segunda-feira, 18 de junho de 2018

"Não abrimos conversa com o PP", diz Armando em entrevista

Sobre as conversas que podem conduzir o PSC e André Ferreira para oposição, Monteiro destacou 
que elas vem ocorrendo com “tranquilidade”. (JC Online – Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem).

Pré-candidato ao Governo de Pernambuco, o senador Armando Monteiro Neto (PTB) negou que tenha aberto conversas com o PP para a chapa de oposição ao governador Paulo Câmara (PSB). Na última semana, políticos do PP afirmaram que o partido discutia uma possível saída da Frente Popular. "O PP deixou claro que estava conversando apenas com o governo. Nós não abrimos conversa com o PP, não fizemos entendimento com o PP, embora tenhamos boas relações. Mas se amanhã não estiverem na aliança governista estamos abertos, pois conversamos em qualquer latitude", disse.

O deputado federal Eduardo da Fonte pressiona o governo por uma vaga ao Senado. Nos bastidores a informação é de que a pressão pela vaga seria uma forma de barganhar mais espaço no governo. A estrategia pode ter surtido efeito, caso o governador Paulo Câmara confirme a indicação do PP para a presidência do Complexo Portuário de Suape. 

CONVERSAS COM ANDRÉ FERREIRA - O bloco de oposição Pernambuco Vai Mudar anunciou, no último dia 11, metade da chapa majoritária para este ano. Além de Armando, que vai disputar o governo, o deputado federal Mendonça Filho (DEM) será um dos candidatos ao Senado. As outras duas vagas – de vice e para outro postulante para senador – ficaram em aberto, uma reservada para o PSDB e outra aguardando novos aliados, entre eles possivelmente o PSC do deputado estadual André Ferreira. Armando confirmou que as conversas com o PSC "vem se desenrolando de forma tranquila". Sobre a vice, o senador disse que não deve interferir, será uma indicação do PSDB. "A questão da vice havia uma definição que seria uma indicação do PSDB.

Hoje na base de Paulo Câmara, Ferreira tenta uma vaga ao Senado, mas pode perder o espaço caso a aliança dos socialistas com o PT seja consolidada. Se isso acontecer, uma vaga seria do deputado federal Jarbas Vasconcelos (MDB) e a outra do senador petista Humberto Costa. Evitando ser limado, Ferreira estaria se articulando também com a oposição. Na chapa governista, apenas o nome de Paulo Câmara é dado como certo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário