domingo, 6 de maio de 2018

“Temer nasceu pelas mãos do PSB e Paulo Câmara é o padrinho”

Frase, é do Deputado Federal Bruno Araújo, que em nota divulgada em seu Facebook, questiona Paulo 
pelo fato dele buscar apoio do PT para sua candidatura a reeleição. (JC Online – Foto: Beto Barata).

Apontando incoerência numa possível aliança entre PT e PSB, o deputado federal Bruno Araújo (PSDB-PE), liderança do grupo Pernambuco Quer Mudar, voltou a afirmar que o governador Paulo Câmara (PSB) defendeu o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Na manhã desta sexta-feira (4), Bruno publicou na sua conta no Facebook documento relembrando que os socialistas votaram pela impugnação. 

"Há apenas dois anos o governador e seu partido rejeitavam o PT e divulgaram carta na véspera da votação do impeachment de Dilma Rousseff. Em nome do governador, o presidente do partido em Pernambuco demonstra total apoio ao impeachment e critica a então presidente que se "deslegitimou". E mais, a nota faz questão de diminuir o papel do ex-presidente Lula no desenvolvimento de Pernambuco, algo que mesmo fazendo oposição nunca deixamos de reconhecer", escreveu o tucano.

Enquanto busca o apoio do PT para a reeleição, Paulo Câmara passou a ser questionado por sua posição em relação ao impeachment de Dilma. Nas últimas semanas, os deputados de oposição Mendonça Filho (DEM) e o próprio Bruno Araújo afirmaram ter conversado mais de uma vez com Paulo e com o prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), sobre o impeachment. Em nota, no último dia 20, o governador negou os encontros. A oposição, vale lembrar, pode se favorecer por uma candidatura própria do PT, que pode levar a disputa ao segundo turno.

                                        Abaixo, você confere a carta do PSB, á época do 
                                           Impeachment da Presidente Dilma Rousseff:
.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário