quinta-feira, 10 de maio de 2018

Datena pode disputar vaga no Senado pelo Estado de São Paulo

Pesquisa Ibope de abril coloca apresentador da Band em primeiro lugar na corrida pelas duas
vagas paulistas, com 33% das intenções de voto. (Folhapres – Foto: Reprodução).

José Luiz Datena ficou mal na terça-feira (8). "A história do Joaquim me deu uma ressaca política muito grande", conta o apresentador da Band. Ao desistir de disputar a Presidência, o ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa consolidou o que Datena vê como perigosa debandada dos "outsiders" nestas eleições."Era o cara que [eu] passaria perto de votar", diz. "Virei órfão político."

Dos vários efeitos colaterais que produziu, a saída de cena de Barbosa pode ajudar a propulsionar a estreia nas urnas do jornalista, apresentador de jornais policiais. Ele já flertava com uma candidatura ao Senado, mas nos últimos tempos, diz, havia aberto mão da ideia. "Tinha bem claro que não queria participar de disputa nenhuma. Já falei algumas vezes não serei candidato a porcaria nenhuma."

Pesquisa Ibope de abril coloca Datena (DEM) em primeiro na corrida pelas duas vagas paulistas na Casa, com 33% das intenções de voto. Está tecnicamente empatado com o petista Eduardo Suplicy (32%) e à frente de velhos conhecidos da política paulista, como Marta Suplicy (MDB), 25%, e Marco Feliciano (Podemos), 14%.

Barbosa após desistir de candidatura: “Eleição não mudará Brasil”

Em entrevista, ex-ministro do STF ainda revelou que planeja estar fora do Brasil no dia 
da eleição, em outubro. Assim, não votará para presidente. (Agência Brasil – Foto: Reprodução).

Para o ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, que anunciou na última terça-feira (8) sua desistência de concorrer à Presidência da República, este pleito não irá mudar o Brasil, pois de acordo com ele, o país tem problemas estruturais gravíssimos, como sociológicos, históricos, culturais, econômicos.

Em entrevista ao jornal Valor Econômico, Barbosa disse ainda temer que a escolha do novo mandatário brasileiro aprofunde as desigualdades sociais, já que segundo ele, “grupos que são indiferentes vão se unir para dominar o processo eleitoral deste ano”. “Se uniriam contra mim, não tenho dúvidas." Ao jornal o ex-presidente do Supremo afirmou que não vê "glamour na vida de quem tem poder" e que não morre de amores pelo poder.

Ao falar sobre sua entrada no Partido Socialista Brasileiro (PSB), disse que se filiou dentro do prazo para quem deseja concorrer a um cargo, porque até então ainda tinhas dúvidas sobre seguir ou não a carreira política. Lamentou que o sistema eleitoral do país não permite candidaturas avulsas. Também contou que planeja estar fora do Brasil no dia da eleição, em outubro. Assim, não votará para presidente.

Dudu da Fonte vira réu no STF por corrupção e lavagem de dinheiro

Deputado é acusado de ter recebido R$ 300 mil reais em propina para favorecer empresa 
UTC Engenharia em contratos com a Petrobras. (R7.com – Foto: Leonardo Prado/Agência Brasil).

A Segunda Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) aceitou na última terça-feira (8), por 3 votos a 2, uma denúncia contra o deputado federal pernambucano pelo PP, Eduardo da Fonte, por corrupção e lavagem de dinheiro, tornando o parlamentar réu na Operação Lava Jato.  Eduardo fonte foi denunciado ainda em 2016 pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Os crimes teriam sido cometidos entre 2009 e 2010, quando o político já era parlamentar. Ele foi reeleito em 2014.

Na denúncia, ele é acusado de ter recebido R$ 300 mil reais em propina para favorecer a empresa UTC Engenharia em contratos com a Petrobras. O esquema foi relatado em delação premiada pelo dono da UTC, Ricardo Pernambuco, que teria apresentado documentos como prova dos repasses ilícitos. Segundo o empresário, o dinheiro foi pago para que a empreiteira fosse beneficiada na construção de uma planta de processamento de coque – um derivado de petróleo -  situado no Estado do Paraná, mas as vantagens indevidas não teriam se consumado.

Segundo a acusação, R$ 100 mil foram recebidos em dinheiro vivo, e R$ 200 mil foram encaminhados por meio de doações oficiais ao diretório do PP em Pernambuco. O recebimento da denúncia começou a ser julgado no STF duas vezes, sendo interrompido por pedidos de vista. A defesa de Eduardo da Fonte sustenta que a denúncia é inepta e contraditória, e que o pedido de recursos para a campanha eleitoral feito pelo deputado foi dentro da lei vigente à época, que permitia doação por empresas a candidatos.

Eleições: Oposição a Paulo Câmara ainda não definiu seu candidato

FBC: “Acredito que muito breve deveremos atender a essa expectativa que é de todos 
que querem o nome anunciado o mais breve possível”. (JC Online – Foto: Alexandre Gondim).

Após o Diretório Estadual do PT adiar para junho o encontro que vai definir sobre candidatura própria ou aliança com o PSB, nomes do Pernambuco Quer Mudar afirmaram que o grupo de oposições ao governador Paulo Câmara deve lançar o nome que vai encabeçar a chapa majoritária logo, independentemente da definição petista.

De acordo com o senador Armando Monteiro (PTB), o mais cotado para encabeçar a chapa, o prazo do grupo não é condicionado a posição do PT. Embora Armando rejeite a ideia de postergar ainda mais a decisão, ele evita fixar uma data, lembrando que os partidos poderão tem até o mês de julho em suas convenções para se decidirem.

O deputado federal Mendonça Filho (DEM) e o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) compartilharam do sentimento de que não se pode mais esperar pela definição do palanque da Frente Popular. “Acredito que muito breve deveremos atender a essa expectativa que é da imprensa, das forças políticas, prefeitos, vereadores e todos que querem o nome anunciado o mais breve possível”, disse Bezerra Coelho na Amupe. Por telefone, Mendonça afirmou a reportagem do Jornal do Commercio que está alinhado com entendimento de não esperar pela decisão do PT de Pernambuco.

Supremo volta a negar pedido de liberdade do Ex-Presidente Lula

Até agora, segundo apurado pela reportagem do Jornal o Estado de São Paulo, três, dos cinco Ministros 
já decidiram rejeitar o pedido de Habeas Corpus do petista. (Estadão Conteúdo – Foto:Felipe Araújo).

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) formou maioria nesta quarta-feira (9) para negar o recurso apresentado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para reverter a sua prisão. O julgamento no plenário virtual começou na última sexta-feira (4) e deve ser concluído até as 23h59 do dia 10 de maio.

Segundo a reportagem do Jornal o Estado de São Paulo apurou, o ministro Gilmar Mendes decidiu nesta quarta-feira acompanhar o ministro Edson Fachin, relator do caso, e negar o recurso de Lula. O ministro Dias Toffoli também acompanhou o relator, totalizando até agora três votos para negar o recurso do ex-presidente.

Participam da votação eletrônica os cinco ministros da Segunda Turma do STF, colegiado composto por Fachin, Toffoli, Gilmar, Celso de Mello e Ricardo Lewandowski. Como o acesso ao ambiente de julgamento é remoto, a apresentação dos votos pode ocorrer a qualquer momento dentro do prazo. Se todos os ministros votarem antes da data final, o resultado já poderá ser conhecido previamente - mas isso só acontecerá quando o último dos ministros apresentar sua posição.