segunda-feira, 27 de agosto de 2018

Armando: “Meu compromisso é com Lula, não com Haddad”

Em entrevista na capital, petebista garantiu, ainda, que seu palanque não está fechado para 
o presidenciável Geraldo Alckimin (PSDB). (Blog da Folha – Foto: Rafael Furtado).

Em entrevista ao programa Folha Política, da Rádio Folha, na capital pernambucana, Recife, nesta segunda-feira, dia 27 de agosto, o senador e candidato ao Governo de Pernambuco, Armando Monteiro (PTB) não se comprometeu a apoio ao Partido dos Trabalhadores (PT), acaso o ex-presidente Lula não possa ser candidato. “Meu candidato é Lula. Se lula não for candidato me sinto liberado para fazer minha escolha. Não tenho compromisso com a candidatura de Haddad. Eu tenho compromisso com Lula", pontuou.

Armando garantiu, ainda, que seu palanque não está fechado para o presidenciável Geraldo Alckimin (PSDB), pois seu partido e outros que compõem a coligação estão entre os apoiadores da candidatura do tucano à presidência. “Meu palanque é um palanque aberto. O palanque está aberto pra Alckimin porque tem vários partidos que defendem sua candidatura na nossa chapa, inclusive o meu”, afirmou Armando.

Segundo ele, sua ausência no comício do tucano em Petrolina pode ser explicada por seu compromisso com o ex-presidente Lula. “Se eu tenho um candidato que ainda não está descartado, por que eu iria pra um vento com Geral do Alckimin?”, questionou o petebista.

Armando elogia Marília Arraes, mas
mantém cautela sobre possível aliança

Indagado sobre um possível apoio da vereadora Marília Arraes (PT) à sua postulação, o senador Armando Monteiro Neto (PTB) teceu elogios à petista, que concorre à Câmara Federal após ter sua candidatura ao Palácio das Princesas afastada pela direção nacional do PT. Depois de participar de sabatina da Rádio Folha FM na condição de candidato ao Governo do Estado, Armando afirmou que Marília foi “guindada ao primeiro plano das lideranças de Pernambuco”, mas que não vai pressioná-la por alianças.

Armando, quando disputou a eleição de 2014 ao Governo do Estado, contou com o apoio da vereadora Marília Arraes, que havia acabado de romper politicamente com o PSB. O petebista, inclusive, chegou a vincular a sua imagem com a da petista em um vídeo de campanha que circulou nas redes. “Quando a gente olha a história de Armando, a gente vê competência”, dizia Marília, no vídeo, que remete, ainda, à eleição passada.

Na saída da sabatina da Rádio Folha, entretanto, Armando adotou um tom mais diplomático. “Marília, hoje, ela foi guindada ao primeiro plano das lideranças políticas de Pernambuco por mérito próprio, agora ela tem que estar muito à vontade para ver como vai se posicionar. Eu não pressiono ninguém, eu respeito a posição dela”, ponderou o senador. “O importante é que ela já disse que não vota em Paulo Câmara e, ao que se sabe, fez uma manifestação de que não poderia votar em Humberto”, alegou.

No domingo, Marília inaugurou o seu comitê, na Boa Vista, sem a presença do senador do PT em Pernambuco, Humberto Costa (PT), que teve, como única agenda do dia, visitar a abertura do comitê do deputado federal Danilo Cabral (PSB), junto com o governador Paulo Câmara (PSB), em Casa Forte.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário