domingo, 18 de fevereiro de 2018

Rio: Temer anuncia criação do Ministério de Segurança Pública

Elaboração da nova pasta, faz parte de uma estratégia do presidente para criar uma marca 
para seu governo na área de segurança pública. (Folhapress – Foto: Alan Santos/PR).

O presidente Michel Temer anunciou neste sábado (17), em reunião no Rio de Janeiro a criação do Ministério de Segurança Pública. A formação da pasta foi decidida nos últimos dias pelo governo. Neste sábado, Temer esteve no estado Fluminense, afim de tratar temas relacionados a intervenção federal na segurança do Estado. Em pronunciamento após a reunião, o presidente assegurou que a nova pasta vai coordenar o trabalho de segurança pública em todo o país. "Isso vai acontecer na próxima semana, no mais tardar na outra semana. Já conversei com os presidentes da Câmara e do Senado", disse o presidente.

O assunto já vinha sendo tratado pelo governo nos últimos meses, mas ganhou força com a onda de violência vivida pelo Rio durante o Carnaval. Pelo esboço feito pelo Palácio do Planalto, a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal e a Força Nacional iriam para o controle da nova pasta, o que esvaziaria o Ministério da Justiça.

O nome do novo ministro ainda não foi anunciado. Um dos mais cotados é o de José Mariano Beltrame, ex-secretário estadual de Segurança do Rio de Janeiro. A criação da nova pasta faz parte de estratégia do presidente de criar uma marca para seu governo na área de segurança pública. Segundo pesquisa interna do MDB, o tema é um dos que mais preocupam os brasileiros para o processo eleitoral deste ano. Segundo a Folha de S.Paulo apurou, o ministério será de caráter extraordinário, ou seja, com prazo de validade, podendo ser extinto quando arrefecer a crise na segurança pública.

Humberto: “Intervenção pode ser instrumento contra democracia”

Segundo senador, a intervenção no Rio, não poderia ter sido empreendida antes 
de o governo ter tentado outras alternativas. ( Ana Tennório – Foto: Roberto Stuckert Filho).

A intervenção federal no Rio de Janeiro empreendida pelo Exército, através de iniciativa do Governo Federal, tem levantado questionamentos da oposição com relação a suas reais atribuições. Segundo o líder da oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), os passos prometidos pelo Chefe do Executivo durante a intervenção, não estão totalmente esclarecidos. “À medida que o próprio Temer já admite suspender a intervenção para tentar a Reforma Previdência, fica claro que há uma razão política para esta medida”.

Ainda segundo o senador, jamais uma medida extrema como esta poderia ter sido tomada antes de o governo ter tentado outras alternativas, como a realização de uma ação coordenada entre as Forças Armadas e a polícia do Estado. Para Humberto Costa, um dos principais riscos da intervenção federal é o de “comprometer a democracia”. 

O parlamentar avaliou também que os políticos devem “estar atentos” para o caso da medida ser “aplicada em outros estados”. “Nós, da oposição, estaremos absolutamente firmes no sentido de acompanhar esta intervenção para que ela seja absolutamente controlada pelo Congresso, pelo Ministério Público e pelo Judiciário, para que isto não se torne um instrumento contra a democracia”, ponderou.

Petistas já discutem estratégias para o caso de prisão de Lula

Discussões, vão desde a estratégia eleitoral em caso de impedimento de Lula, até mobilizações de rua,
campanhas na internet, bem como o comportamento do próprio ex-presidente na cadeia. (Estadão Conteúdo).

Enquanto torcem para que o Supremo Tribunal Federal (STF) conceda um habeas corpus em favor de Luiz Inácio Lula da Silva, petistas próximos ao ex-presidente discutem o que fazer caso o líder máximo do partido vá para a prisão. Os petistas calculam que, se consumada, a prisão de Lula deve ocorrer em março. O debate ainda não foi colocado formalmente para deliberação das instâncias partidárias, mas um grupo restrito formado por dirigentes, parlamentares, ex-ministros e líderes de movimentos sociais tem conversado sobre quais ações podem ser postas em prática enquanto Lula estiver na prisão.

As discussões vão desde a estratégia eleitoral em caso de impedimento de Lula até mobilizações de rua, campanhas na internet e o comportamento do próprio ex-presidente na cadeia. Segundo um petista próximo de Lula, o ex-presidente não vai reconhecer “moralmente” a condenação a 12 anos e 1 mês de prisão imposta pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4), não deve ser um preso dócil e “vai dar trabalho”.

Alguns petistas chegam a falar em greve de fome, mas auxiliares mais próximos do ex-presidente garantem que Lula nunca cogitou a ideia. Ele ficou seis dias sem comer quando foi preso em 1980, durante a ditadura militar, por liderar uma paralisação de 41 dias dos metalúrgicos do ABC. Mas em 2005, quando era presidente, Lula criticou essa forma de protesto quando o bispo Luiz Flávio Cappio fez uma greve de fome contra a transposição do Rio São Francisco. “Greve de fome é judiar do próprio corpo”, disse Lula, à época.

Crimes violentos contra o patrimônio caíram em janeiro deste ano

Declínio, foi especialmente verificado em algumas modalidades de crimes, a exemplo dos 
assaltos a ônibus, investidas a instituições financeiras e roubos de celulares. (Foto: Edmar Melo/SEI).

Os Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVPs) registrados no mês de janeiro de 2018, em todo o Estado, tiveram uma redução de 29,94%, comparando com o mesmo mês de 2017. Estatísticas da Secretaria de Defesa Social, disponibilizadas nesta sexta-feira (16/02) no portal www.sds.pe.gov.br, computam 8.258 casos no mês passado, contra 11.407 no mesmo período do ano anterior (a diferença é de 3.149 para menos). O declínio foi especialmente verificado em algumas modalidades de CVPs, a exemplo dos assaltos a ônibus, investidas a instituições financeiras e roubos de celulares.

Entre os 31 municípios de Pernambuco com mais de 50 mil habitantes, 15 tiveram uma redução de mais de 30% nos CVPs em janeiro de 2018, em relação ao mesmo mês do ano anterior. Arcoverde, cidade situada no Sertão, foi a que apresentou o melhor resultado, caindo de 44 para 16 crimes registrados, uma diminuição percentual de 63,6%. Pesqueira, município do Agreste vizinho a Arcoverde, foi o segundo que mais reduziu os CVPs no período, de 73 para 27 casos registrados (queda de 63%). Em terceiro vem Serra Talhada, no Sertão do Pajeú, que diminuiu de 29 para 13 (-55,2%).

“Não comemoramos porque os números ainda são altos, mas cada CVP a menos significa muito, pois representa uma pessoa poupada do encontro com a violência. Nosso trabalho tem concentrado esforços no combate e prevenção a esse tipo de crime, com policiamento ostensivo aliado às ações de cidadania que a SDS desenvolve em diversos bairros, por meio do projeto Comunidade Segura", avalia o Secretário Antônio de Pádua.

"Agora, com maior efetivo nas polícias Civil e Científica, a partir do ingresso de 1.214 novos profissionais, temos a perspectiva de ampliar as prisões de assaltantes das mais diversas modalidades e dar, cada vez mais, sensação de segurança e tranquilidade à população”, complementa Pádua. Ainda este semestre, o governador Paulo Câmara nomeará 1.300 novos policiais militares e 300 bombeiros, atualmente em curso de formação.

Pernambuco registra queda na violência durante Carnaval de 2018

Anúncio da redução aconteceu no mesmo momento em que o Governo do Estado investiu 
no acréscimo do número de policiamento para o período carnavalesco. (JC Online).

A Secretaria de Defesa Social (SDS) aqui do estado de Pernambuco, divulgou no decorrer da semana, que o índice de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) diminuiu no Carnaval de 2018 em Pernambuco. Neste ano, foi registrada uma redução de 25,3% no número de mortes, passando de 79 em 2017, para 59 durante os quatro dias do período de Momo. De acordo com a SDS, foi registrado apenas um caso de latrocínio, quatro a menos que no Carnaval do ano passado. Os números de homicídios em focos de folia, informa ainda a SDS, também diminuíram, passando de três para apenas um.

A Secretaria de Defesa Social do Estado, ainda registrou um total de 783 crimes contra o Patrimônio (CVPs). Neste tipo de crime também houve uma diminuição que chegou aos 50,4% em relação ao mesmo período do ano passado, 2017. Ainda foram registrados 617 roubos e furtos que aconteceram em focos de folia. Casos de estupros e atos obscenos também diminuíram, foram quatro, três a menos que no ano anterior.

O anúncio da redução aconteceu no mesmo momento em que o Governo do Estado investiu no acréscimo do número de policiamento para o período carnavalesco. Em comparação a 2017, neste ano houve um incremento de 32% nos postos de trabalho das polícias Militar, Civil e Científica e do Corpo de Bombeiros.

Alerta Celular - Mais de 3.600 aparelhos telefônicos foram cadastrados no Programa Alerta Celular contra roubos de celulares, nos postos de atendimento. Neste ano, foram registrados 1.019 furtos, 20,4% a menos que em 2017.

"PT não será tábua de salvação de governo ruim", reage Marília

Fala da vereadora do Recife, ocorreu na última sexta (16), um dia após o governador Paulo Câmara (PSB)
se reunir com o ex-presidente Lula (PT), e especulações apontarem para uma união entre PT e PSB.

Em um áudio divulgado para a militância petista, a vereadora do Recife Marília Arraes, do Partido dos Trabalhadores (PT), pré-candidata ao governo do Estado, reagiu a possível aliança entre PT e PSB. No áudio, a vereadora assegura que a candidatura própria está de pé e diz ainda que o PT não será "tábua de salvação" de um "governo ruim".

A reação de Marília ocorreu na sexta (16), um dia após o governador Paulo Câmara (PSB) se reunir com o ex-presidente Lula (PT) e na mesma semana em que Paulo e o ex-prefeito do Recife João Paulo (PT) almoçaram juntos durante o Carnaval.

"Aqui em Pernambuco, nós estamos firmes. O PT de Pernambuco não vai ser tábua de salvação para governo ruim. A candidatura própria segue firme, respeitando as instâncias partidárias e os momentos adequados. E nós estamos na luta para disputar e para ganhar a eleição", promete Marília, no áudio vazado na capital pernambucana.

A vereadora trata a aproximação entre PT e PSB como uma "especulação", mas não dispara contra Lula, que tem dado aval aos gestos entre os dois partidos. "É muito importante a gente ressaltar que o presidente Lula é um estadista. O presidente Lula está trabalhando para devolver o Brasil ao povo. Para que o povo volte a ser prioridade no governo da República brasileira. E está fazendo seu papel nesse", diz ela.
.

Encontro – Conforme publicamos aqui no Blog do Gidi Santos, o Governador Paulo Câmara se reuniu com o ex-presidente no Instituto Lula, em São Paulo. Também participaram do encontro a ex-primeira dama Renata Campos, o chefe de gabinete do Governo, João Campos, a presidente do PT, Gleisi Hoffman (PT) e o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, que também integra os quadros do Partido dos Trabalhadores.

A informação oficial divulgada pelo Palácio do Campo das Princesas, é que o encontro foi uma retribuição à visita de Lula a casa de Renata em agosto de 2017 e a entrevista concedida pelo petista à Rádio Jornal na semana passada. Apesar disso, boa parte da imprensa pernambucana difundiu que o encontro na verdade, serviu para selar uma suposta volta do PT de Pernambuco aos quadros da Frente Popula, liderada aqui no estado, pelo PSB e que trabalha para reeleição do atual Governador Paulo Câmara.

De acordo com informações vindas da capital pernambucana, o PT, sob a chancela do ex-presidente Lula, estaria disposto a retornar à Frente, afim que o ex Prefeito do Recife, João Paulo postulasse uma vaga ao Senado Federal, ao lado de Jarbas Vasconcelos na chapa de Câmara, ao passo que o senador Humberto Costa e Marília tivessem prioridade na eleição para deputado Federal. Não houve até o momento pronunciamento oficial por parte do ex-Presidente Lula e ainda do próprio Governador Paulo Câmara, o que garante dizer, que tudo, ainda, circula no campo de especulação.
.