terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Garanhuns: Nilva inicia trabalho na Saúde, mudando equipe gestora

“Estamos aqui, para traçar estratégias a fim de obter resultados concretos na Saúde de 
Garanhuns”, destaca a nova secretária. (Secom/PMG – Fotos: Aquiles Soares).

Os servidores da Secretaria Municipal de Saúde participaram nesta terça-feira (16) da apresentação da nova formulação da equipe gestora que compõe a Rede de Saúde em Garanhuns. A solenidade foi realizada durante todo o dia, no auditório da Autarquia do Ensino Superior de Garanhuns (Aesga), e contou com a presença da secretária de Saúde, Nilva Mendes, e do atual secretário-adjunto, Harley Davidson.

Diversos servidores das Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) estiveram presentes, e na ocasião, foi realizada uma breve homenagem do Centro de Especialidades da Mulher e da Criança (Cesmuc) às cinco UBS’s que obtiveram um maior desempenho no cumprimento das metas durante a campanha Outubro Rosa em 2017.

Durante o momento, o secretário-adjunto da pasta, Harley Davidson, elogiou a equipe e ressaltou o compromisso de todos os gestores com o município. “Nós todos estamos à disposição de Garanhuns, com uma equipe de profissionais  adequada para promover uma maior qualidade de assistência e resolutividade para população”, declarou.

A partir da nova organização, implementada pela nova secretária de Saúde, os coordenadores construirão um Colegiado Municipal, onde todos meses, os integrantes deverão apresentar relatórios de todas as demandas de seus respectivos setores, como um planejamento mensal em conjunto com as unidades. “Geralmente, aqueles que procuram o SUS, procuram por alguma razão. E estas pessoas acreditam no nosso trabalho. Por isso estamos aqui reunidos, para traçar estratégias a fim de obter resultados concretos na Saúde de Garanhuns”, assegura a titular da pasta, Nilva Mendes.
.

.

PE fecha 2017 com maior número de homicídios em 14 anos: 5.427

Em dezembro do ano passado, foram contabilizadas 394 mortes violentas em todo o estado, o que 
equivale a uma média de 12,7 pessoas assassinadas por dia no mês. (G1 Caruaru e Região).

Pernambuco encerrou 2017 com 5.427 assassinatos registrados ao longo dos 12 meses do ano. O número é 21,1% maior do que os 4.479 assassinatos contabilizados em 2016 e também é a marca mais expressiva desde 2004, ano inicial da divulgação das estatísticas de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) pela Secretaria de Defesa Social (SDS). Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (15) pelo governo estadual.

No mês de dezembro do último ano, 2017, foram contabilizadas 394 mortes violentas em todo o estado - menor estatística mensal desde julho, quando foram registrados 446 assassinatos. De acordo com a SDS, a estatística de dezembro é a segunda menor do ano, perdendo apenas para o mês de junho, que teve 379 assassinatos.

De acordo com as estatísticas divulgadas pela pasta, os Crimes Violentos contra o Patrimônio, os chamados "CVPs", seguem a mesma tendência de crescimento dos homicídios, mas em menor escala. Ano passado, 2017, foram contabilizadas 119.513 ocorrências desse tipo, em percentual: 4,1% a mais do que os 114.802 CVPs registrados em 2016. Extorsões e roubos cometidos contra transeuntes e instituições financeiras, roubos de veículos e assaltos a ônibus são alguns dos crimes que se enquadram nesta categoria.

A SDS, no entanto, argumenta que houve melhora nos números, se comparados o primeiro e o segundo semestre de 2017. Através de material encaminhado à imprensa nesta segunda (15), a pasta ressalta a queda de 2.875 para 2.552 homicídios semestrais em 2017. No entanto, se comparados os primeiros semestres de 2016 e 2017, é possível notar um aumento de 39,3%, já que o número passou de 2.073 para 2.875 assassinatos. Na comparação entre os últimos semestres dos dois anos em questão, também houve aumento de 5,62%, uma vez que o número de homicídios passou de 2.416 para 2.552.

Associação de juízes federais pede reforço em julgamento de Lula

Julgamento do recurso do ex-presidente, está marcado para o dia 24 deste mês. Preocupação da associação,
decorre de ameaças feitas pela internet, aos magistrados do caso. (Folhapress – Foto: Ricardo Stuckert).

Em visita à ministra Cármen Lúcia no STF (Supremo Tribunal Federal) nesta segunda (15), o presidente da Ajufe (Associação dos Juízes Federais do Brasil), Roberto Veloso, pediu reforço de segurança para o prédio e os juízes do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) em razão do julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Veloso disse estar "muito preocupado" com as ameaças de que teve conhecimento, sobretudo as veiculadas em redes sociais. Ele disse que levará a diretoria da Ajufe para visitar o TRF-4 no próximo dia 22 para "prestar solidariedade ao tribunal". O julgamento do recurso do ex-presidente Lula está marcado para o dia 24 deste mês de janeiro.

O representante dos juízes federais levou ainda na tarde de ontem, um pedido de providências ao ministro da Justiça, Torquato Jardim. "Levamos um pedido para que ele [Jardim] tome medidas acautelatórias e apure as responsabilidades já dos atos convocatórios. Primeiro, se o patrimônio público está ameaçado, é preciso que os órgãos da segurança pública, tanto o federal quanto o estadual, tomem as providências no sentido de garantir que os prédios públicos sejam preservados. Segundo, a questão da segurança dos magistrados, porque uma das principais questões que a Ajufe defende e defenderá sempre é a independência dos nossos juízes em todo o Brasil", declarou.

"A ministra [Cármen Lúcia] falou que o CNJ [Conselho Nacional de Justiça] é o órgão [do Judiciário] encarregado da segurança dos prédios públicos. Diante disso, nós encaminhamos, hoje, um ofício ao CNJ pedindo providências". De acordo com Veloso, os magistrados do TRF-4 e seus familiares já tiveram sua segurança reforçada, tanto por agentes do próprio tribunal como da Polícia Federal. Na manhã desta segunda, Cármen Lúcia também recebeu no Supremo o presidente do TRF-4, o desembargador federal Carlos Eduardo Thompson Flores, para tratar da segurança no dia do julgamento. Às 16h30, houve uma audiência entre o desembargador e a procuradora-geral, Raquel Dodge.
.

João Campos: Pré-candidato a Deputado Federal por Pernambuco

Aos 24 anos, João já é visto como futuro do PSB. Sua candidatura, defenderá a manutenção da 
família Campos nos principais quadros políticos do país. (JC – Foto: Luiz Macedo/Câmara dos Deputados).

Aos 24 anos, João Campos é mais novo do que qualquer um dos deputados federais hoje no Congresso Federal Brasileiro. Ainda assim, o jovem filho do ex-governador Eduardo Campos – morto em acidente aéreo em 2014 em Santos – é a principal aposta do Partido Socialista Brasileiro (PSB) para a disputa de federal no Estado.

Chefe de gabinete do atual governador do estado de Pernambuco, Paulo Câmara, também do PSB, João passou os últimos quatro anos se preparando para enfrentar as urnas pela primeira vez e se colocar definitivamente como uma futura liderança socialista. "Acho natural falarem disso quando percebem que há uma participação minha ao longo do tempo", admite ele. "Essa decisão vai ser tomada de forma colegiada. Eu sempre me coloquei à disposição do partido. Se o partido precisar, eu vou estar à disposição", ressalta João.

Para o PSB, não há dúvidas. João será candidato a deputado federal, afirma o presidente estadual da legenda, Sileno Guedes. "Existe um consenso na direção do partido e nas principais lideranças da necessidade de ele ajudar a compor a nossa bancada e, a partir do ano que vem, ter um papel nacional também no partido."

A primeira vez em que o nome de João foi cotado para entrar na corrida pela Câmara Federal foi ainda noa ano de 2014; ocupando a vaga que a família sempre teve no Congresso Nacional desde 1995, com o ex-governador Miguel Arraes, Eduardo e Ana Arraes, ministra do Tribunal de Contas da União (TCU). Naquele ano, porém, a candidatura do filho poderia interferir nacionalmente no projeto presidencial de Eduardo. Além disso, a mãe, Renata Campos, defendia que ele concluísse o curso de Engenharia Civil.

Mas foi a partir daquele ano que a preparação ganhou força. Em meio ao vácuo político na Frente Popular deixado pela morte de Eduardo, o filho se engajou na campanha pela eleição de Paulo Câmara, com agenda própria em várias cidades do interior. Logo virou secretário de Organização do PSB, para ficar em contato com as bases da legenda.

Rito socialista - No início de 2016, foi nomeado para o primeiro cargo público, como chefe de gabinete de Paulo, na antessala do governador, recebendo cada prefeito, deputado e presidente de partido. O rito é descrito por socialistas como uma forma de conhecer a política por dentro, conversar com lideranças e participar dos entendimentos.

Na conversa que manteve com o Jornal do Comércio, antes de embarcar para um programa de líderes em ascensão no Reino Unido, João mostrou de vez que vai encabeçar a defesa de Paulo. "O povo percebe ele (Paulo Câmara) como um gestor sério, pessoa humilde, decente e coerente, que vem fazendo a diferença em Pernambuco."
.

João Campos terá papel decisivo na reeleição de Paulo Câmara

Para o PSB, Campos no palanque de Paulo Câmara será a prova que governador sucede 
Eduardo. (Paulo Veras – JC Online – Foto: Aluísio Moreira/JC Imagem).

O papel de João Campos não se limitará à corrida pelo Congresso. Ele também é uma arma do PSB contra o discurso da oposição – principalmente de ex-aliados como o senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB) – negando ao governador Paulo Câmara o papel de sucessor administrativo de Eduardo Campos. "Ele não está nesse conjunto à toa. A presença é para tirar qualquer dúvida de que esse conjunto do PSB não dá seguimento ao que Eduardo começou. Vai desmentir qualquer argumento que se queira colocar nesse sentido", afirma Sileno Guedes, Presidente Estadual do PSB.

O tio de João, o advogado Antônio Campos, que atualmente integra os quadros do "Podemos", que rompeu com o PSB e se coloca como pré-candidato ao Senado Federal, diz que não faz mal ter figuras da família concorrendo por chapas diferentes. "Eduardo merece ter um filho deputado federal. Espero apenas, que João tenha a consciência que o legado de Eduardo é bem maior que o governo de Paulo", afirma ele.

“Dinastia Política” - Para Vannucio Pimentel, doutor em ciência política e autor do estudo “A Primazia dos Clãs: A Família na Política Nordestina”, a pré-candidatura de João é um caso de dinastia política, em que o filho é escolhido como herdeiro do capital político em busca de votos para tentar manter o grupo no poder.

Vannucio entende que a real preparação é para torná-lo prefeito do Recife ou governador de Pernambuco. "A família Campos perdeu seu principal agente político catalizador. E agora precisa construir uma figura de proa para capitalizar esse grupo. É questão de tempo e viabilidade. Mas ele é claramente toda a aposta política para futuro da família Campos. É uma estratégia de longo prazo", explica.

Controle nos gastos ajudou PE a consolidar despesas em 2017

Clodoaldo Magalhães: “2017 foi um ano difícil, em que tivemos retração de investimentos, mas 
com muita austeridade, Pernambuco conseguiu consolidar ações importantes”. (Alepe - Foto: SEI).

A austeridade nos gastos do Governo Estadual do Governador Paulo Câmara, foi fundamental para preservar recursos para áreas essenciais, avaliou o presidente da Comissão de Finanças, Orçamento e Tributação, deputado Clodoaldo Magalhães (PSB), ao fazer um balanço da atuação do colegiado em 2017. A análise do desempenho fiscal do Poder Executivo é uma das principais funções do grupo parlamentar.

“2017 foi um ano difícil, em que tivemos retração de investimentos. Mas com muita austeridade, Pernambuco conseguiu consolidar ações importantes na segurança pública, na saúde e na educação”, declarou Magalhães. Por força da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), o Poder Executivo apresentou seus balanços fiscais três vezes por ano em audiências públicas promovidas pela Alepe.

Segundo o quadro apresentado pelo Estado nessas reuniões, as receitas foram prejudicadas pela diminuição dos recursos de convênios com o Governo Federal e pela oscilação na arrecadação do ICMS. Mas os representantes da gestão estadual consideraram que houve uma melhora nesse cenário, no decorrer do ano, e apostam na recuperação econômica em 2018 para que Pernambuco possa voltar a ter mais investimentos e espaço para gastos com pessoal.

Governo e TJPE firmam parceria para ressocialização de presos

Acordo selado nesta segunda-feira, busca propiciar a reinserção
com mais dignidade aos reeducandos do sistema prisional de Pernambuco

Com o objetivo de fortalecer a política estadual de ressocialização, o governador Paulo Câmara assinou, na manhã desta segunda-feira (15.01), um convênio entre o Governo do Estado e o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) que possibilitará a reintegração de reeducandos à comunidade através da prestação de serviço comunitário.

O acordo permitirá, por meio do Programa de Execução da Pena de Prestação de Serviços à Comunidade, desenvolvido pela Vara de Execução de Penais Alternativas (Vepa), a ampliação da oferta da laborterapia, que propicia aos apenados o cumprimento de pena associado à realização de atividades profissionais específicas, seguindo as diretrizes da Lei de Execução Penal e ainda do Programa de Segurança Pacto pela Vida.

A parceria ampliará o acesso às instituições e aos órgãos da administração direta e indireta de Pernambuco para o encaminhamento de reeducandos à prestação de serviço comunitário. Presidente do TJPE, O desembargador Leopoldo Raposo, defende que a finalidade do convênio com o Governo do Estado é proporcionar uma maior dignidade para o apenado no cumprimento de sua pena fora do estabelecimento prisional.