segunda-feira, 23 de abril de 2018

Na Alepe, Álvaro Porto destaca êxito do Festival Viva Dominguinhos

Na Assembleia, nesta segunda, deputado ainda reservou espaço para criticar 
Governo do Estado, em razão dele não apoiar o evento. (Fotos: Flávio Japa).

O êxito da edição 2018 do Festival Viva Dominguinhos, realizado entre quinta-feira (19) e sábado (21) aqui em Garanhuns, foi destacado pelo deputado Álvaro Porto (PTB) em discurso na Assembleia Legislativa nesta segunda-feira (23). O petebista ressaltou o esforço da Prefeitura de Garanhuns em promover o evento e atacou a falta de respaldo do Governo do Estado. "Enquanto o Governo do Estado nega apoio, ignorando o potencial do festival para o turismo e a economia do Agreste, o prefeito Izaías Régis (PTB) se empenha em garantir lazer, cultura e o aquecimento de negócios a partir de uma iniciativa que homenageia um dos mais ilustres filhos do município".

De acordo com Porto, ao longo dos três dias, hotéis, pousadas, bares, restaurantes e lanchonetes foram movimentados com a presença de turistas de cidades vizinhas, de outras regiões de Pernambuco e de outros estados. Mais de 200 mil pessoas, segundo dados da Prefeitura Municipal de Garanhuns, acompanharam as atrações que ocuparam os três palcos do festival, a exemplo de Fagner, Santanna, Jorge de Altinho, Quinteto Violado, Alcimar Monteiro, Dorgival Dantas e Waldonys. "Por reunir tantos significados e representar tanto para a cidade fica aqui o nosso protesto pelo descaso do governo com o Viva Dominguinhos. É inadmissível que o governo estadual desconheça um evento de tão grande porte, realizado em tributo a alguém da grandeza de Dominguinhos", disse.

Autor da Lei n° 15.563 que incluiu, em 2015, o Viva Dominguinhos no Calendário Oficial de Eventos de Pernambuco, o deputado lembrou que, para muita gente o festival já significa abertura dos festejos juninos em Pernambuco. "Mas, acima de tudo, o Viva Dominguinhos um reconhecimento da Prefeitura e do povo de Garanhuns à importância da obra imortal de Dominguinhos para a música e cultura do Nordeste e do Brasil", assinalou.

De acordo com o deputado, o festival mobiliza e orgulha Garanhuns. "Não é à toa que a gestão do prefeito Izaías Régis tem sido muito bem aprovada ano a ano, já tendo atingido a marca de 80%. O município que há tempos é conhecido por abrigar grandes acontecimentos culturais, comprova, cada vez mais, sua vocação para difundir arte e lucrar com eventos do gênero", disse. O deputado disse ainda ser importante parabenizar e agradecer patrocinadores e parceiros da prefeitura, os servidores das secretarias envolvidas no evento e reconhecer o trabalho da Rede Globo Nordeste que, segundo ele, está sempre comprometida com a divulgação da riqueza cultural da região.
.

Definido: FIG 2018 acontecerá entre os dias 19 e 28 de julho

Um dos eventos mais importantes no cenário 
nacional, este ano Festival chega a sua 28º edição.

O Festival de Inverno de Garanhuns, um dos maiores eventos de difusão cultural, já tem data para ocorrer este ano. De acordo com o Governo do Estado de Pernambuco, este ano o FIG acontecerá entre os dias 19 e 28 de julho e como em anos passados, deve atrair multidões a praça Mestre Dominguinhos e aos seus quase 20 pólos de animação.

Um dos eventos mais importantes no cenário nacional, realizado pelo Governo do Estado de Pernambuco, por meio da Secretaria de Cultura Secult/PE e da Fundarpe, em parceria com a Prefeitura de Garanhuns, este ano o FIG chega a sua 28º edição; sendo novamente território para vivências da imensa diversidade cultural brasileira.

Quanto a programação, ela está sendo elaborada a partir de um Edital Nacional que teve seu período de inscrições encerrado no dia 17 de abril. Este ano, a expectativa para a realização do evento é ainda maior que nos anos anteriores, já que é unanimidade na cidade, que na edição anterior, a produção e principalmente os shows deixaram a desejar.
.

Alcindo aproxima Marília e Izaías durante o Viva Dominguinhos

Atuação do parlamentar para que encontro entre os dois ocorresse, praticamente 
selou um apoio de Régis à Arres, num eventual segundo turno, sem a presença de Armando.

No último sábado (21), a vereadora do Recife Marília Arraes (PT), cumpriu agenda política nos municípios de Sertânia e Arcoverde, no Sertão do Moxotó. Em ambas as cidades, ela foi recebida com muito entusiasmo pela militância petista, bem como pelas demais lideranças que se fizeram presentes aos atos de manifestação de apoio a sua pré-candidatura ao Governo de Pernambuco. Pré-candidatura essa, aliás, que deve se tornar candidatura oficial no próximo dia 12 de maio, quando a Executiva Estadual do partido reúne seus delegados na capital, Recife, afim de decidir, através de voto, qual será a posição adotada pela legenda, se a de protagonista com Marília, ou secundária, através de uma aliança, onde não haja espaço para uma candidatura própria.

Vivendo a expectativa dessa importante decisão, mas viajando por todo o estado com sua caravana, Marília esteve aqui em Garanhuns, prestigiando o último dia de shows do Festival Viva Dominguinhos. A vinda da petista a cidade, ocorreu em atenção a um convite feito pelo vereador Alcindo Correia (PCdoB), já que ele viu na oportunidade, a chance de estreitar as relações entre Marília e o Prefeito Izaías Régis (PTB). Deu certo, pois além da receptividade de anfitrião demonstrada por Régis à neta de Arraes no centro cultural, o encontro fez surgir ainda, nas palavras do próprio Prefeito, uma frase de maior efeito dirigida à Marília: “Estamos do mesmo lado e mais adiante estaremos juntos”.

Conforme as palavras deram a entender, em um eventual segundo turno, em que pese o seu aliado histórico, o Senador Armando Monteiro (PTB) não continuar na disputa, Marília contará com o reforço de peso do Prefeito de Garanhuns. Isso, revelou o vereador Alcindo Correia ao Blog, representa uma importante conquista política para seu grupo, já que até o momento, nenhuma sinalização nesse sentido havia sido feita por parte de Izaías. “Cumprimos uma longa agenda no Sertão do Moxotó, mas o contato com o Prefeito fez renovar a disposição para que a candidatura ganhe as ruas nessas eleições. Izaías é um agente político que qualquer candidato gostaria de ter em seu palanque e com Marília não seria diferente. Agora é seguir na estrada, abrindo caminho”, destacou Alcindo ao Blog.

Até o presente, e contando com o apoio de Welington Freitas de Saloá, Paulo e Jânio Moraes, de Brejão, o vereador Alcindo Correia, que articula a pré-candidatura de Arraes na região Agreste Meridional, já incorporou ao palanque da petista, 54 vereadores de mandato, 6 ex-prefeitos, 40 suplentes de vereadores, bem como mais de 200 lideranças sindicais e comunitárias em cidades situadas no Agreste Meridional.  
.

Em Arcoverde Tereza Leitão descarta aliança do PT com o PSB

Tereza: “O período de discutir alianças já passou e no próximo dia 12 de maio os 
delegados do partido irão discutir uma candidatura própria”. (Blog do Welington Freitas)

Durante passagem da pré-candidata ao governo do estado de Pernambuco, Marília Arraes (PT), pelas cidades de Sertânia e Arcoverde, no Sertão do Moxotó, no último sábado (21), a deputada estadual Tereza Leitão (PT) e o pré-candidato a deputado federal e presidente da CUT Pernambuco, Carlos Veras (PT) fizeram duros e incisivos discursos, discordando dos que querem uma aliança do PT com PSB e defendendo com veemência uma candidatura própria do partido dos trabalhadores em Pernambuco.

Na ocasião em que discusou em Arcoverde, a deputada foi clara, quando disse que “o período de discutir alianças já passou e no próximo dia 12 de maio os delegados do partido irão discutir uma candidatura própria”. Em sua fala, Tereza ainda atacou o “corpo mole” de algumas lideranças petistas no estado que ficam “choramingando” que o PT tem pouco deputado estadual e nenhum federal. “Essa situação, todos estamos cientes desde 2014 e não é de agora”. Tereza ainda defendeu abertamente o nome de Marília.

Outro discurso marcante foi o do pré-candidato a deputado federal, Carlo Veras, que atacou os projetos pessoais e de manutenção de cargos e poderes pessoais. “...o Pernambuco que queremos, não cabe alianças ou apoiar candidatos que vão contra os interesses da classe trabalhadora... ou você está do lado de quem defende os direitos do povo brasileiro ou você está do lado de quem defende apenas os seus direitos, os interesses individuais, que pensam apenas em seus cargos, em se manter no poder...”.

As declarações de Tereza e Veras acontecem justamente no momento em que o senador Humberto Costa do próprio PT tenta desconstruir uma candidatura do partido em Pernambuco e defende claramente uma posição de aliança com o PSB de Paulo Câmara. Humberto Costa pode está criando uma situação insustentável num futuro palanque de Marília Arraes, já que uma candidatura parece ser o caminho irreversível da neta de Arraes.

Durante a passagem pelo sertão do Moxotó, Marília aproveitou para visitar obras da transposição do Rio São Francisco, obra idealizada pelo ex-presidente Lula e colocado em pratica no governo da presidente Dilma.

15 cotados para disputar à Presidência respondem a processo

Segundo informações apuradas pelo jornal Folha de S. Paulo, motivos dessas investigações foram causadas
pela Operação Lava Jato, entre outras investigações de desvio. (JC Online – Foto: Agência Brasil).

Em outubro deste ano, acontecem as eleições para a Presidência da República e segundo informações do jornal Folha de S. Paulo, 15 dos 20 políticos cotados para disputar o cargo são alvo de algum processo nos tribunais brasileiros. Ao todo, os candidatos somam mais de 160 casos, entre eles, denunciados, réus, investigados, condenados e preso, como o exemplo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do Partido dos Trabalhadores (PT).

Segundo informações apuradas pelo jornal Folha de S. Paulo, os motivos dessas investigações foram causadas pela Lava Jato e suas derivações, entre outras investigações de desvio. O jornal paulista ainda aponta que o ranking é liderado ppela condenação de Lula a 12 anos e um mês de prisão, pelo atual presidente do Brasil, Michel Temer, que é alvo de duas denúncias e de duas investicações que estão em andamento, além do senador e também ex-presidente Fernando Collor (PTC), réu na Lava Jato entre outros, e por último o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), investigado em dois inquéritos.

Processos - Além dos políticos já citados, o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) já teve seu caso enviado a Justiça Eleitoral. E na última sexta-feira (20), o Ministério Público de São Paulo afirmou que irá investigar se Alckmin ometeu improbidade administrativa no episódio, que é a suspeita de recebimento caixa dois de mais de R$ 10 milhões. A denúncia realizada pelos delatores da Odebrecht afirmaram terrem direcionado o dinheiro à campanha do tucano ao governo paulista em 2010 e 2014.

O candidato a Presidência, o deputado Jair Bolsonaro (PSL) também faz parte da lista. O deputado responde a duas ações penais no STF sob acusação de injúria e incitação ao estupro, além de uma denúncia por racismo por palestra em que criticou quilombolas. As acusações de incitação ao estupro são motivadas por um bate-boca em 2014 com a deputada Maria do Rosário, do PT do Estado do Rio Grande do Sul. Na situação, ele argumentou que não a estupraria porque ela não merece.