sexta-feira, 2 de março de 2018

Oposição desembarca com 3º ato político neste sábado em Caruaru

Grupo, ainda não definiu o número de palanques e quais serão os nomes que integrarão a chapa na disputa pelo Governo e Senado, algo que deve ocorrer no próximo mês. (JC Online – Foto: Divulgação).

O grupo de oposição "Pernambuco Quer Mudar" realiza o seu terceiro ato político neste sábado, desta vez em Caruaru, no Agreste do estado. O evento ocorre a partir das 9h30 na Arena Caruaru, antigo Palladium, na BR 104, cinco meses depois de Fernando Bezerra Coelho, então no PSB, lançar a frente de oposição, durante ato de entrega de residenciais do Ministério das Cidades. O primeiro encontro ocorreu em Recife, em dezembro do ano passado e o segundo em Petrolina, reduto eleitoral da família Coelho. 

O terceiro encontro será marcado por uma reavaliação do quadro nacional e local. O grupo ainda não definiu o número de palanques e quais serão os nomes que integrarão a chapa. Ficou pactuado que as pré-candidaturas iriam ser trabalhadas normalmente até o ato em Caruaru. Diante a possibilidade da aliança entre PT e PSB, cresce a tese de que a oposição deve lançar dois palanques para assim viabilizar um segundo turno.

A definição da candidatura, sairá no próximo mês de abril com o final da janela partidária dos deputados federais e estaduais, uma vez que a definição das chapas proporcionais tem influência direta na eleição majoritária. Além da questão do PT-PSB, outros fatores externos influenciam na definição, como a batalha jurídica travada entre Fernando Bezerra contra o presidente do MDB-PE e vice-governador Raul Henry e o deputado federal Jarbas Vasconcelos pelo comando do diretório estadual da sigla. Para o caso de Fernando Filho, sem partido, segundo informações que circulam nos bastidores, ele espera a resolução do imbróglio a favor do seu pai para se filiar ao MDB.

Quanto ao Senador Armando Monteiro, do PTB, viveu o luto da perda do seu pai em janeiro deste ano. Mendonça Filho está focado nas ações do seu ministério e afirma não querer definir nada até se desincompatibilizar. Já Bruno Araújo, que deixou o Ministério das Cidades por falta de apoio do seu partido, enfrenta dissidências no diretório estadual, inclusive com a pré-candidatura de Elias Gomes (PSDB) já posta.

Chapa de Paulo Câmara terá Cleiton Collins, João Paulo e Jarbas

Estreia do PP na chapa majoritária com Collins, mostra a força que o partido tem mostrado 
nas últimas eleições e ainda a expectativa de crescimento na Assembleia Legislativa, a partir de 2019.

Começa a se desenhar, a formação da chapa majoritária do atual Governador Paulo Câmara, que entrará na disputa pela sua reeleição. De acordo com informações vindas da capital pernambucana, a principal novidade da composição deve ser o nome do deputado estadual Cleiton Collins, do PP, na vice, substituindo o deputado federal licenciado Raul Henry, do MDB. Eduardo da Fonte, deputado federal pernambucano que comanda o PP aqui no Estado, que pleiteava a vaga de senador, foi preterido à João Paulo e de quebra, sequer ocupará o posto de vice, devendo disputar a reeleição para Câmara.

“Collins é cria de Eduardo da Fonte. Para ter 200 mil votos como um dos deputados mais votados, Collins sempre fez dobradinha com Dudu. Ele é uma espécie de Raul Henry de Eduardo da Fonte”, explicou um socialista ouvido pelo Blog de Jamildo.

João Paulo, do PT, conforme mencionamos, ocupará a segunda vaga ao Senado, sacramentando a reaproximação dos socialistas com os petistas, sob a bênção de Lula. O ex-governador Jarbas Vasconcelos, do MDB, deve ocupar a outra vaga para o Senado.

A estreia do PP na chapa majoritária mostra a força que o partido tem mostrado nas últimas eleições e também a expectativa de crescimento na Assembleia Legislativa do Estado, a partir de 2019, ao mesmo tempo em que o MDB de Jarbas Vasconcelos e Raul Henry reduz sua importância no palanque da aliança.

“Enrolaram Dudu por muito tempo. Agora não dá para enrolar mais”, afirma um observador privilegiado da cena política local, sobre a atuação do presidente do PP, Eduardo da Fonte. De acordo com os aliados, a composição final não será anunciada agora, de modo a não abreviar o atual mandato do governador Paulo Câmara.

Temer vai destinar R$ 98 milhões para Prefeitos Pernambucanos

Crédito não tem data para estar disponível na conta dos prefeitos. Ao total, na próxima quarta-feira (7), 
Presidente irá liberar R$ 2 bilhões de reais para os municípios Brasileiros. (JC Online – Foto: Abr).

O presidente Michel Temer participa de uma cerimônia, na próxima quarta-feira, 7 de fevereiro para sancionar o Projeto de Lei nº 1, de 2018, que abre crédito de R$ 2 bilhões de reais para os municípios. O evento ocorrerá às 10h e foi confirmado pelo Palácio do Planalto. Aprovado pelo Congresso Nacional na última semana, o projeto poderia ser sancionado até o próximo dia 13. Ainda assim, mesmo sancionado, o crédito não tem data para estar disponível na conta das prefeituras, pois pode ocorrer ao longo de 2018.

“Depois que ele (Temer) sancionar, é indefinido o prazo para pagamento. Pode ser até 31 de dezembro, mas não acredito que o governo faça isso. Esperamos que ele pague ainda em março”, disse o secretário-geral da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Eduardo Tabosa (PSD), na última semana. Em busca de apoio para aprovar a reforma da Previdência, Temer anunciou em novembro de 2017 a liberação da ajuda financeira.

Pernambuco receberá R$ 98 milhões rateados proporcionalmente à tabela do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Sendo assim, a capital terá R$ 10 milhões e cidades grandes, como Caruaru, no Agreste, e Jaboatão, no Grande Recife, receberão na faixa de R$ 1,8 milhão. Municípios do interior do estado, como Tuparetama e Solidão, no Sertão, e Sairé, no Agreste, que possuem coeficientes do FPM menor, terão direito a R$ 180 mil.

Presidente da Alepe: Guilherme Uchôa flerta com quatro patidos

Uchôa: “Tive a ficha partidária (no PDT), com a assinatura do saudoso Leonel Brizola 
de uma hora pra outra, tenho que mudar o rumo da política”. (Folha-PE – Foto: João Bita/Alepe).

Após ter as portas fechadas no PDT, o presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Uchôa (PDT), considera a sua ida - junto com o filho, Guilherme Uchôa Junior (PSB), que disputa a Câmara Federal - para PR, PP, PSD ou mesmo o PSB, a convite do governador Paulo Câmara (PSB). O presidente e seu filho asseguraram que vão para o mesmo partido e disputam a eleição na chapa única da Frente Popular.

O presidente Guilherme Uchôa relata que a mudança de partido tem sido difícil devido a sua história no PDT. “Tive a ficha partidária com a assinatura do saudoso Leonel Brizola e, de uma hora pra outra, tenho que mudar o rumo da política”, lamenta. 

O parlamentar comenta ter recebido muitos convites. “Cleiton Collins (PP) tem sido muito gentil e muito leal comigo. O deputado Rogério Leão (PR) foi um dos primeiros a oferecer o PR pra ir", afirma o presidente. De acordo com Uchôa Júnior, o presidente do PSD-PE, deputado André de Paula, também fez convite para ambos.