurisprudência num caso de relatoria do ministro (Luiz) Fux, atual presidente do TSE."

Apesar do imbróglio envolvendo Lula, Cármen Lúcia crê que o caso do petista não chegará ao Supremo. "Nós temos uma Justiça Eleitoral muito presente, e isso é matéria eleitoral que irá pra lá. Acho que não chega ao Supremo".
.

Inscrições para o vestibular do IFPE iniciam nesta segunda (21)

Ao todo, são ofertadas 2.585 vagas para 42 cursos técnicos e superiores distribuídos em 
16 campi, um deles, instalado aqui em Garanhuns. (JC Online – Foto: Hélia Scheppa).

Atenção, fera. As inscrições para o Vestibular 2018.2 do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco (IFPE) começam amanhã, segunda-feira (21). Ao todo, são ofertadas 2.585 vagas para 42 cursos técnicos e superiores distribuídos nos 16 campi (Abreu e Lima, Afogados da Ingazeira, Barreiros, Belo Jardim, Cabo de Santo Agostinho, Caruaru, Garanhuns, Igarassu, Ipojuca, Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Palmares, Paulista, Pesqueira, Recife e Vitória de Santo Antão).

Para fazer sua inscrição online, o candidato devem acessar o site da Comissão de Vestibulares e Concursos cvest.ifpe.edu.br até 10 de junho. O processo inclui o preenchimento da ficha de inscrição e a emissão do boleto (GRU) para o pagamento da taxa, que é de R$ 30 para cursos técnicos e R$ 55 para cursos superiores. O pagamento deverá ser feito somente nas agências do Banco do Brasil até o dia 11 de junho.

Data das provas - As provas serão realizadas no dia 1º de julho. Candidatos aos cursos técnicos serão submetidos a 30 questões de múltipla escolha. Quem vai concorrer a uma das vagas dos cursos superiores fará uma prova com 50 questões de múltipla escolha, além de redação. Os exames terão início às 9h e terão duração de três horas, para os cursos técnicos, e de quatro horas para os cursos superiores. A avaliação específica de Música acontecerá também no dia 1º, das 14h às 17h. A data prevista para divulgação do listão dos aprovados, segundo informa o IFPE, é 11 de julho.

Brasília: Câmara aprova urgência para criação de novos municípios

Caso aprovado, PL irá contribuir para a criação de 200 novos municípios em 
todo o País. (JC Online – Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados).

A Câmara dos Deputados aprovou, na semana passada, o caráter de urgência do Projeto de Lei Complementar (PLP) 137/2015, que estabelece regras para a criação de novos municípios brasileiros. Segundo os políticos que defendem o projeto, a aprovação pode contribuir para a implantação de 200 novas cidades em todo o País. Mas atualmente os municípios já existentes passam por uma crise profunda. A maioria deles vive de repasses de tributos como o IPI, que alimenta o FPM, e do ICMS, recolhido pelos Estados. Com o desaquecimento da economia, ocorreram quedas na arrecadação de ambos.

A aprovação do caráter de urgência ocorreu com o voto favorável de 337 parlamentares, o não de 36 de deputados, contando com duas abstenções. Dos 23 parlamentares pernambucanos que estavam na votação, somente dois votaram contra: Betinho Gomes (PSDB) e Daniel Coelho (PPS). “É um absurdo. É imoral num momento de uma crise tão profunda. Esse projeto é de interesse de lideranças políticas locais que buscam vender ilusão à população”, diz o deputado federal Betinho Gomes, referindo-se tanto à urgência do projeto como ao seu mérito (o assunto principal).

Para o deputado federal Daniel Coelho, “é injustificável um debate sobre a criação dos novos municípios em regime de urgência, pois isso não permite a discussão do assunto nas comissões da Câmara nem a modificação do texto”.  A votação do projeto é o destaque na votação na Câmara dos Deputados, em Brasília, a partir da próxima terça-feira. “Há chances dele ser aprovado, porque há uma mobilização em todas as bancadas a favor”, conta Betinho. No plano nacional, o voto contrário à urgência só ocorreu, por unanimidade, pelos políticos dos partidos Rede e PSOL, que têm, respectivamente, apenas dois e seis parlamentares. O projeto vai precisar de 257 votos para ser aprovado.

Pedido de aposentadoria pela internet começa nesta segunda

Com o novo modelo, ao fazer o pedido, cidadão acompanha o andamento pelo App "Meu INSS" ou pelo 
telefone 135 e, somente se necessário, será chamado à agência. (Agência Brasil – Foto: Divulgação).

A partir desta segunda-feira (21), o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) deixará de agendar o atendimento presencial para salário-maternidade e aposentadoria por idade urbanos. Agora, o segurado deverá acessar o Meu INSS ou ligar para o 135 e, em vez de agendar uma data para ser atendido, receberá direto o número do protocolo de requerimento, eliminando a etapa do agendamento.

Atualmente, o segurado precisa agendar uma ida ao INSS para levar documentos e formalizar o pedido. Com o novo modelo, ao fazer o pedido, o cidadão acompanha o andamento pelo Meu INSS ou pelo telefone 135 e, somente se necessário, será chamado à agência. Nos casos em que as informações previdenciárias necessárias para o reconhecimento do direito já constarem nos sistemas do INSS, será possível então a concessão automática do benefício, isto é, a distância.

Segundo o INSS, com a mudança, não haverá mais falta de vaga e, caso precise ir a uma agência para apresentar algum documento, o cidadão terá a garantia de ser atendido perto da residência. O instituto diz ainda que a mudança representa o fim do tempo de espera para ser atendido, que gerava inclusive longas filas.