segunda-feira, 6 de agosto de 2018

Álvaro critica escolha de Luciana Santos para vice de Paulo Câmara

Para deputado, Luciana no posto de vice, confirma que Paulo Câmara concordou com tudo que foi feito 
no FIG deste ano, sobretudo naquilo que vem sendo considerado desrespeito as famílias cristãs.

A escolha da deputada Luciana Santos (PCdoB) para a ocupar a vice na chapa de reeleição do governador Paulo Câmara (PSB) demonstra que o socialista premiou a legenda comunista, mesmo depois de o partido ter promovido desrespeito às famílias e ao povo cristão do Agreste durante o 28º Festival de Inverno de Garanhuns deste ano.

A confirmação da chapa aconteceu neste domingo (05) durante a convenção da coligação governista, realizada no Clube Internacional, no Recife.  Para o deputado Álvaro Porto (PTB), a presença de Luciana na majoritária significa que Paulo Câmara e o PSB estão de acordo com as agressões que artistas contratados para se apresentar no FIG fizeram a símbolos religiosos no mês passado. 

Ele lembra que a programação e as atrações do festival foram definidos pela Secretaria Estadual de Cultural, cujo titular é Marcelino Granja, do mesmo PCdoB de Luciana.  Porto chama a atenção para o risco de a deputada assumir o governo. "Se, por acaso Paulo vier a ser reeleito e precisar se afastar por qualquer razão, imagine o que pode ocorrer com o FIG! Se o secretário de Cultura do PCdoB fez o que fez, imagine o que não poderá fazer uma eventual vice-governadora desse partido!", disse.

Álvaro Porto fez o alerta um dia depois de participar, neste sábado (04), da convenção que confirmou, no Classic Hall, em Olinda, a chapa da coligação "Pernambuco vai mudar", com Armando Monteiro (PTB concorrendo ao governo, tendo o vereador Fred Ferreira (PSC) como vice e os deputados federais Bruno Araújo (PSDB) e Mendonça Filho (DEM) candidatos ao Senado. No evento, o deputado estava acompanhado de prefeitos e lideranças do Agreste Meridional.
.

POLÊMICAS E CACHÊS - Na primeira sessão deste semestre na Alepe, na última quarta-feira (01), Porto já tinha se posicionado sobre os episódios do FIG.  Na ocasião, ele defendeu, inclusive, a suspensão do pagamento de cachê aos artistas que, motivados pelas críticas e suspensão da peça “Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”, protagonizaram, episódios polêmicos e desrespeitos durante o evento.

Para Porto, cada um tem sua opção sexual, mas isso não deve ser motivo para que artistas usem o palco para incentivar desavenças e insuflar a plateia a “soltar os demônios”.  No discurso, o deputado informou que tem conversado com muitas pessoas do Agreste, inclusive homossexuais, e que o sentimento entre eles é de indignação.

O parlamentar petebista disse Secretaria de Cultura do Estado foi omissa. A partir do momento em que surgiram reações inflamadas e agressivas a símbolos religiosos, a Secretaria deveria ter emitido um alerta aos artistas para que se limitassem a fazer as suas apresentações, uma vez que foi para isso que foram contratados. 

O deputado acrescentou ainda que o prefeito de Garanhuns, Izaías Régis (PTB), se posicionou de forma contrária à peça, expressando a vontade do povo de Garanhuns.  Por fim, reiterou a defesa da suspensão do pagamento dos artistas que usaram o palco para desrespeitar símbolos cristãos - no caso, os cantores Daniela Mercury e Johnny Hooker.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário