sexta-feira, 20 de abril de 2018

"Eduardo sofreu mais resistências que sofre Joaquim Barbosa"

Frase, é do presidente nacional do PSB, que sobre Barbosa ainda defende: "a sigla 
não pretende impor nenhum programa à ele".  (Estadão Conteúdo - Foto: Fellipe Sampaio/ST).

O presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, minimizou na manhã desta sexta-feira (20), em entrevista à Rádio Eldorado, as resistências dentro do próprio partido para a consolidação da provável candidatura do ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa à Presidência da República nessas eleições.

"A candidatura Eduardo Campos (presidenciável da sigla no pleito passado, morto em acidente aéreo em plena campanha) teve mais resistência no PSB do que Joaquim Barbosa. Construímos a candidatura Eduardo Campos com muita dificuldade, não foi fácil", disse Siqueira, emendando que "Joaquim Barbosa teve excelente receptividade no partido".

Ele lembrou que, na ocasião em que Campos foi o candidato ao Palácio do Planalto quatro anos atrás, em 2014, a sigla perdeu nomes como o de Ciro Gomes, que migrou para o PDT e também é pré-candidato nas eleições gerais de outubro deste ano.

Na entrevista, o presidente do PSB demonstrou otimismo com uma candidatura do ex-presidente do Supremo ao Palácio do Planalto. "Acredito muito nessa hipótese. Não estou pessimista com relação à candidatura de Joaquim Barbosa, temos de ter tempo para discutir uma candidatura presidencial", frisou, argumentando que a sigla não tem pressa e que não pretende apresentar um candidato só porque ele tem bons pontos nas pesquisas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário