sexta-feira, 27 de julho de 2018

FIG: Nação Zumbi, Emicida, Stil Living e Attooxxáé atraem multidão

Abertura da noite desta quinta-feira (26) ficou por conta da banda Still Living, natural de Garanhuns, 
que incendiou a plateia com seu rock autoral e progressivo. (Fotos: Hilton Marques/Secom/PMG).

Uma legião de fãs, vindos em diversas caravanas do Nordeste, pôde assistir, na noite desta quinta-feira (26), uns dos shows mais esperados do 28º Festival de Inverno de Garanhuns: Nação Zumbi, Emicida e ÀTTØØXXÁÉ. O público, que compareceu em peso à Praça Mestre Dominguinhos, vibrava a cada música e, mesmo sob um frio de 15º, mostrou que há sempre espaço para celebração da diversidade musical e cultural de nosso país. 

A abertura da noite ficou por conta da banda Still Living, natural de Garanhuns, que incendiou a plateia com seu rock autoral e progressivo. Em seguida, vieram os baianos do ÀTTØØXXÁÉ que, numa mistura de pagodão baiano e música eletrônica, botou o público para dançar ao som de suas músicas vibrantes e cheias de coreografias. Destaque para o hit "Popa da Bunda", que gravaram com o grupo Psirico.

Esperado por uma multidão de admiradores, o paulista Emicida deu seu recado no Palco Domininguinhos e fez uma verdadeira celebração da música rap, com músicas como "Passarinhos", "Hoje Cedo", "Madagascar", "Pantera Negra" e "Baiana". 

No final, a banda pernambucana Nação Zumbi entoou grandes sucessos de sua carreira, como "Um Sonho", "Manguetown", "Maracatu Atômico" e regravações que fizeram para o último disco "Radiola ZN Vl.1", como "Refazenda", de Gilberto Gil, e "Amor", de Secos e Molhados. Voltaram para o bis e, como é de costume, encerraram com "A Praieira", grande hit do Movimento Manguebeat.
.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário