sexta-feira, 9 de março de 2018

Sábado (10) Garanhuns comemora 207 anos de sua fundação

Descoberta de documentos oficiais, possibilitou a mudança da data em que se
comemorava o aniversário do município, antes realizada no mês de fevereiro. (Secom/PMG).

Garanhuns comemora neste sábado, 10 de março, 207 anos de criação. Para celebrar a data, o Governo Municipal realizou adiversas atividades através de parcerias entre suas secretarais e instituições locais. Neste sábado, as 08h, haverá o hasteamento dos pavilhões oficiais, em frente ao Palácio Celso Galvão – sede do Poder Executivo Municipal. Antes porém, nas primeiras horas do dia, será realizada uma queima de fogos em alusão ao Dia de Garanhuns. A partir das 19h30min, está programada uma Sessão Solene do Dia de Garanhuns, na Câmara Municipal de Vereadores. Omomento, acontece em parceria ao Instituto Histórico, Geográfico e Cultural de Garanhuns.

No domingo (11), as comemorações acontecem no Parque Euclides Dourado, onde as 7 da manhã, será dada largada para Corrida do Dia de Garanhuns. Segundo os organizadores, os competidores percorrerão 4,6 quilômetros. A partir das 15 horas, ainda no Parque, haverá uma roda de sanfona, idealizada pela Secretaria Municipal de Turismo e Cultura. Por lá, a Associação Feira e Arte também contribui para o dia dedicado a cidade, realizando um feira, dispondo de vendas de artesanatos, plantas e gastronomia, no sábado (10) e no domingo (11), das 10 às 19 horas.

DIA DE GARANHUNS – A descoberta de documentos oficiais possibilitou a mudança da data em que se comemorava o aniversário do município. De acordo com o Instituto Histórico e Geográfico de Garanhuns, equipes do Museu do Tombo de Portugal, descobriram que a localidade foi elevada à vila em 1811 em documento assinado por Dom João VI, o que para a época tinha status de município. O Dia de Garanhuns, que se refere a sua Data Magna, será sempre comemorado no segundo domingo de março.

Câmara aprova reajuste salarial dos Professores de Garanhuns

Gersinho Filho: “Todos os anos o prefeito Izaías cumpre a lei federal que determina 
o piso nacional dos professores. A Câmara está a favor dos professores e da população”.

O plenário da Câmara Municipal de Garanhuns aprovou, nesta quinta-feira (8), o Projeto de Lei do Executivo 002/2018, que atualiza o reajuste da grade de vencimentos de Servidores do Grupo Ocupacional Magistério do Poder Executivo Municipal de Garanhuns. O piso salarial do professor terá um reajuste de 6,81% com data retroativa a 1º de janeiro deste ano. O menor valor inicial para os professores da rede pública municipal de ensino passa a ser de 2.456,63, para uma carga horária de 200 horas mensais. O município de Garanhuns garante ainda o pagamento de gratificação de regência no percentual de 14%.

Com a aprovação, a lei garante o reajuste salarial para os profissionais do magistério do município que estão em exercício, além dos professores inativos e pensionistas. O reajuste oferece maior valorização dos profissionais do magistério e segue orientação do Ministério da Educação, nos termos do art. 5º da Lei nº 11.738, de 16 de julho de 2008, que estabelece a atualização anual do piso nacional do magistério.

O Prefeito de Garanhuns Izaías Regis (PTB), enfatiza a importância do município acompanhar o piso salarial, já que é Lei Federal. “Muitos municípios do Brasil não cumprem o piso nacional, nós estamos garantindo a correção salarial a todos os professores da rede municipal, retroativo ao início do ano letivo deste ano, com valores diferenciados e correspondentes a cada classe e nível”, finalizou o gestor.

“Todos os anos o prefeito Izaías cumpre a lei federal que determina o piso nacional dos professores. A Câmara está a favor dos professores e da população. A aprovação desse reajuste representa uma vitória merecida e importante para todos”, destaca o vereador Gersinho Filho (PTB). É importante ressaltar que para conceder reajustes salariais é necessário o equilíbrio nas contas do orçamento do município, pois não há repasse do Governo Federal para esses aumentos.
.

Abaixo, você confere como votaram os vereadores:

A FAVOR do reajuste para os professores, proposto pelo Executivo

Alcindo Correia
Ary Júnior
Audálio Ramos
Betânia da Ação Social
Carla de Zé de Vilaço
Daniel da Silva
Gersinho Filho
Luzia da Saúde
Marinho da Estivas

CONTRA o reajuste para os professores, proposto pelo Executivo:

Gil PM
Professor Márcio
Tonho de Belo do Cal
          Zaqueu Naum Lins

Garanhuns: Prefeitura vai garantir direito a moradia para 37 famílias

Além de garantir direito a casas para alguns moradores da cohab II, 
poder público ainda adotará ações integradas de obras e serviços públicos.

