domingo, 6 de maio de 2018

PT de PE adia decisão sobre candidatura própria para 10 de junho

Nos bastidores, o que se ouve, é que o novo levantamento Múltipla, onde Marília aparece tecnicamente
empatada com Paulo Câmara, teria motivado a decisão, antes prevista para 12 de maio. (JC Online).

O diretório estadual do Partido dos Trabalhadores (PT), aqui de Pernambuco divulgou no último sábado (5) o adiamento da reunião, marcada para o próximo dia 12, que decidiria se o partido teria candidatura própria ao governo do estado nas eleições de outubro. A data foi remarcada após uma negociação entre a ala do partido que apoia a candidatura da vereadora Recifense Marília Arraes ao cargo e os militantes que preferem apoiar a reeleição de Paulo Câmara (PSB) através de uma aliança.

Na última quinta (3), pesquisa realizada pelo Instituto Múltipla da cidade de Arcoverde, amplamente divulgada por todo estado, revelou que Marília está tecnicamente empatada com o atual Governador Paulo Câmara, já que os dois aparecem no levantamento separados pelo percentual de apenas 3% (Arraes 21,5%, e Paulo 24,5). 

        Embora esse não tenha sido o motivo oficial para a mudança na data para apresentar a decisão, nos bastidores, o que se ouve é que o novo levantamento Múltipla, fez até mesmo a ala contra Marília no PT, repensar se deve ou não, apoiar a candidatura de Paulo.

"Decidimos, por acordo, alterar a data do encontro estadual para 10 de junho. Houve um apelo do GTE Nacional nesse sentido. No encontro, primeiro se decidirá a tática em 2018 (se candidatura própria ou aliança). Depois, caso prevaleça a candidatura própria, se escolherá o nome do candidato e demais pontos (senado e proporcional), bem como eixos do programa de governo. Até lá, faremos uma pesquisa com apoio da Nacional e seguiremos a agenda de construir consensos internos", afirmou o presidente do PT aqui no Estado de Pernambuco, Bruno Ribeiro, em entrevista ao Jornal do Commercio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário