segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Celso de Mello: “Fala de Eduardo Bolsonaro sobre STF é golpista"

Além do decano, Ministro Luís Roberto Barroso também reagiu à declaração do deputado,
que afirmou que “para fechar o STF basta um cabo e um soldado”. (Estado de Minas).

O decano do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Celso de Mello, em carta enviada aos jornais Folha de S.Paulo e O Globo, considerou "inconsequente e golpista" a declaração do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL).

Eduardo Bolsonaro (PSL), filho do candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) e parlamentar que teve o maior número de votos na eleição do último dia 7, disse que "para fechar o STF basta um cabo e um soldado".

Em tom de ameaça, durante uma palestra em um cursinho no Paraná, antes do primeiro turno das eleições, o deputado dissse que "se o STF impugnar a candidatura do pai “terá que pagar para ver o que acontece. Será que eles vão ter essa força mesmo?" O vídeo, que teria sido gravado no último dia 10 de julho numa palestra, circula nas redes sociais. Veja a íntegra da carta enviada por Celso de Mello à Folha de S.Paulo e ao Globo:

“Essa declaração, além de inconsequente e golpista, mostra bem o tipo (irresponsável) de parlamentar cuja atuação no Congresso Nacional, mantida essa inaceitável visão autoritária, só comprometerá a integridade da ordem democrática e o respeito indeclinável que se deve ter pela supremacia da Constituição da República!!!! Votações expressivas do eleitorado não legitimam investidas contra a ordem político-jurídica fundada no texto da Constituição! Sem que se respeitem a Constituição e as leis da República, a liberdade e os direitos básicos do cidadão restarão atingidos em sua essência pela opressão do arbítrio daqueles que insistem em transgredir os signos que consagram, em nosso sistema político, os princípios inerentes ao Estado democrático de Direito”. 

Além de Celso de Mello e Rosa Weber - que se manifestou no domingo (21) -, o ministro Luís Roberto Barroso se posicionou sobre o caso. Ele pediu cautela e disse que o presidente do Supremo, Dias Toffoli, deveria se posicionar, de maneira única e oficial. 

"O presidente [do STF] estava fora e volta hoje. Acho que é ele quem deve se pronunciar em nome do tribunal. Na sua ausência, o decano já se manifestou. Acho que nesse momento complexo da vida brasileira, devemos falar uma só voz. Tenho tido a mesma atitude no TSE, para que só o presidente fale em nome de todos", disse Barroso à Folha de S. Paulo, nesta segunda-feira (22).

Abaixo, você confere o vídeo, onde Eduardo Bolsonaro ameaça fechar o  Supremo Tribunal Federal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário