segunda-feira, 12 de março de 2018

Interesses regionais esfriam entendimento entre Barbosa e o PSB

Posição majoritária da legenda, é ficar neutra na disputa pelo Planalto para facilitar construção 
de alianças regionais, considerada prioridade total. (Estadão Conteúdo - Foto: Divulgação).

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa ainda espera um sinal mais consistente do Partido Socialista Brasileiro  (PSB), sobre sua eventual candidatura ao Palácio do Planalto para decidir se ingressa ou não na legenda. O partido, por outro lado, insiste que Barbosa precisa primeiro se filiar e, depois, viabilizar seu nome para a disputa presidencial. O impasse esfriou a negociação da sigla com o ex-ministro do STF.Aliados que estiveram recentemente com Barbosa avaliam que ele aceita assinar a ficha de filiação dentro do prazo legal, dia 7 de abril, mesmo sem ter a garantia de candidatura. Mas não tomará a iniciativa sem uma “segurança mínima”.

Há mais de um mês, porém, a cúpula do PSB não o procura. O ex-ministro tem acompanhado pela imprensa os movimentos da legenda, que em sua convenção recuperou as diretrizes de centro-esquerda, pregadas desde sua fundação.

A executiva do PSB abandonou a ideia de subir no futuro palanque do governador Geraldo Alckmin, pré-candidato do PSDB à Presidência da República, e ainda mantém a porta aberta para ter uma candidatura própria. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo apurou, no entanto, a posição majoritária da legenda hoje é ficar neutra na disputa pelo Planalto para facilitar a construção de alianças regionais, considerada a prioridade total. A “opção Barbosa” esbarrou nos interesses do PSB aqui do estado de Pernambuco, no Distrito Federal e ainda em outros outros Estados.

Mendonça libera R$ 1,2 milhões para o Instituto do Fígado de PE

“Com esse investimento, a gente consegue contribuir para a formação médica de novos 
profissionais vinculados à saúde, médicos e enfermeiros”, destaca o Ministro. (Magno Martins).

O Ministério da Educação investirá R$ 1,25 milhão no projeto “Pesquisa clínica e básica no âmbito das doenças gastro-hepáticas crônicas”, do Instituto do Fígado e de Transplantes de Pernambuco (IFP) e da Universidade de Pernambuco (UPE). O anúncio foi feito pelo ministro Mendonça Filho, na manhã desta segunda-feira, 12, juntamente com representantes da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), autarquia vinculada ao MEC, na sede do IFP, na capital pernambucana, Recife.

“Com esse investimento, a gente consegue contribuir para a formação médica de novos profissionais vinculados à saúde, médicos e enfermeiros, que terão atuação cada vez mais especializada no tratamento das doenças ligadas ao fígado”, explicou Mendonça Filho. “Temos também o desenvolvimento de pesquisas para que possamos avançar na solução de doenças que afetam crianças e adultos em Pernambuco e no Brasil”.

O ministro aproveitou a oportunidade para lembrar que o IFP tem atuação significativa no país e é reconhecido não só em Pernambuco, mas em todo o Brasil: “Esse espaço tem muita credibilidade no que diz respeito a pesquisas relacionadas ao fígado e, ao mesmo tempo, tem uma inserção social extremamente relevante. Aqui nós reunimos aspectos relacionados à saúde e temos também um espaço destinado a educação e pesquisa”.

Sílvio exalta Flávio Dino, por salário de professores em R$ 5,750

Costa Filho: “Aqui em Pernambuco, sequer o piso nacional do magistério, de R$ 2,4 mil, é cumprido. 
O governador precisa apresentar algo de concreto para melhorar a remuneração dos professores”. (Alepe).

O deputado estadual pernambucano Sílvio Costa Filho (PRB), líder da Oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), elogiou a decisão do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), de estabelecer em R$ 5.750 o salário inicial dos educadores com jornada de 40 horas semanais. Em discurso na Reunião Plenária na casa, nesta segunda (12), ele cobrou do governador de Pernambuco, o cumprimento da promessa de campanha de dobrar o vencimento dos professores da rede estadual.

De acordo com o oposicionista, “aqui no Estado de Pernambuco, sequer o piso nacional do magistério, no valor de R$ 2,4 mil, é cumprido”.  “O Maranhão é um Estado mais pobre, que também passou por uma grave crise financeira, e hoje é onde o profissional de educação tem o maior salário na região Nordeste do Brasil. O governador pernambucano precisa apresentar algo de concreto para melhorar a remuneração dos professores, que atualmente é uma das piores do país”, estocou Silvio, que é pré candidato a Federal.

Violência – No discurso feito na Alepe, o líder da Oposição relatou, ainda, a participação em audiência pública promovida na cidade de São Caetano, localizada no Agreste Central, na última sexta (9). Costa Filho enfatizou as reclamações sobre o crescimento da criminalidade no município e informou ter enviado ofício ao governador Paulo Câmara solicitando o aumento do efetivo policial naquela região.