Com o objetivo de garantir o direito à moradia de 37 famílias que ocupam imóveis no bairro Francisco Figueira/Cohab II, o município de Garanhuns, através da Prefeitura Municipal junto aos moradores daquela localidade, celebraram termo de ajustamento de conduta (TAC) perante Ministério Público de Pernambuco (MPPE). O TAC tem por finalidade a apresentação, no prazo de 90 dias, de um plano de ação na área das ruas Ione Tenório e Polidoro Alves Wanderley (antiga Ivaldo de Almeida), localizadas no bairro.

Conforme os termos do TAC, o município de Garanhuns irá apresentar a relação nominal dos moradores que serão contemplados com a transferência de propriedade das casas, considerando levantamento realizado pela Secretaria de Assistência Social, vinculada a gestão municipal. Além de garantir o direito às casas, o poder público ainda adotará ações integradas de obras e serviços públicos, educação, direitos humanos, assistência social e segurança em prol das famílias que vivem na área.

Outra situação que será resolvida pela gestão municipal, é a apresentação de alternativa para os moradores que ocupam área de encosta e demais pontos de risco na comunidade. Para tal, o município irá disponibilizar moradia em áreas adequadas, ou ainda incluirá os moradores em programa de conjunto habitacional ou aluguel social, de acordo com a avaliação do Centro de Referência em Assistência Social (CRAS).

Corrida Presidencial no Brasil já conta com 11 pré-candidatos

Algumas dessas candidaturas, porém, são vistas como tentativa de os partidos 
se cacifarem nas negociações de alianças eleitorais. (Estadão Conteúdo – Foto: EBC).

A cinco meses para o início do registro das candidaturas, a corrida eleitoral deste ano começa a ganhar forma e já reúne pelo menos 11 postulantes ao Palácio do Planalto colocados oficialmente. Nesta quinta-feira, 8, os nomes do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do ex-ministro Ciro Gomes (PDT) foram lançados por seus partidos.

Analistas apontam o cenário de incerteza na disputa presidencial, reflexo da crise política, e o fim do financiamento empresarial como determinantes para a proliferação de candidaturas. A possibilidade de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), até agora líder nas pesquisas de intenção de voto, ficar impedido de concorrer com base na Lei da Ficha Limpa também é considerada um fator para a pulverização de candidatos.

Algumas dessas candidaturas, porém, são vistas como tentativa de os partidos se cacifarem nas negociações de alianças eleitorais, como a do próprio Maia. No evento em que "estreou" como pré-candidato à Presidência, o deputado foi reverenciado por líderes de siglas do Centrão e até por tucanos, que já têm no governador Geraldo Alckmin (PSDB) seu pré-candidato. Eles ainda tentam atrair o DEM para a chapa presidencial.

A exemplo da candidatura do DEM, considerada de centro, no campo da esquerda a postulação da deputada estadual gaúcha Manuela D'Ávila (PCdoB) também é vista com ceticismo. Historicamente, o partido tem se colocado como linha auxiliar do PT e aliados dizem ter dúvidas se ela a manterá até o fim.

PIB de Pernambuco recua 0,4% em 2017, aponta consultoria 4E

Crescimento de 1% do Produto Interno Bruto brasileiro registrado em 2017 não foi suficiente para 
puxar a economia do estado para patamares melhores. (JC Online – Foto Guga Marques).

O crescimento de 1% do PIB brasileiro em 2017 não foi suficiente para puxar a economia de Pernambuco, que encolheu 0,4% no ano passado. O cálculo é da 4E Consultoria, especializada em macroeconomia e inteligência de mercado.Com base nos dados nacionais do IBGE, o economista Alejandro Padron, responsável pelo estudo, avalia que a queda registrada na indústria de transformação e também nos serviços ajudaram a puxar para baixo o desempenho da economia pernambucana.

“Houve queda na indústria geral e extrativa que, basicamente, puxaram a indústria de transformação para baixo. A Pesquisa Industrial Mensal do IBGE mostra isso para a Bahia e Pernambuco, dois estados que têm mais peso na indústria do Nordeste”, disse, destacando a queda de 5,6% na indústria da construção e de 1,8% na extrativa no Estado.

No setor de serviços, o estudo da 4E identificou recuo de 2% num agregado que Padron chama de Outros Serviços, um grupo que inclui atividades como transporte, armazenagem e também educação privada. “A Pesquisa Mensal de Serviços (IBGE) mostra queda de 5% nesse componente (educação) em 2017 incluso no que chamamos Outros Serviços, que teve queda de 2% no ano. Essas categorias têm peso grande, também inclui saúde privada. Tudo isso puxou o cálculo para baixo”, informou o especialista.

A agropecuária, que registrou um crescimento de 15% em 2017 em Pernambuco, não tem peso tão significativo na economia para ajudar na recuperação como um todo. O recuo do PIB em Pernambuco seguiu a tendência regional, que também recuou 0,4%. Destaque para os desempenhos da Bahia (-1,7%) e do Ceará (-0,3)% que também registraram queda. 

Rodrigo Maia descarta aliança com o Governador Paulo Câmara

 Sobre o atual Ministro da Educação, Mendonça Filho, Rodrigo defende que ele participe da 
chapa majoritária da oposição aqui em Pernambuco. (JC Online – Foto: Divulgação).

Em entrevista à Rádio Jornal Recife, na manhã desta quinta-feira (8), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), descartou aliança com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), para ajudar na sua campanha à Presidência. Ele ainda admitiu que espera ver seu aliado no Estado, o ministro Mendonça Filho (DEM), como participante da chapa majoritária da oposição, intitulada aqui no estado de "Pernambuco quer Mudar".

"Em Pernambuco, há uma aliança construída pelos partidos de oposição, mas com todo respeito que tenho ao governador Paulo Câmara, o nosso campo está construindo uma candidatura, onde o ministro Mendonça fará parte dela, certamente na chapa majoritária, garantindo ao Democratas um espaço importante", disse Maia. 

Quando questionado sobre os palanques no Brasil, Rodrigo Maia acredita que no Rio de Janeiro a sua candidatura tem grandes vantagens. "No Rio de Janeiro, nós temos certamente o melhor palanque. Hoje construído por dois ex-prefeitos da capital, César Maia e Eduardo Paes", afirmou na entrevista. "Mais importante que os palanques é que se tenha um projeto que tenha sinergia, que convença a sociedade que é o melhor projeto. Se isso acontecer, a gente vai ter condições de ampliar a nossa base de apoio dos estados ao longo da campanha", acrescentou o presidente.

Daniel Coelho e Bruno Araújo quebram gelo e voltam a conversar

Bruno Araújo: "Estamos conversando, as coisas estão se ajustando e estamos na 
expectativa de que Daniel possa continuar conosco". (Renata Melo – Foto: Divulgação).

Desde novembro, os deputados federais Daniel Coelho e Bruno Araújo, presidente do PSDB no Estado, não se falavam. Naquele mês, houve a convenção da executiva estadual do partido, quando Daniel abandonou o evento após ser impedido de ocupar a tesouraria da legenda, como pretendia. O clima azedou. Mas, ontem, os dois foram à mesa na Câmara Federal. Com o encontro, Daniel reforça as pontes com o PSDB-PE, no momento em que se ventila sua travessia para o PPS. Não necessariamente vai atravessar para as hostes comunistas, assim como nunca descartou manter-se no tucanato. Tanto pode sair, como pode ficar. No entanto, seja qual for o movimento, Daniel admite estar apenas no palanque de oposição no estado, intitulado de "Pernambuco quer Mudar".

Apesar das divergências públicas, Bruno e Daniel vão estar no mesmo palanque. "Se quer ganhar, a oposição não pode estar brigando entre si. Fui no evento do final de semana (em Caruaru) para sinalizar para toda oposição. E, hoje, tive encontro com Bruno para dizer que qualquer divergência política não vai atrapalhar a construção do palanque no Estado", argumenta Daniel. Quando cogita migrar para o PPS, o parlamentar o faz considerando que a sigla estará na oposição, seguindo tendência nacional de alinhamento ao PSDB.

Após a celeuma com Bruno, Daniel acabou sem espaço na executiva estadual. Na nacional, também não ocupa cadeiras, trabalhou para eleger Tasso Jereissati presidente, o que acabou não se consumando. Se isso não deve ser determinante na decisão sobre permanecer ou não no ninho tucano, reconstruir as pontes com o presidente estadual, no entanto, pode ser um ingrediente a facilitar o "fico". À coluna, Bruno também sinaliza para harmonia: "Estamos conversando, as coisas estão se ajustando e estamos na expectativa de que Daniel possa continuar conosco".