terça-feira, 12 de junho de 2018

Miguel Coelho: "Há movimento de dissidência de prefeitos da base"

Ainda segundo Prefeito de Petrolina, número de chefes de executivo que podem migrar para oposição 
ao Governador Paulo Câmara, pode passar dos 30. (Renata Monteiro – Foto: Fernando da Hora/JC Imagem).

Presente no evento de lançamento dos pré-candidatos da frente das oposições na segunda-feira (11), o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (PSB) afirmou que existe uma movimentação de dissidência por parte prefeitos que integram partidos da Frente Popular. O próprio Miguel rompeu com o governador Paulo Câmara (PSB) juntamente com seu irmão, o deputado federal Fernando Filho (DEM), saída comandada pelo senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) para posterior formação do bloco das oposições. 

"É óbvio que quando chegar o momento apropriado, nós vamos tomar a nossa posição. Mas eu escuto de muitos colegas do PSB que a insatisfação continua. Eu sou suspeito para falar, mas a gente tem mais de 20, 30, prefeitos querendo começar um processo de dissidência do PSB", afirmou Miguel Coelho. 

Miguel Coelho foi o único da família Coelho que permaneceu no PSB, uma vez que não disputará eleição este ano. Fernando Bezerra se filiou ao MDB, como aval do presidente nacional, o senador Romero Jucá (MDB), e hoje trava uma batalha jurídica pelo comando do diretório estadual do partido contra o deputado federal Jarbas Vasconcelos e o vice-governador Raul Henry (MDB), aliados de primeira hora do governador. Fernando Filho também chegou a se filiar ao MDB também, mas diante da insegurança jurídica, acabou se filiado ao DEM antes do fim da janela partidária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário