quinta-feira, 24 de maio de 2018

Caminhoneiros protestam pelo aumento do diesel em Garanhuns

Segundo Polícia Rodoviária Federal, desde às 7h de ontem, dia 23, estão interditados 
trechos das BRs 423, aqui em Garanhuns. (NE10 Interior / Diário de Pernambuco).

Um protesto de caminhoneiros está sendo realizado desde a manhã da última terça-feira (22), na BR-423, aqui em Garanhuns. Não há previsão para o término do protesto. De acordo com os profissionais, o objetivo da manifestação é chamar a atenção dos governantes para o valor do diesel, considerado abusivo pela categoria. "Não há condições de carregar daqui para São Paulo com o preço abusivo de combustível. O caminhoneiro está abandonado", lamenta Antônio Bispo, em entrevista à Rádio Jornal Garanhuns.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, desde às 7h de ontem, dia 23, estão interditados trechos das BRs 423, em Garanhuns, 316, em Floresta e Serra Talhada, e 104, em Caruaru. Com a paralisação das principais rodovias no Estado, já começou a faltar combustível na maioria dos postos em Garanhuns e Região. Até mesmo o transporte urbano já está prejudicado. De acordo com o gerente da empresa São Cristóvão, Domingos Sá, os ônibus irão rodar até quando for possível. "A gente vai rodar até o limite", disse.

A Solução vem de Brasília: - Na Câmara dos Deputados, em Brasília, na capital federa, foi discutida a alta do combustível pela Comissão de Minas e Energia. O Poder Executivo está comprometido a eliminar a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre o diesel. O contraponto que deve ser realizado pelos Parlamentares deverá ser a aprovação de uma renovação da folha de pagamento.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), sugeriu que os governadores contribuíssem, reduzindo a alíquota do ICMS – principal tributo estadual. Segundo ele, os estados são os que mais se beneficiam dos aumentos dos combustíveis, uma vez que esse tributo representa um percentual do valor do diesel e da gasolina. Na maioria dos estados, o ICMS varia entre 30% e 32%, impactando os preços finais.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário