quarta-feira, 28 de março de 2018

Vereador de Caruaru repudia atentado a tiros ao Ex-Presidente Lula

“É preciso que as autoridades tomem providências e que mais nenhuma vida seja ameaçada por 
grupos fascistas que dizem defender a democracia”, reivindica o parlamentar. (Foto: Vlademir Barreto/Secom)

"É com muita tristeza que repudiamos a violência sofrida na noite de ontem (27), pela comitiva do ex-presidente Lula, onde dois ônibus que faziam o transporte de membros da imprensa, acompanhando a caravana Lula Pelo Brasil, foram atingidos por paus, pedras e como se não bastasse, por tiros. Em vídeo, a senadora e presidenta do PT Nacional, Gleisi Hoffmann, denunciou os acontecimentos e questionou a total ausência de posicionamento das instituições responsáveis pelo mantimento da ordem em nosso país.

É inadmissível que qualquer cidadão tenha ameaçado o seu direito de circular livremente em seu país, por medo de ataques como os que vêm acontecendo ao ex-presidente Lula, que atentam inclusive, contra a sua vida.  Um homem julgado sem provas e que segue de cabeça erguida, é exemplo de luta e resistência. É preciso que as autoridades tomem providências e que mais nenhuma vida seja ameaçada por grupos fascistas que dizem defender a democracia, mas que declaram agora, abertamente, que não têm estrutura para viver harmoniosamente em uma. Nosso mandato está onde sempre esteve, e onde sempre estará: do lado da luta e não haverá ameaça que nos retire dela."

Daniel Finizola, Vereador de Caruaru pelo PT.

Álvaro Porto retorna ao PTB e será o candidato a Estadual de Izaías

De volta a legenda, Álvaro terá um reforço de peso para sua reeleição.  Especula-se que com apoio de
Régis, Porto poderá atingir a marca dos 25 mil votos, apenas na Cidade das Flores. (Carlos Eugênio)

O Deputado Estadual pernambucano radicado na cidade Canhotinho, Álvaro Porto, antes no PSD, volta à casa partidária que o elegeu em 2014 para o seu primeiro mandato parlamentar (PTB), no próximo dia 5 de abril com um grande ato político, que será realizado no auditório do Hotel Tavares Correia, aqui em Garanhuns.

Depois de dois mandatos seguidos como Prefeito de Canhotinho, Porto foi eleito Deputado Estadual, em 2014, pelo PTB, com 44.622 votos. Ele iniciou o mandato na oposição ao governo Paulo Câmara, depois trocou de Partido, migrando para o PSD, e se tornou Governista. Mas não demorou muito, e Álvaro, mesmo num partido da Base aliada a Paulo Câmara, engrossou novamente a Bancada Oposicionista na Assembleia Legislativa de Pernambuco, voltando a fazer duras críticas a gestão socialista, chegando inclusive a registrar que o Estado estaria sem Comando, sobretudo no quesito segurança. 

Agora de volta ao PTB, o Deputado terá um reforço de peso ao seu projeto de reeleição. É que no ato de filiação, também deve ser confirmado o apoio do Prefeito Izaías Régis e do seu grupo político.  Nas últimas eleições, Àlvaro conquistou cerca de 5 mil votos aqui em Garanhuns e caso se concretize o apoio de Izaías, especula-se que o Deputado possa atingir a marca dos 25 mil votos apenas na Cidade das Flores, o que certamente facilitará a sua reeleição. Aqui em Garanhuns, Porto fará dobradinha com o deputado Federal Jorge Côrte Real (PTB), que também terá o apoio de Izaías Régis.
.

Ônibus de Lula são alvos de tiros; Gleisi diz que querem matá-lo

Coletivo Advogados pela Democracia, vai entregar denúncias sobre as manifestações contra a caravana,
nesta quarta-feira (28) ao Ministério Público do Paraná. (Blog do Jamildo - Foto: Roberto Parizotti).

Dois ônibus que fazem parte da caravana do ex-presidente Lula (PT) na região Sul foram alvos de tiros nesta terça-feira, 27 de março no Paraná. Segundo o Partido dos Trabalhadores, um dos veículos ficou com duas marcas e outro tiro atingiu de raspão um vidro. Ninguém se feriu e Lula não estava em nenhum dos coletivos. Para a presidente nacional da sigla, senadora Gleisi Hoffmann do Estado do Paraná, a viagem foi vítima de emboscada. “Essas pessoas querem matar o presidente Lula”, afirmou em nota.

“Desde o Rio Grande do Sul temos alertado as autoridades, mandamos ofício ao ministro da Segurança Pública informando nosso roteiro e pedindo policiamento, mas ainda assim não temos segurança. Agora, aconteceu o cúmulo: nossa caravana foi vítima de emboscada, um atentado”, disse ainda. A caravana tem sido alvo de protestos e manifestantes jogaram rojões e ovos contra a militância de Lula.

“Vamos ter que tem alguém morto nessa caravana para provar o que estamos dizendo, que estamos sendo vítimas de milícia armada?”, questionou a petista. De acordo com o PT, além dos tiros, foram deixados pregos torcidos na estrada que liga os municípios de Quedas do Iguaçu e Laranjeiras do Sul, no sudoeste do Paraná, furando os pneus de um dos ônibus. O PT afirma ainda, que na segunda (26) manifestantes atiraram pedras e ovos contra um ônibus da empresa Viação Catarinense na-BR 277, Foz do Iguaçu (PR).

Representantes do Coletivo Advogados pela Democracia (CAAD), vão entregar nesta quarta-feira (28) ao Ministério Público do Paraná, denúncias sobre as manifestações contra a caravana. O grupo vai apresentar ao procurador de Justiça do Estado, Olympio Sotto Maior Neto, vídeos, fotos e publicações em redes sociais sobre as articulações para a reação à militância de Lula, pedindo a investigação dos casos. Nesta terça-feira, segundo o PT, a Polícia Militar foi acionada e foi registrado um Boletim de Ocorrência.

Raquel acusa Aécio por corrupção passiva e obstrução da justiça

Senador foi gravado pedindo R$ 2 milhões de reais ao empresário Joesley Batista e ainda é acusado de tentar atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato. (Estadão Conteúdo – Foto: Divulgação).

Em manifestação encaminhada ao Supremo Tribunal Federal (STF), a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, acusou o senador Aécio Neves, do PSDB do Estado de Minas Gerais, de usar o cargo para atingir objetivos espúrios e reiterou o pedido para que a Corte receba a denúncia apresentada contra o tucano pelos crimes de corrupção passiva e obstrução de Justiça no âmbito da delação feita por executivos da J&F.

Aécio foi gravado pedindo um montante de R$ 2 milhões de reais ao empresário Joesley Batista, do grupo JeF, e é acusado de tentar atrapalhar o andamento das investigações da Operação Lava Jato. Além de Aécio Neves, o então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, denunciou no ano passado Andrea Neves da Cunha, irmã de Aécio, Frederico Pacheco de Medeiros, primo do senador conhecido como Fred, e Mendherson Souza Lima, ex-assessor parlamentar do senador Zezé Perrella (MDB-MG).

“O teor das articulações de Aécio Neves, obtidas por meio das interceptações telefônicas, ilustra de forma indubitável que a conduta do acusado, que procurou de todas as formas que estavam ao seu alcance livrar a si mesmo e a seus colegas das investigações, não se cuidou de legítimo exercício da atividade parlamentar”, observou a procuradora-geral da República em sua comunicação dirigida ao STF.

STF reforça segurança de Fachin, após ministro relatar ameaças

Entre outras ações, ministro é relator dos processos oriundos da Operação Lava 
Jato na Corte do Supremo Tribunal Federal. (Agência Brasil – Foto: Marcelo Camargo).

O Supremo Tribunal Federal (STF) informou ontem, terça-feira, 27 de março, que reforçou a segurança do ministro Edson Fachin (foto acima) e de seus parentes. A manifestação foi motivada por uma entrevista concedida por Fachin ao canal GloboNews, em que o ministro disse que sua família tem recebido ameaças. Ele, porém, não citou quais tipos de ameaças tem sofrido e como teriam ocorrido. Segundo Fachin, foram solicitadas providências à presidente da Corte, a ministra Cármen Lúcia.

De acordo com nota divulgada à imprensa pela presidência do STF, antes da entrevista do ministro, Cármen Lúcia já tinha tomado providências em relação às preocupações de Fachin, como o envio de duas delegadas da Polícia Federal (PF) para Curitiba, cidade de origem do ministro, para avaliar o esquema de segurança.

"Uma das preocupações que tenho não é só com julgamento, mas também com segurança de membros de minha família. Tenho tratado desse tema e de ameaças que têm sido dirigidas a membros da minha família. ”, disse Fachin na entrevista.

O ministro é relator dos processos oriundos da Operação Lava Jato na Corte, entre outras ações. Também é relator do habeas corpus por meio do qual a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva conseguiu suspender sua prisão após o fim dos recursos na segunda instância no processo do triplex de Guarujá (SP). A decisão vale até o dia 4 de abril, quando o tribunal retomará o julgamento da questão.