segunda-feira, 30 de julho de 2018

Advogado apresenta notícia crime e pede prisão de Johhny Hooker

Em sua queixa, Jethro Silva afirma que foi ofendido em sua religiosidade com a manifestação do cantor, que
durante apresentação no FIG chamou Jesus de “bicha” e de “travesti”. ( Blog do Ricardo Antunes).

O advogado criminalista Jethro Silva Júnior (foto acima), ingressou nesta segunda-feira (30), com notícia crime contra o cantor pernambucano Johnny Hooker. Em requerimento protocolado na Chefia da Polícia Civil do Estado, na capital Recife, o advogado afirma que foi ofendido em sua religiosidade com a manifestação do cantor, que durante apresentação no FIG no último dia 27, chamou Jesus de “bicha” e de “travesti”.

Segundo Jethro, o cantor, cujo nome verdadeiro é John Donovan Maia infringiu o artigo 20 da Lei nº 7.716/89. Essa Lei, carateriza os crimes resultantes de preconceito de raça ou de cor, atestando que "praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, acarreta numa reclusão de até três anos."

Segundo apurou o Blog do Gidi Santos, a notícia crime imputa ainda a Johnny, o crime previsto no artigo 280 do Código Penal Brasileiro (CPB), que afirma que “escarnecer de alguém publicamente por motivo de crença ou função religiosa, impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso, vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso”, pode resultar numa pena de detenção que de um mês até três anos ou multa..

Na notícia crime, argumenta o advogado ainda, as pessoas que professam a fé cristã, quase 180 milhões de pessoas no Brasil, têm a figura de Jesus Cristo como sendo do sexo masculino, heterossexual, segundo a bíblia sagrada, que é o livro que contém os ensinamentos cristãos. “Qualquer afirmativa diferente desses dogmas é considerada uma ofensa a fé cristã”, destaca Jethro em sua ação.
.

Pessoalmente, o criminalista se sente ofendido, já que na noite da última sexta-feira, dia 27 de julho aqui em Garanhuns, durante show que realizava no 28ª Festival de Inverno, Hooker afirmou: “Jesus é transexual sim, Jesus é bicha sim, porra!”.

“A circunstância de Johnny Hooker ter-se expressado por ocasião de uma manifestação artística de duvidosíssima qualidade, e que, portanto, nessa circunstância, em tese, estaria albergada pela liberdade estabelecida no inciso IX do art. 5º da constituição federal, não é menos certo que essa mesma liberdade deve amoldar-se à lei. Assim, ainda que arte seja, substancialmente, liberdade, o direito à liberdade artística não pode ser ilimitado e encontra balizas em outros valores constitucionalmente assegurados", defende o advogado criminalista na ação impetrada na manhã desta segunda.

O advogado, arrolou como testemunhas, o Prefeito de Garanhuns, Izaías Régis (PTB), o Arcebispo da Arquidiocese de Olinda e Recife, Antônio Fernando Saburido, o Bispo Diocesano de Garanhuns, Dom Paulo Jackson, o Presidente da Ordem dos Pastores Evangélicos de Garanhuns e Região, além da cantora baiana Daniela Mercury, que também argumentou fala semelhante, lembrando ainda, da possibilidade de representação pela decretação da prisão preventiva do cantor pernambucano a qualquer momento.

Nossa reportagem, não conseguiu contato com o escritório responsável pelos shows do cantor Johnny Hooker. Apesar disso, o Blog segue aberto para que ele possa manifestar sua posição diante dos fatos relatados nesta reportagem.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário