terça-feira, 12 de junho de 2018

Jarbas: "Não tenho dificuldade em pedir votos para Humberto"

Crítico ferrenho dos governos do PT, pré-candidato ao senado não vê problema em subir no palanque 
de Paulo Câmara se houver aliança do PSB com os petistas. (JC Online – Foto: Diego Nigro).

Em meio às articulações entre PT e PSB para fechar uma aliança em Pernambuco, restava a dúvida se o deputado federal Jarbas Vasconcelos (MDB), crítico dos governos do PT, pediria voto ao possível companheiro de chapa Humberto Costa (PT). Agora, não resta mais. À Rádio Jornal, na manhã desta terça-feira (12), Jarbas foi questionado e afirmou que pediria votos para o petista 'sem nenhuma dificuldade'.

O deputado destaca que não teria problemas em subir no palanque de Paulo Câmara se houver aliança, pois o PT não é 'bicho de sete cabeças'. "Não há nada sem comando e o comando é o governador do Estado. Ele está num diálogo permanente com o PT e acho positivo. Quanto mais puder fazer governo largo, com mais forças, mais condições de fazer mais pela população. O PT não é nenhum bicho de sete cabeças, não me oponho em coisa nenhuma, peço votos a Humberto sem nenhuma dificuldade se esse for o caso", comentou.

A tendência, no caso da coligação ser fechada, é de Humberto Costa ocupar uma das vagas para o Senado ao lado de Jarbas. Essa união, por exemplo, vem sendo vista como uma dificuldade para o governador Paulo Câmara (PSB), que terá de explicar ao eleitor a presença de dois adversários ferrenhos no mesmo palanque.

Apoio a Alckmin - A nível nacional, Jarbas defende o pré-candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, o que também levantou a hipótese de um desconforto, em uma possibilidade de Paulo Câmara apoiar o ex-presidente Lula ou um outro nome do Partido dos Trabalhadores (PT). Defensor da pré-candidatura de Alckmin, Jarbas também rechaçou a possibilidade de desconforto. "Lula é um líder popular importante, mantenho boa relação de admiração e respeito recíproco, sempre o recebi bem, de forma que não vejo que isso possa me trazer desconforto ou dificuldade, não faço campanha de ir em cima da pessoa, acho que essa época passou, estamos no tempo de internet, a busca da verdade é mais fácil e estou tranquilo com isso", comentou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário