terça-feira, 23 de outubro de 2018

Apenas 8% das imagens compartilhadas no WhatsApp são reais

Estudo, realizado pela Agência Lupa, analisou o fenômeno da 
desinformação e das mensagens falsas na plataforma. (Portal Leia Já).

Um levantamento realizado pela Agência Lupa em 347 grupos de WhatsApp revelou que apenas 8% das imagens compartilhadas pelos usuários podem ser classificadas como verdadeiras. O objetivo do estudo era analisar o fenômeno da desinformação e das mensagens falsas na plataforma. O estudo analisou conteúdos enviados entre os dias 16 de setembro de 7 de outubro, ou seja, em boa parte do 1º turno das eleições deste ano. Ao todo, eles reuniram mais de 18 mil usuários. No período, circularam 846 mil mensagens, entre textos, vídeos, imagens e links externos.

Das 50 imagens mais compartilhadas e checadas na pesquisa , considerando as que foram divulgadas sozinhas ou acompanhadas de um texto, apenas quatro foram consideradas verdadeiras (8%). Entre elas, estavam uma de Jair Bolsonaro (PSL) em uma maca e outra do autor da facada no candidato, Adélio Bispo de Oliveira. Do total, oito (16%) eram falsas, como a montagem da ex-presidente Dilma Rousseff com Che Guevara.

Outras quatro (8%) eram insustentáveis, isto é, não se baseavam em nenhum banco de dados confiável, como as fotos de Lula e Fernando Henrique Cardoso afirmando que os dois se reuniram para planejar assaltos a bancos.

Ainda segundo a Lupa, nove eram fotos reais, mas com alusões a teorias da conspiração sem comprovação. Outras sete também eram verdadeiras, mas tiradas de contexto, como um registro de Aécio Neves e Fidel Castro acompanhado da acusação do político tucano ter virado aluno do dirigente cubano.

Três foram consideradas sátiras, seis estavam associadas a textos de opinião, que não são checados pela agência, e três não foram examinadas por não ser possível verificar se haviam sido tiradas no Brasil ou não. No total, 56% das imagens que mais circularam foram consideradas enganosas. Os autores divulgaram propostas em artigos e em documento ao WhatsApp solicitando a redução da possibilidade de encaminhamento de mensagens para, no máximo, cinco destinatários - como já acontece na Índia. Atualmente, este limite é de até 20 pessoas ou grupos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário